“Não nos deixaremos abater”, avisa o líder do PSD

Cai assim por terra a hipótese de José Carlos Mendes se candidatar por uma lista de independentes.

 

“Como somos reconhecidamente social-democratas convictos e responsáveis, e acreditamos nas virtualidades do sistema democrático e judicial, decidimos ir até ao fim neste processo. Estamos convictos de que a razão está do nosso lado”, refere uma nota de imprensa enviada esta madrugada ao correiodabeiraserra.com, por aquela estrutura partidária, que reuniu na noite passada com o objectivo de anunciar uma decisão sobre as próximas eleições autárquicas.

“Brevemente os militantes, simpatizantes e oliveirenses em geral poderão constatar das validade dos nossos argumentos”, sublinha ainda aquela nota, que adianta também que a concelhia do PSD vai manter-se em funções porque “legitimamente” continua a “deter competências para exercer o cargo”.

Assim sendo – frisa o PSD local –, “o único objectivo desta batalha jurídica é repor a legalidade no partido, permitindo que esta estrutura conduza com rigor e transparência todo o processo autárquico de 2009”.

Ainda segundo aquele comunicado enviado à imprensa, a CP social-democrata alega que “paralelamente a este processo jurídico”, do qual prevê um “desfecho favorável”, tudo irá fazer para que, “dentro do PSD, se consigam as melhores equipas”.

“Não nos deixaremos abater”

De resto, José Carlos Mendes assegura que a concelhia oliveirense “continua indignada face à actual actuação discricionária” da distrital do PSD e acusa aquele órgão de “persistir no erro de se sobrepor à CP de Oliveira do Hospital e à vontade expressa pela maioria dos militantes”.

Alegando que a “vontade cega” da distrital laranja “de tudo querer fazer, sem olhar a meios, para agradar ao poder instalado, já trouxe consequências práticas, uma vez que este órgão viu-se na contingência de ter de anular a decisão tomada”, quando recentemente realizou uma nova eleição interna para escolher o candidato do partido, a CP do PSD de Oliveira do Hospital sustenta que “este facto, por si só, é demonstrativo da impreparação, parcialidade e displicência expressas na condução deste processo”.

Numa altura em que a candidatura de Mário Alves já foi ratificada pela comissão política nacional, a concelhia liderada por José Carlos Mendes volta a insistir que “apesar de aparentemente ser corrigido esse erro, é um facto que persistem outras irregularidades graves que viciam e adulteram os princípios estatutariamente definidos”.

Colocando agora completamente fora de questão a hipótese da sua candidatura por uma lista de independentes, Mendes promete assim ficar aquartelado na sede do PSD para travar esta “batalha jurídica”, que não se sabe nem como nem quando terminará.

“Não nos deixaremos abater”, avisa no entanto o líder do PSD oliveirense, antevendo contudo – numa inequívoca referência a Mário Alves e Paulo Rocha – “quão difícil é exercer um cargo contando sistematicamente com o afrontamento por parte de alguns que desejam em exclusivo a manutenção no poder a todo o custo”.

LEIA TAMBÉM

“Não reúno condições objectivas que reputo de indispensáveis, necessárias e até obrigatórias, a uma candidatura à Câmara Municipal”

O ex-presidente da Assembleia Municipal de Oliveira, António Lopes, não se irá candidatar nas eleições …

Fernando Tavares Pereira é o candidato do PSD a Tábua

Fernando Tavares Pereira vai ser o candidato à Câmara Municipal de Tábua informa o portal …