Município de Oliveira do Hospital apaga as luzes em nome do planeta

O Município de Oliveira do Hospital (MOH) aderiu à “Hora do Planeta” e depois de amanhã vai desligar as luzes exteriores durante uma hora no edifício dos Paços do Município e Mercado Municipal, bem como no Largo Ribeiro do Amaral. O “apagão” simbólico ocorrerá no período em que a Hora do Planeta se celebra a nível mundial, ou seja, entre as 20h30 e as 21h30.

“Com esta iniciativa, Oliveira do Hospital associa-se assim à maior campanha ambiental do mundo, e que mobiliza milhares de milhões de pessoas em mais de 7 mil cidades e vilas em 163 países e territórios”, justifica autarquia oliveirense, com o presidente José Carlos Alexandrino a sublinhar “que este acto simbólico está em sintonia com as políticas municipais de sustentabilidade energética e ambiental que vêm sendo promovidas” no concelho.

O autarca aponta, a título de exemplo, a implementação do Programa de Eficiência Energética “que, em 2014, conseguiu reduzir em cerca de 92 mil euros a factura energética do Município, prevendo-se que, com as medidas implementadas em 2014, a poupança anual estimada possa ser superior a 100 mil euros”. Uma nota da Câmara explica ainda que o MOH vai introduzir este ano a tecnologia LED no sistema de iluminação pública do centro da cidade, prevendo uma redução de energia em 55.516,50kWh por ano, a que corresponde uma diminuição nas emissões de CO2 – considerado como a principal causa do aquecimento global – estimada em 26 toneladas por ano.

A Hora do Planeta é uma iniciativa da organização global de conservação de natureza “WWF – Hora do Planeta” que procura sensibilizar cidadãos, empresas e governos a desligarem as luzes por uma hora, num sinal de protesto contra as alterações climáticas. A iniciativa começou em 2007 em Sidney, na Austrália, quando 2,2 milhões de pessoas e mais de 2 mil empresas apagaram as luzes por uma hora numa tomada de posição contra as mudanças climáticas. Um ano depois a Hora do Planeta tornou-­se um movimento de sustentabilidade global com mais de 50 milhões de pessoas em 135 países a mostrarem o seu apoio a esta causa ao desligarem simbolicamente as suas luzes.

LEIA TAMBÉM

Atropelamento mortal em Candosa, concelho de Tábua

Mulher morreu hoje em Oliveira do Hospital vítima de atropelamento na EN17 junto ao Lidl

Uma mulher, com 60 anos, morreu ao final da manhã de hoje na sequência de …

João Paulo Albuquerque acusa PS por não concluir IC6, pelo menos, até 2030

João Paulo Albuquerque considera que o IC6 não é uma prioridade, mas sim uma necessidade …