Mural coloca Oliveira do Hospital no roteiro nacional de arte urbana

Oliveira do Hospital é, por estes dias, motivo de curiosidade acrescida. Desde segunda feira que os artistas de arte urbana Odeith & Vile dão corpo a um mural de personalidades e monumentos. Um trabalho de qualidade evidente que “faz parar o trânsito” num dos principais acessos à cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANão estão a fazer nada a que já não estejam habituados, mas Odeith & Vile são por estes dias o centro das atenções em Oliveira do Hospital. Assim acontece, por aquela dupla de artistas estar, desde segunda feira, a dar corpo a um trabalho que salta à vista pela sua dimensão e qualidade. Trata-se da revitalização de um muro degradado, sito na Av. Dr. António Afonso Amaral, na Quinta da Lameira, que está dar lugar a mural de arte urbana, onde ganham destaque personalidades e monumentos da cidade.

O rosto de Manuel Cid Teles foi o primeiro a ganhar forma no mural, onde tem especial destaque o rosto de Francisco Correia das Neves, o cavaleiro de Oliveira do Hospital, Igreja Matriz, capela de Sant’Ana, monumento dos combatentes da Grande Guerra, a primeira bomba de gasolina em tempos existente no Largo Ribeiro do Amaral, bem como a centenária tileira. Um conjunto de imagens a que Odeith & Vile deram o merecido destaque, no âmbito de um desafio que lhes foi lançado pelo presidente da União de Freguesias de Oliveira do Hospital e S. Paio de Gramaços, Nuno Oliveira.

Associados à arte do graffiti, Odeith & Vile surpreendem em Oliveira do Hospital com um trabalho “mais clássico”. “ Tentámos dar um ar mais artístico à pintura”, referiu Odeith ao correiodabeiraserra.com que, na execução do mural, optou por respeitar o mais possível o conjunto de imagens que lhe foi apresentado, bem como o seu enquadramento. “Não é um graffiti tão rude e colorido”, explica aquele especialista, considerando tratar-se de arte urbana e não de um graffiti convencional, onde a cor e o traço arrojado ganham especial dOLYMPUS DIGITAL CAMERAestaque.

Conhecida pela sua preocupação em dar vida nova a espaços degradados, a dupla Odeith & Vile aplaude aquela que foi a iniciativa da União de Freguesias. “Isto estava muito maltratado”, referiu Odeith que atendendo ao local onde o muro está situado, na entrada da cidade, considera que o mesmo era merecedor de uma intervenção digna. A ideia de ali se dar destaque a personalidades e monumentos é, também por isso, do agrado dos artistas.

Autor de vários murais, entre os quais o de Eusébio, na Cova da Moura, executado por ocasião do seu falecimento, Odeith tem um longo percurso na área do graffiti e arte urbana. Um trabalho que executa desde novo – pelo meio também foi tatuador – com a companhia de Vile, e que resulta de um lado artístico que souberam explorar e que foram aperfeiçoando ao longo dos anos. “Somos autodidatas”, referiu Vile a este diário digital.

Com forte presença em vários pontos do país e no estrangeiro, onde têm sido convidados para participar em festivais de arte urbana e contratados para a realização de trabalhos – no Dubai executaram um trabalho de ilusão de ótica no chão – Odeith & Vile regozijam-se pela aceitação ao graffiti e arte urbana. Isso mesmo têm verificado em Oliveira do Hospital, onde se têm multiplicado as manifestações de agrado ao trabalho que está a ser desenvolvido. “Muita gente nos saúda e buzina”, disse satisfeito Odeith, contando que têm sido vários os automobilistas a reduzir a velocidade e até a parar naquela que é uma das mais movimentadas artérias da cidade de Oliveira do Hospital

LEIA TAMBÉM

Detidos incendiários em Viseu, Vouzela e Tondela

A Polícia Judiciária deteve um homem, de 41 anos, casado, servente de pedreiro, pela presumível …

IMT vai recorrer de decisão que declarou ilegal fecho de centro de inspecção automóvel de Seia

O Instituto de Mobilidade e Transportes (IMT) anunciou que vai recorrer das decisões judiciais que …

  • oliveirense

    Muito bom mesmo, excelente trabalho… Foi pena o Henrique não fazer parte, será sempre um símbolo de Oliveira…