Município de Oliveira do Hospital estreia-se no envio de faturas de água

 

Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, CTT e Caixa de Crédito Agrícola Mútuo assinalaram ontem o arranque oficial do novo sistema de faturação de água que, vai entrar em vigor, em janeiro de 2012.

Numa sessão simbólica de assinatura de protocolos entre as entidades – os CTT procedem à impressão, envelopagem e distribuição das faturas e a Caixa de Crédito vai centralizar o sistema de débito diretos – foi assim colocado um ponto final ao antigo modelo de faturação, que apenas possibilitava o pagamento da fatura de água na tesouraria do município, nos agentes locais de cobrança e por débito direto.

Uma situação que se revelava ainda mais penosa pelo facto de ao consumidor não ser remetida previamente a fatura a pagar, pelo que só tomava conhecimento do valor no ato de pagamento. Mais grave era o que acontecia com os consumidores adeptos da modalidade de débito direto que só sabiam o valor da fatura depois de o pagamento ser efetuado.

O novo sistema de faturação de água surge na sequência da modernização administrativa posta em marcha pelo executivo de José Carlos Alexandrino e que teve o seu momento alto aquando da inauguração do Balcão Único, no passado dia 7 de outubro. Por agora, a equipa municipal dá cumprimento ao prometido naquela data que consiste na entrada em vigor do novo sistema de faturação, continuando ainda a faltar o modelo online que está reservado para uma fase posterior.

Isto mesmo foi garantido ontem à tarde pelo presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que encara a modernização dos serviços como uma “marca” do seu mandato. “A Câmara Municipal é uma organização que se quer moderna e que tem o objetivo principal de servir os munícipes”, referiu José Carlos Alexandrino, certo de que com o novo sistema se está a colocar termo a “algumas irregularidades” e que passavam principalmente pelo não envio de fatura aos munícipes.

“A modernização administrativa é bonita mas tem custos”

Segundo contou, a partir de janeiro, vão passar a ser expedidas 11 mil e 200 faturas mensalmente, numa parceria com o grupo CTT que, em concurso público, ganhou o serviço de impressão e envelopagem das faturas.

Ainda que satisfeito pelo arranque do novo sistema de faturação, já comum na maioria das autarquias do país – “outras câmaras nesta área estão muito mais avançadas do que nós”, frisou – o presidente da autarquia não deixa de olhar aos aspetos menos positivos e que se traduzem num défice na ordem de um milhão de Euros.

“A modernização administrativa é bonita mas tem custos”, observou, contando que num esforço de poupança e rentabilização dos recursos o município vai deixar de imprimir e distribuir a conhecida agenda cultural, passando a programação mensal cultural a constar do verso da fatura de água.

Na sessão de ontem, resultou ainda o compromisso de o município disponibilizar um espaço do futuro mercado municipal e central de camionagem, para que ali possa funcionar o centro de distribuição dos CTT de Oliveira do Hospital. O objetivo, explicou Alexandrino, é de retirar os camiões do centro da cidade e devolver uma “maior tranquilidade” aos moradores.

“Satisfação e regozijo”, foram os sentimentos que Hernâni Santos responsável pelo grupo CTT transmitiu na hora da assinatura dos protocolos, entendendo estar em face de uma medida que “vai ser muito útil às populações”. “Para a Câmara também é um processo mais ágil e para os CTT é uma vantagem por potenciar esforços de entendimento dentro do concelho”, referiu, dando conta da total disponibilidade dos CTT para futuras parcerias com o município, realçando a vantagem de o grupo, através dos carteiros , “estar todos os dias em todo o lado”. Leitura de contadores, informação de anomalias são alguns dos serviços que Hernâni Santos entende que poderão vir a ser protocolados entre o município e os CTT.

Jorge Machado, administrador do Crédito Agrícola também apreciou a nova aposta do município que “vai ao encontro dos desejos da autarquia e dos munícipes”. O responsável valorizou igualmente o facto de a autarquia ter o Crédito Agrícola como parceiro na modalidade de débito direto. Uma parceria que, de acordo com o presidente da Câmara Municipal, decorre do resultado de um concurso a que concorreram outros bancos, sendo que a melhor proposta foi a que foi apresentada pela Caixa de Crédito Agrícola. “Foi um concurso absolutamente transparente. Há aproximação minha à Caixa de Crédito, mas não há qualquer tipo de favorecimento”, esclareceu.

Quem também teve a oportunidade de apreciar a entrada em vigor do novo sistema de faturação de água foi o diretor de departamento da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que encara o momento como “um passo de gigante que já deveria ter sido dado há uns anos”. João Mendes destacou o “entusiasmo” com que a equipa de José Carlos Alexandrino encarou este projeto dando assim cumprimento a “um imperativo legal”.

LEIA TAMBÉM

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

idosos

Idoso desaparecido em Trancoso

Os Bombeiros e a GNR estão a procurar um homem de 90 anos que foi …