Ministra da Educação visita Oliveira do Hospital em 2010

A ministra da Educação, Isabel Alçada, visita o concelho de Oliveira do Hospital em 2010. A garantia foi dada ao correiodabeiraserra.com, pelo presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital depois de o próprio ter lançado o repto à governante, no passado dia 10 de Dezembro, à margem da VI Gala do Desporto Escolar realizada em Lisboa.

“Convidei a ministra porque temos alguns assuntos para resolver”, afirmou o autarca, colocando à cabeça a intenção de lançamento do Centro Escolar de Nogueira do Cravo.

Entre as intenções de José Carlos Alexandrino está também a tomada de consciência sobre a possibilidade de construção de um novo centro escolar na cidade. “Na minha opinião foi um erro gastar-se dinheiro do Quadro Comunitário naquele centro escolar”, continuou o presidente, contando que está a decorrer uma revisão da Carta Educativa que ditará o posicionamento da Câmara sobre esta matéria.

De acordo com o autarca, a Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Centro já agendou uma visita ao concelho porque “há ainda a esperança de que o QREN tenha disponíveis algumas verbas que outros municípios não tenham usado”.

“Queremos lançar aqui uma coisa rija e um Centro Escolar de raiz com todas as condições”, confessou, lamentando a existência de casos em que “uns miúdos podem almoçar e os outros não podem”. “Temos que arranjar condições para as nossas crianças, como outros concelhos foram capazes de fazer”, sublinhou.

ESTGOH: Alexandrino quer lançar “grande ofensiva”

Ainda em matéria de Educação, José Carlos Alexandrino revelou-se empenhado em “lançar uma grande ofensiva” para que “as novas instalações da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital sejam uma realidade”.

Lamentando que “em política às vezes só se vai com pressão”, o presidente da Câmara disse que, apenas, aguarda uma reunião com o presidente do Instituto Politécnico de Coimbra, para mover esforços em defesa da manutenção da ESTGOH em Oliveira do Hospital.

“Este concelho merece… a escola é fundamental para o desenvolvimento económico do concelho e da região”, continuou Alexandrino, que destacou a necessidade de os governantes terem “consciência da coesão territorial”. Na opinião do autarca “o interior tem que ter custos nessa relação de coesão que se apregoa e não se aplica”.

O que também está na mira do presidente da Câmara Municipal é o lançamento de um novo parque empresarial. Alexandrino lamenta contudo a “série de burocracias” que condiciona o avanço dos procedimentos.

LEIA TAMBÉM

PSD quer conhecer calendário das obras do IP3

O PSD, através da deputada Fátima Ramos, eleita pelo Círculo eleitoral de Coimbra, questionou o …

Plataforma quer fim das portagens nas ex-scuts do interior e anuncia novos protestos

A Plataforma Para a Reposição das Scut na A23 e A25 defendeu hoje em comunicado …