Município atribui quatro faixas à Avenida Dr. Carlos Campos e retira dois metros ao Mandanelho

 

Sem condições para adiantar o valor estimado para a realização dos trabalhos, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital anunciou, na última Assembleia Municipal, a requalificação da Avenida Dr. Carlos Campos, localizada na cidade.

“Temos um projeto muito interessante que tem sido discutido com os parceiros”, começou por afirmar José Carlos Alexandrino numa altura em que dava resposta à interpelação da deputada socialista Sónia Martins que, naquele órgão autárquico, considerou que aquela artéria da cidade “está uma miséria, uma vergonha”.

A introdução de quatro faixas de rodagem foi um dos pormenores do projeto de requalificação avançado pelo presidente da autarquia, que chegou ainda a desvendar que, o mesmo vai contemplar a construção de passadeiras elevadas e de uma rotunda junto ao estabelecimento comercial Irmãos Gonçalves.

Para conseguir a largura necessária à introdução das quatro faixas, o município “vai entrar no Parque do Mandanelho em cerca de dois metros”.

Confiante de que aquela artéria se vai transformar numa “avenida muito interessante da cidade”, José Carlos Alexandrino anunciou ainda a criação de “um número elevado de estacionamentos, cerca de 200, na antiga feira”. Segundo adiantou, aquele local vai permitir ainda o estacionamento de autocarros e veículos TIR.

“Esta cidade deve ter estacionamento pago, mas antes temos que ter alternativa para isso”, continuou o autarca, deixando implícita a ideia de que o município aguarda pela criação de mais 200 lugares de estacionamento, para avançar com a modalidade de estacionamento pago.

Aos deputados da AM, José Carlos Alexandrino disse ainda não ter qualquer apoio do QREN para a realização desta obra, nem para outra que o município se prepara para lançar.

Segundo adiantou, o autarca pondera aceder a uma Bolsa de Mérito que está a ser preparada para beneficiar as comunidades intermunicipais com mais elevada taxa de execução. Ainda que Oliveira do Hospital seja dos municípios com mais elevada taxa de execução, Alexandrino receia ver coartado o acesso à Bolsa de Mérito por estar integrado numa Comunidade Intermunicipal – a CIMPIN – com baixos níveis de execução.

Ainda em matéria de obras, o presidente da autarquia oliveirense disse estar em condições para levar à reunião do executivo camarário o processo para construção da Central de Camionagem e recuperação do Mercado Municipal.

“A obra será lançada muito brevemente”, garantiu Alexandrino, adiantando que o município também já assinou o contrato do Centro Escolar de Nogueira do Cravo, cuja obra estimada em um milhão e 45 mil Euros com uma comparticipação financeira de 85 por cento, “tem que ser feita até  setembro”.

LEIA TAMBÉM

Caça praticamente proibida no concelho de Oliveira do Hospital até Maio de 2018

A caça está proibida até 31 de Maio de 2018 nas zonas consumidas pelos fogos, …

Capoula Santos apresentou em Oliveira do Hospital novas medidas de apoio aos agricultores afectados pelos fogos

O Ministro da Agricultura apresentou, ontem, em Oliveira do Hospital, as novas medidas de apoio …