“Não diga que isto é problema dos jornais porque senão voltávamos à Idade Média e quando não se gostava da notícia, matava-se o mensageiro”

A afirmação é do deputado municipal do PS, Rodrigues Gonçalves, e foi proferida na última sessão da Assembleia Municipal, dia 20, a propósito daquilo que o deputado do PS classificou como as “quezílias entre o senhor presidente da Câmara e os seus funcionários”.

Numa referência implícita à forma como o autarca do PSD vem lidando com o caso de Isilda Cordeiro – a funcionária da câmara municipal que este ano foi aposentada compulsivamente e tem agora vários processos no Ministério Público contra Mário Alves e funcionários da câmara –, Gonçalves apelou ao chefe do executivo camarário no sentido de “não agudizar os conflitos” porque – conforme sublinhou – “o senhor presidente deveria comportar-se como um exemplo a seguir porque há muitos olhos postos em si”.

“Se o meu amigo cá estivesse, já estava a ver como era o funcionamento da casa. Ainda bem que em 1993 o povo de Oliveira do Hospital decidiu como decidiu”, retorqui Mário Alves, salientando que a sua postura representa “a coragem para tomar decisões”.

LEIA TAMBÉM

Líder parlamentar do PSD questiona António Costa sobre a reconstrução das casas afectadas pelos incêndios.

O líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, pediu ontem explicações ao primeiro-ministro sobre o reduzido número …

Presidente da Câmara de Oliveira do Hospital garante verba ainda desconhecida para reconstrução das segundas habitações depois de questionado pelo vereador do PSD

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, disse hoje que …