Ministra da Educação visita Oliveira do Hospital em 2010

A ministra da Educação, Isabel Alçada, visita o concelho de Oliveira do Hospital em 2010. A garantia foi dada ao correiodabeiraserra.com, pelo presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital depois de o próprio ter lançado o repto à governante, no passado dia 10 de Dezembro, à margem da VI Gala do Desporto Escolar realizada em Lisboa.

“Convidei a ministra porque temos alguns assuntos para resolver”, afirmou o autarca, colocando à cabeça a intenção de lançamento do Centro Escolar de Nogueira do Cravo.

Entre as intenções de José Carlos Alexandrino está também a tomada de consciência sobre a possibilidade de construção de um novo centro escolar na cidade. “Na minha opinião foi um erro gastar-se dinheiro do Quadro Comunitário naquele centro escolar”, continuou o presidente, contando que está a decorrer uma revisão da Carta Educativa que ditará o posicionamento da Câmara sobre esta matéria.

De acordo com o autarca, a Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Centro já agendou uma visita ao concelho porque “há ainda a esperança de que o QREN tenha disponíveis algumas verbas que outros municípios não tenham usado”.

“Queremos lançar aqui uma coisa rija e um Centro Escolar de raiz com todas as condições”, confessou, lamentando a existência de casos em que “uns miúdos podem almoçar e os outros não podem”. “Temos que arranjar condições para as nossas crianças, como outros concelhos foram capazes de fazer”, sublinhou.

ESTGOH: Alexandrino quer lançar “grande ofensiva”

Ainda em matéria de Educação, José Carlos Alexandrino revelou-se empenhado em “lançar uma grande ofensiva” para que “as novas instalações da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital sejam uma realidade”.

Lamentando que “em política às vezes só se vai com pressão”, o presidente da Câmara disse que, apenas, aguarda uma reunião com o presidente do Instituto Politécnico de Coimbra, para mover esforços em defesa da manutenção da ESTGOH em Oliveira do Hospital.

“Este concelho merece… a escola é fundamental para o desenvolvimento económico do concelho e da região”, continuou Alexandrino, que destacou a necessidade de os governantes terem “consciência da coesão territorial”. Na opinião do autarca “o interior tem que ter custos nessa relação de coesão que se apregoa e não se aplica”.

O que também está na mira do presidente da Câmara Municipal é o lançamento de um novo parque empresarial. Alexandrino lamenta contudo a “série de burocracias” que condiciona o avanço dos procedimentos.

LEIA TAMBÉM

Dois detidos em flagrante em Tábua por cultivo de cannabis

O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da Lousã deteve, ontem, dois homens com …

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Apenas um elemento do grupo suspeito de vários crimes na zona Centro ficou em prisão

Dos cinco jovens, com idade entre os 22 e os 28 anos detidos pela PJ …