Novo Mapa judiciário entra em vigor segunda-feira, Tribunal de Oliveira do Hospital reduzido Secção de competência genérica e Câmara só discutiu assunto a 24 de Julho

Mulher acusada de ocultação de cadáver numa aldeia de Celorico da Beira fica em liberdade

A escocesa que terá enterrado o marido, de nacionalidade escocesa e de 59 anos, que terá morrido de morte natural, num terreno saiu em liberdade depois de ser ouvida no Tribunal de Celorico da Beira. O julgamento adiado para dia 27 de Fevereiro.

A mulher de 46 anos está acusada de profanação e ocultação do cadáver. Segundo a TVi24, a autópsia indica que o corpo não apresenta sinais de trauma. Terá morrido de morte natural na sequência de uma doença prolongada.

A acusação de ocultação de cadáver surge porque a mulher terá enterrado o marido na propriedade em que viviam, na Guarda, cumprindo um desejo do mesmo. A suspeita foi hoje presente ao Tribunal de Celorico da Beira para ser julgada em processo sumário, mas a advogada, Andreia Fonseca, pediu um prazo para preparar a defesa e o julgamento ficou adiado para as 10h00 do dia 27 de fevereiro.

LEIA TAMBÉM

Candidato do PSD acusa executivo Tábua de não reflectir nas contas dívidas de 1,5 milhões

O candidato do PSD à Câmara Municipal de Tábua, José Pereira, acusa o actual executivo …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Autoridade Nacional de Protecção Civil alerta para risco de incêndios nos próximos três dias

O Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) …