Ministra da Saúde inaugurou novo Centro de Medicina Física e de Reabilitação da Santa Casa da Misericórdia de Galizes

Numa visita às instalações da Misericórdia de Galizes, a ministra da Saúde, Ana Jorge, mostrou-se esta quarta-feira surpreendida com a qualidade das instalações e dos equipamentos do novo CMFR daquela instituição.

Considerando que as misericórdias “têm sabido responder às necessidades” na área da Saúde, a ministra destacou a mais valia da existência em Galizes de um centro de medicina física e de reabilitação, no âmbito da prestação de cuidados de saúde de proximidade, e disse também estar sensibilizada com o lar residencial de deficientes daquela Santa Casa.

Presente na inauguração – os candidatos às autárquicas, José Carlos Alexandrino e José Carlos Mendes, também se deslocaram a Galizes – o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital aproveitou entretanto a presença de Ana Jorge para “relembrar alguns problemas” que o autarca do PSD considerou existirem no concelho.

Mário Alves começou por criticar a falta de médicos, e apelou à ministra para “acabar de uma vez por todas com o medo que existe entre as gentes de Oliveira do Hospital” quanto ao eventual encerramento do SAP do centro de saúde local em período nocturno.

Sublinhando que Oliveira do Hospital é um município com cerca de 24 mil utentes que tem fábricas em “laboração contínua”, bem como uma escola superior, Alves frisou que enquanto presidente da câmara não deixará de continuar a reivindicar “aquilo a que os oliveirenses têm direito”.

Em resposta ao que considerou serem “recados ou recomendações” do presidente da Câmara, Ana Jorge não se referiu ao caso concreto do SAP do centro de saúde de Oliveira do Hospital. “Poderá parecer que estamos a retirar serviços do local… mas não, estamos a reforçar equipas”, salientou a ministra, que também sublinhou que a gestão integrada dos centros de saúde visa “responder melhor e com equipas melhores”.

Defendendo que a reformulação do sector da saúde que o Ministério da Saúde tem em curso pretende dar aos portugueses “mais e melhor saúde”, Ana Jorge sustentou também que a aposta do Governo é ter “serviços de qualidade e de proximidade”.

Visivelmente satisfeito com a visita da ministra e a assinatura de um protocolo estabelecido entre a Administração Regional de Saúde do Centro e a Santa Casa da Misericórdia de Galizes (SCMG), tendo em vista a prestação de cuidados de saúde em Medicina Física e de Reabilitação, o provedor da SCMG, Rogério Henriques, falou sobre a importância daquele investimento, financiado pelo Programa Saúde XXI, para a população de Oliveira do Hospital, e realçou o facto de a instituição ter sabido “inovar”.

“O que nos diferencia é a convicção com que servimos o próximo”, lembrou também Rogério Henriques, sublinhando que “a área da deficiência está em toda a génese” da SCMG.

 

LEIA TAMBÉM

Alexandrino acusa alguns médicos de “boicote” ao SAP “numa tentativa de ele fechar” e coloca em causa qualificação de um clínico

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital teceu hoje duras críticas a “alguns …

Saúde em Oliveira do Hospital continua envolta em crise, utentes queixam-se e presidente da Câmara reconhece que solução não está nas mãos da autarquia

Uma utente não conseguia disfarçar a sua indignação por não ter, mais uma vez, conseguido a …