Nova presidente da ARCIAL sonha com piscina de hidroterapia e ambiciona lar residencial

Assumiu o novo cargo num ambiente próprio de uma verdadeira “passagem de testemunho” e, logo, fez questão de partilhar as suas ambições para a instituição, para onde entrou há mais de 20 anos como professora.

A construção de uma piscina para hidroterapia está entre os “sonhos” de Rosa Neto que, também ambiciona avançar com a construção de um lar residencial. Decidida em dar continuidade ao trabalho realizado por anteriores direcções, a sucessora de Arménio Rodrigues garante que é seu objetivo seguir “os melhores passos”, sempre com o desígnio de abrir a instituição à comunidade e de acabar com o estigma de que a ARCIAL “é uma instituição dos meninos deficientes”. “Eles são tão capazes como nós, são é corredores mais lentos”, afirmou Rosa Neto, aludindo aos corredores que participam nas corridas de passagem de testemunho.

O período de contenção que afecta toda a população não deixa, também, de preocupar o novo rosto da ARCIAL que, ao mesmo tempo, se mostra destemida para seguir em frente. “Estamos com expectativa de que as coisas vão correr bem”, realçou, destacando a necessidade de colaboração de todas as partes, em especial da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e do poder central.

Mãe de um jovem portador de deficiência que frequenta a ARCIAL, Rosa Neto elogiou o trabalho que vem sendo desenvolvido por toda a equipa que integra a instituição e onde acima de tudo existe “calor humano”. Para o efeito, a nova presidente destacou o empenho manifestado há 30 anos por aquela que foi a primeira presidente da ARCIAL, Teresa Serra e que, desde sempre se tem preocupado com o futuro daquela resposta social.

“Não vim à procura de protagonismo, nem vim para me promover”

Na hora da passagem do testemunho, Arménio Rodrigues regozijou-se pelo facto de a ARCIAL, em 16 anos, só ter sido notícia “por boas razões”.”Porque projectámos, porque inaugurámos, modernizámos e melhorámos”, referiu, garantindo deixar a instituição com a “mesma simplicidade” com que entrou.

“Não vim à procura de protagonismo, nem vim para me promover”, sustentou Arménio Rodrigues, destacando que todo o trabalho que realizou só foi possível com o contributo dos órgãos sociais da ARCIAL, dos organismos do poder central – “no governo de Sócrates houve uma revolução ao nível dos equipamentos sociais”, referiu – das autarquia de Oliveira do Hospital e Tábua e dos colaboradores da instituição. Neste domínio, Arménio Rodrigues fez questão de vincar o apoio dado pelo executivo oliveirense liderado por Mário Alves. “Os anos de maior desenvolvimentos da ARCIAL coincidiram com a presidência de Mário Alves, que nunca regateou apoio à ARCIAL”, afirmou, sublinhando que também o novo executivo presidido por José Carlos Alexandrino “já deu provas de que apoia a ARCIAL”.

Sem deixar de recordar o empenho de cada uma das anteriores direções, Rodrigues congratulou-se pelo aparecimento de uma lista candidata à direção da ARCIAL, já que o próprio se mantinha no cargo há 12 anos por falta de listas candidatas.

Apesar da obra que ajudou a erigir, o antigo presidente da ARCIAL frisou que “não há momentos ideais para sair, porque as coisas nunca estão terminadas”.

“Fecha-se um ciclo de um trabalho extraordinário e de uma equipa fantástica”

Apesar de se mostrar confiante na capacidade de trabalho da equipa que, ontem, tomou posse, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital não deixou de apreciar a obra feita pela anterior direção.

“Fecha-se um ciclo de um trabalho extraordinário e de uma equipa fantástica”, afirmou José Carlos Alexandrino, reconhecendo que o momento em que estava a participar seria “difícil” para o presidente que cessava funções. “Ele construiu e quando olha para estes jovens e instalações sente-se feliz”, frisou o autarca, que fazendo uso da sua experiência de treinador, sublinhou que “alguns jogadores que continuam com a atual direção vão ajudar a marcar golos em prol dos jovens deficientes”.

Conhecido de Rosa Neto desde os tempos de estudante, Alexandrino valorizou a atitude da nova presidente ao constituir uma lista candidata à direção da ARCIAL. “Deu um exemplo de que gosta da instituição”, observou o autarca, verificando que Neto tem “um desafio difícil”, mas que “é na altura dos tempos difíceis que somos capazes de nos superar e de fazer melhor”.

À nova direção, Alexandrino deixou ainda garantias de que “dentro das disponibilidades, o município está disponível para ajudar a ARCIAL, porque quando se faz um trabalho de excelência temos que ter a clareza e a visão para dizer que podem contar com o dinheiro da autarquia”.

O presidente da Câmara não deixou ainda de apreciar o papel desempenhado pela sócia número da ARCIAL, Teresa Serra. “A senhora é um exemplo para muita gente e para o meu concelho de como as pessoas se podem dedicar a causas”, afirmou Alexandrino, considerando Teresa Serra “uma grande mulher”.

LEIA TAMBÉM

ANCOSE ajuda a salvar queijo Serra da Estrela com reforço dos rebanhos

A Associação Nacional de Criadores de Ovinos Serra da Estrela (ANCOSE) reforçou os rebanhos dos …

Autarcas avançam para tribunal para travar fecho dos CTT nas Beiras e Serra da Estrela

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) anunciou hoje que vai avançar …