Mudança de comercializador de energia, sem apagar direitos! Autora: Tânia Santana

A DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor tem recebido inúmeras reclamações dos consumidores no âmbito do processo de mudança de comercializador de energia.

Dos principais problemas destacam-se a dupla faturação, a falta de informação, o excessivo tempo de mudança, bem como, as práticas comerciais desleais.

Face a este cenário, a nossa Associação lançou no passado dia 13 de Agosto uma página informativa e reivindicativa, designada por ENERGIZAR, sobre a mudança de comercializador.

Através desta página a preencher online ou do questionário a disponibilizar pelos gabinetes de apoio presencial aos consumidores na DECO, pretendemos tornar o processo de mudança mais controlado e transparente, fomentando a adesão, sem problemas, por parte dos consumidores ao mercado liberalizado.

Se ainda não mudou de comercializador, aconselhamos a analisar as diferentes propostas das diferentes empresas de energia e comparar as mesmas com a situação atual.

Na escolha do comercializador, para além do preço, deverá atender a outros pressupostos contratuais, nomeadamente duração do contrato, serviços disponibilizados, meios e prazos de resposta a reclamações, penalidades em caso de rescisão antecipada do contrato.

Na comparação de preços deverá basear-se no histórico do consumo para simular os valores a faturar em cada proposta, tendo atenção a eventuais serviços extra ou condições promocionais com determinado prazo.

Após verificar qual a melhor oferta, deverá contactar o comercializador, analisando todas as condições contratuais do contrato de fornecimento.

A nova empresa tratará de todos os procedimentos necessários à mudança, inclusive da rescisão do contrato de fornecimento com o anterior fornecedor, sem quaisquer custos para o consumidor.

A DECO disponibiliza um simulador, na sua página de internet, onde pode fazer uma simulação de qual o fornecedor mais adequado às necessidades do agregado familiar.

Tânia Santana

Jurista

DECO Coimbra

LEIA TAMBÉM

«Solidariedade» – dizem eles – O que faria se não fosse!… Habitações ardidas ainda não estão a ser recuperadas! Um escândalo!!! Autor: João Dinis

Andando nós por estas nossas Aldeias e Vilas varridas a fogo pelos incêndios de 15 …

A morte do silêncio. Autor: Renato Nunes

Confessou-me recentemente um octogenário, com o qual tenho vindo a aprender outro significado de ser …