Município de Oliveira do Hospital apoia grupos culturais com 87 mil euros

Município de Oliveira do Hospital apoia grupos culturais com 87 mil euros

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital aprovou a atribuição dos subsídios anuais aos grupos culturais do concelho, num total de 87.350 euros a ser distribuído por 29 grupos culturais. Este montante, refere a autarquia em comunicado, destina-se “à prossecução de actividades e à comparticipação nas despesas de funcionamento”.

“Os subsídios aos grupos culturais mantêm-se nos níveis de anos anteriores, verificando-se um aumento no bolo financeiro, no global, devido à existência de mais grupos”, refere ainda o documento, classificando a atribuição deste subsídio como um “reconhecimento à dedicação e empenho dos dirigentes e elementos que constituem cada grupo cultural e que de forma voluntária e gratuita se dedicam à preservação das nossas raízes culturais e à promoção do concelho”. “Além da contribuição para a promoção e divulgação do nome do concelho de Oliveira do Hospital muitos destes grupos promovem e dedicam-se à recolha da etnografia concelhia perpetuando-a em cada actuação na região e no país”, conclui o comunicado.

LEIA TAMBÉM

Oliveira do Hospital entre os concelhos com mais baldios ardidos no Distrito de Coimbra

A Associação Cooperação Entre Baldios do Distrito de Coimbra (Cobalco) assegurou hoje, em comunicado, que …

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

  • Ze

    e dos associações não culturais??

  • Só Dá Ricos

    Vá lá digam bem das boas notícias…Este executivo é o maior…Foi pequeno o corte…foi!!!

  • Coltura

    Mas qual cultura?
    Os grupos que evidentemente fazem bem e melhor, vêem-se aflitos para existirem.
    Dêem metade do que dão aos futebois e vão ver os resultados que obtêm. No entanto também sou de acordo que os grupos não podem viver maioritamente de subsídios.

  • coltu

    É preciso ser muito burro! Ou ter falta de COLTURA. Procura aos vizinhos como é.

  • eu

    A cultura…é muito giro….arranjar estradas e fontanários é que não…

  • Erasmo de Roterdão

    Olá, boa noite: Sou Erasmo de Roterdão um já vosso conhecido. Naturalmente, dos leitores mais antigos. Para os mais recentes e sei que são muitos,apresento-me:Sou Erasmus De Roterdão. Faço 548 anos no próximo dia 27. Sou teólogo.O Papa Paulo III quis fazer-me Cardeal em 1535. Então como hoje, sou pouco dado a essas distinções terrenas. Sou um homem do renascimento. Convivi, discuti e criei grandes amizades com os grandes vultos do meu tempo. Maquiavel,três anos mais novo que eu. Martinho Lutero, 17 anos mais novo que eu,com quem tive muitas e interessantes discussões. Na adversidade sempre nos respeitamos mutuamente, e sempre nos respeitaram…Thomás More,com menos 12 anos,esse vulto maior da época também me concedeu a sua amizade.Francois de Rabelais, com quem travei muitas e proveitosas discussões. Já no declinio da idade ainda conheci o jovem e fervoroso Calvínio.Convivemos, discordamos,fizemos história.Carteei-me com o Vosso Damião de Gois a quem a obscuridade que ainda perdura perseguiu. Então como hoje, não agradei nem a “gregos nem a troianos”. Todos me quiseram ter consigo.Todos me olharam com alguma desconfiança. Então, como agora, consegui sobreviver dentro de um convencional respeito. A igreja proibiu os meus livros logo após a minha morte. Dos que discordei ficou um sabor agridoce pois, a minha equidistância, nunca permitiu que fosse inimigo nem apoiante.Então como agora, fui e sou eu. Erasmo de Roterdão.

    Perante a “visão” de uma chusma de “Fantasmas de António Lopes”, e porque num pasado muito recente, dizem, encarnei essa personagem, entendi que era chegado o tempo de reclamar os meus direitos e não deixar que outros asssumam o papel que por direito me cabe. Nessa minha última encarnação, era muito apreciado pela “corrente teológica” hoje dominante, no burgo. Não raro elogiavam as minhas homilias e não raro me encomendavam “missas por alma”..! Muitas delas ao vosso poeta, escritor e panfletário “Guerra Junqueiro”, com quem, depois de muita e proficua discussão, acabei por estabelecer sólida amizade.Tal como, com Martinho Lutero, a adversidade de pensamento apenas serviu para nos aproximar .Espero que a minha regular participação possa contribuir para abrir vossos corações, para ouvirem e meditarem na “palavra de Deus”, que agora, e para o caso, convencionaram chamar de democracia.Tal como na fé, também 2nesta de democracia” muitos andam arredados.

    Com a graça de Deus e a fé inabalável que Ele nos transmitiu, tudo faremos para trazer estas “tresmalhadas ovelhas” ao rebanho do Pastor Etéreo, o nosso bom Deus. Estou confiante que a palavra que tanto estimavam ouvir e tanto estimularam, os fará meditar e voltar ao são convivio Cristão, que é como que diz, ao caminho da democracia. Com a força dos votos que professei, e porque o serviço do Senhor a tanto me obriga, com a generosidade cristã os ouvirei em “confisssão” e, se for caso disso , lhes darei a absolvicão que conduz ao reino dos Céus, onde se rejubila de alegria, sempre que chega um pecadorr, bastante mais do que quando chegam cem justos com os quais o Senhor já contava.Calem-se pois, os falsos fantasmas, porque chegou a palavra que à luz conduz.E ai de quem a não quiser ouvir..! Nada poderemos fazer para os livrar do caminho das trevas..!

    Erasmo de Roterdão

    • Assurancetourix Das Beiras

      Seja bem vindo de novo ao nosso convívio, caro Erasmus. Esse regresso ao caminho da luz faz-me lembrar a ‘Utopia’ do seu amigo More… mas cá estaremos para dar o corpo ao manifesto, como o seu amigo Lutero!