A construção de uma boa Piscina (coberta e aquecida) na Cordinha – anexa à Escola Básica Integrada - é uma proposta e uma reclamação que o PCP e a CDU tomaram a...

Na Cordinha, piscinas são uma necessidade, não são um luxo

… iniciativa de levar, pela primeira vez, aos Órgãos Autárquicos Municipais e, também, à Assembleia da República nesta em sede da discussão anual do Orçamento de Estado. Isto também não quer dizer que ainda seja uma proposta apenas do PCP e da CDU pois mais Gente considera ser importante e necessária a construção de uma Piscina na Cordinha.

O problema é, mais uma vez, a falta de visão estratégica por parte de quem subestima o assunto da Piscina no contexto, e acaba por não tomar (ou por impedir ) a decisão estrategicamente mais conveniente.

A Cordinha, com os seus 3 300 eleitores nas suas três Freguesias – Ervedal, Vila Franca e Seixo – já tem razoáveis Escolas, tem uma Creche, um Centro de Dia e um Lar de Idosos. Tem duas Extensões de Saúde (embora com alguns problemas). Está agora a ser recuperada a estrada principal. Tem duas ETAR´s, espera pela terceira e, no quadro geral do Município, está para chegar a água da Serra à rede pública. Quer isto dizer que a Cordinha está já razoavelmente apetrechada em infra-estruturas para uso público e social. Portanto, é mais do que tempo para se instalar mais.

Portanto, a construção de uma boa Piscina Pública – Municipal ou do Governo central – anexa à EBI, Escola Básica Integrada da Cordinha, é um equipamento social legitimamente necessário. Por isso, não será um luxo, antes um direito básico. Para as Crianças e Jovens; para os Idosos e População em geral.

Dir-se-á que custa muito (?) dinheiro. Claro que de graça não é de certeza… Mas, afinal, quanto custaram já “só” as quatro rotundas enfeitadas com conjuntos escultóricos, dentro da área urbana da Cidade? Pois, pois, custaram na ordem de um milhão de Euros… E a ainda por cima deficiente recuperação do Mandanelho, essa custou três milhões de Euros. Agora mesmo, terá custado, à Câmara, 400 mil Euros o relvado “sintético” no campo de futebol de uma Freguesia contígua à Cidade. E quanto já custou a Praia Fluvial de Avô nas suas várias e sucessivas intervenções a cargo da Câmara Municipal ? Muita massa…

Quer dizer:- a Cordinha e a sua População têm que ser avaliadas e consideradas de forma mais justa, e têm que ser estrategicamente mais valorizadas por parte da Câmara Municipal e do Governo. De outra forma, a População da Cordinha está a ser objectivamente prejudicada tendo até em conta outras zonas do Concelho. Ora, isto não pode continuar assim ! Para mudar, para melhor, podem contar com o PCP e a CDU.

Os Vales, quase perdidos, do Mondego e do Seia

Por mais do que muitas vezes têm já o PCP e a CDU chamado a atenção para o mau estado da situação nestas zonas ( Cordinha).

Começando pela “crónica” poluição das águas e pela vasta desflorestação provocada pelos sucessivos incêndios florestais. Continuando pela ausência de uma boa estrada (asfaltada) de penetração no Vale do Mondego, perto do rio, entre a Ponte da Atalhada e Seixo ou Felgueira Velha, e pela extracção ilegal de areias e outros inertes. Chegando à acelerada erosão das vertentes do Mondego e do Seia e à ruína dos muros e socalcos aí construídos pela mão (dorida…) de várias gerações.

Portanto, nestas matérias, têm sido constantes e diversificadas as intervenções dos representantes do PCP e da CDU, a propor e a reclamar, a quem de direito, projectos e medidas urgentes. Medidas e Projectos realmente estratégicos para a Cordinha e sua População. Porém, só de vez em quando é que se junta a nós a voz de um ou outro representante de outra(s) força(s) política(s).

Ainda recentemente, durante as abordagens que se fizeram aos “Planos Estratégicos” (QREN e PRODER) para 2007 – 2013, também nessas ocasiões os representantes do PCP e da CDU voltaram a fazer propostas de obras e outras intervenções estratégicas nesse âmbito. E fizeram-no sempre com o objectivo de melhorar muito a situação de grave desleixo oficial que se verifica quanto ao Vale do Mondego e ao Vale do Seia. E desleixo tem havido e há quer por parte do Município quer por parte dos vários (des)governos centrais e desde há já vários anos a esta parte. Aliás, PS, mais PSD e CDS/PP têm votado contra, e assim chumbado, as propostas concretas que o PCP tem apresentado na Assembleia da República e que visam dotar com algumas verbas do Orçamento de Estado, por exemplo, a despoluição do Mondego, do Seia e do Cobral. E a CCDRC e o Ministério do Ambiente também não têm querido intervir, como se exige, para suster a delapidação paisagística e ambiental provocada pela extracção ilegal de areias e outros inertes.

Por sua vez, a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital “simplesmente” tem feito orelhas moucas aos sucessivos apelos e às múltiplas propostas concretas que por aqui se lhe têm feito e também já desde há vários anos. Nem sequer se tem preocupado em salvar e preservar o vetusto Castro do Vieiro ou impedir a plantação, provavelmente ilegal, de eucalipto nas vertentes do Mondego…

Ou seja, PS, mais PSD mais CDS/PP e as suas políticas de direita são já os maiores responsáveis pelo mau estado geral e pelo abandono institucional do Vale do Mondego e do Vale do Seia.

Ora, nós que somos daqui, que aqui queremos continuar e com qualidade de vida, nós temos direito a mais e melhor consideração por parte de quem governa. O problema é que com PS, mais PSD mais CDS/PP é o que se tem visto ( e sofrido…). Por isso, se nós queremos outras estratégias – mais eficazes e mais justas para a nossa Região – é necessário reforçar a força política e eleitoral do PCP e da CDU. Acreditem que este é o melhor caminho.

João Dinis
Autarca da CDU – Oliveira do Hospital

LEIA TAMBÉM

Batalha de Aljubarrota – A Real Batalha – 14 de Agosto de 1385 – Faz 632 Anos. Autor: João Dinis, Jano

Viva Portugal !  Livre, Soberano e Independente !!!  Viva ! Sim, a 14 de Agosto …

DE SEDENTÁRIO A ATLETA……..NUM AI !!! Autor: Luís Marques

Do 8 ao 80, é este o comportamento da maior parte das novas adesões ao …