Finanças alertam para e-mail fraudulento que está a circular na net

Municípios contra medida “repugnante” do fecho das Finanças

O fecho de várias repartições das Finanças, anunciado pelo Governo, é uma medida preocupante e repugante de acordo com declarações do presidente da Associação Nacional de Municípios.

Em declarações à TSF, Manuel Machado, da Associação Nacional de Municípios considera que a decisão do Governo de encerrar metade das repartições das Finanças é repugnante e que não se pode ficar a ver esta situação de forma impávida e serena.

“Estamos a assistir e não podemos assistir impavidamente à amputação de funções essenciais do Estado. É incompreensível esta cegueira administrativa que está a perturbar o país”, refere, considerando que a par do fecho de tribunais, no âmbito da reformulação do mapa judiciário nacional que “é preocupante, para não dizer repugnante, que se assista a uma liquidação daquilo que é o papel fundamental do Estado correspondente às necessidades das pessoas”.

Já Paulo Ralha, do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, afirma que as necessidades que o encerramento implica não poderão ser cumpridas no prazo fixado pelo Governo.

“Mesmo só a logística referente ao serviço de finanças” que implica a deslocalização dos trabalhadores, e o apetrechamento de material de escritório e tecnológico que esses funcionários vão precisar nos novos postos, “não estão assegurados e penso que em um mês e pouco não será possível alcançar”, indica.

noticiasaominuto.com

LEIA TAMBÉM

Vítimas dos fogos podem pedir indemnizações até Janeiro de 2019

As vítimas dos incêndios de 2017 que não tenham sido já indemnizados podem requerer, até …

Incêndio

Autarquias sem prazo para se substituírem aos proprietários que não limpem os terrenos

O parlamento aprovou hoje na generalidade dois projectos de lei do PCP sobre faixas de …