Um forte cheiro a esgoto nalgumas zonas da cidade levou o Correio da Beira Serra a visitar a nova ETAR, que apesar de ter arrancado há sensivelmente ...

Nova ETAR arrancou de forma deficiente

…um mês teve logo vários problemas.

O processo de arranque da nova Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Oliveira do Hospital – uma infra-estrutura da empresa Águas do Zêzere e Côa (ADZC) que entrou em funcionamento há sensivelmente um mês –, não decorreu da melhor forma e nalgumas zonas da cidade começaram até a ser comuns os maus cheiros provenientes daquela nova ETAR.

O correiodabeiraserra.com esteve no local e constatou que o facto de aquela estação não estar ainda a funcionar em pleno, acabou por gerar vários problemas ambientais. Pois, para além do mau cheiro, os efluentes – uma água muito escura, quando é suposto sair cristalina – estão a ser encaminhados para o ribeiro de Cavalos da forma que os vídeos documentam.

Uma fonte da empresa ADZC, que pediu para não ser identificada, revelou a este diário digital que aquela ETAR apenas tem “uma linha em funcionamento”, porque a CERTIEL – Associação Certificadora de Instalações Eléctricas, “ainda não fez a vistoria à linha de alta-tensão” que irá reforçar o fornecimento de energia à ETAR. Quando esse passo estiver dado – garantiu a mesma fonte – a ETAR “passa a ter energia para colocar as duas linhas a trabalhar” e os problemas “ficam sanados”.

Contudo, a fonte do CBS online salientou que esta situação decorreu também de “descargas ilegais que estão a ser efectuadas na rede”, já que – conforme sustenta – se aquele equipamento “estivesse só a receber o caudal da antiga ETAR, já desactivada, estes problemas não aconteciam”.

Salientando que esta “é a melhor ETAR que a empresa tem no Mondego superior”, a mesma fonte sublinhou também que aquela infra-estrutura está “completamente informatizada” e é possível verificar as “descargas ilegais através das análises”. Programada para um horizonte temporal de cerca de “40 anos”, aquele equipamento terá ainda “um período de afinações” e, quando estiver a funcionar na sua plenitude, “os problemas desaparecem, porque a água tem que sair completamente cristalina”, garantiu a mesma fonte.

Situação está controlada

A vistoria realizada a semana passada pela Direcção Regional de Economia do Centro já possibilitou à AZC colocar as duas linhas eléctricas da ETAR em funcionamento, pelo que o problema detectado por este jornal já começou a ser resolvido.

Contactada pelo CBS, Marta Alçada da AZC referiu que “a situação está controlada” e que a falta de capacidade de resposta da nova ETAR se deveu – para além de o equipamento não estar a funcionar em pleno – “a descargas ilegais feitas na rede por uma queijaria”.

Entretanto, a mesma fonte também adiantou a este jornal que a rede de abastecimento de água está praticamente pronta, encontrando-se a AZC a proceder às ligações finais.

Henrique Barreto/ Liliana Lopes

 

 

 

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …