Fui há dias ao lançamento de uma revista feita por jovens da Escola Secundária.

Novas Gerações

 

Confesso que fiquei surpreendido com a nova geração que promete a prazo modificar a mentalidade do Concelho.

O André, o João, a Beatriz, a Bárbara, o Renato ou a Vera são jovens, que já conhecia ou que conheci nesse dia, que me dão a esperança de que algo está a mudar. Tenho conversado mais com o André e com o João que me impressionam pela vontade de reflectirem, estudarem e participarem.

Cada um anda a criar o seu Mundo de sonhos e utopias e como fico reconfortado em ouvi-los! Procuram cultivar-se, têm já uma cultura acima da média e encontro neles uma vontade enorme em participarem, inconformados e críticos sobre o que os rodeia.

Em Portugal, há hoje quem só reivindique direitos sem cumprir os seus deveres. Estes já pertencem à geração consciente de bons alunos e de jovens participativos com consciência cívica.

Não tenho dúvidas de que os filhos do 25 de Abril criarão um Portugal e um concelho, mais próspero mais consciente, menos demagogo, menos deprimido e menos corporativo.

Se percorrermos as Universidades portuguesas ou estrangeiras é essa geração até aos 30 anos que todos os dias vemos a ser premiada pela sua superior capacidade na investigação, na inovação ou na criatividade.

Hoje, temos laboratórios de investigação do melhor que há no Mundo, onde a média de idade é inferior aos 30 anos, temos jovens que se apresentam no festival de Veneza e ganham a Palma de Ouro, assistimos permanentemente a jovens cientistas a serem premiados internacionalmente.

Recordo que quando era jovem assisti a uma festa em Coimbra porque o Prof. Veiga Simão tinha chegado dos Estados Unidos doutorado em física atómica. Hoje, felizmente muitos jovens são doutorados nas melhores Universidades do Mundo.

Acompanho com entusiasmo esta viragem e sei, porque conheço a história universal, que a cada mudança brusca corresponde sempre um salto em frente para a humanidade.

Ver que no meu Concelho começa a aparecer um grupo de jovens não conformados, inteligentes a saírem do seu egoísmo, a gostarem de discutir o Mundo é uma enorme alegria e motivo de esperança.

É um embrião que espero se multiplique. A sementeira começou e aguardo que todos contribuam para que ela seja fértil.

O Prof. Albano está de parabéns, bem como alguns dos professores que lá estavam a acarinhar esta brilhante iniciativa, que vale muito para além das aulas e da escola.

Era fundamental que o poder instituído no Concelho desse prioridade à motivação destes grupos que fazem a diferença. O Concelho bem precisa de uma viragem de motivações e empenhamento. Era importante interligar a escola com o politécnico e criar uma dinâmica de alteração de mentalidades.

Sei que estes jovens, que já estão a demonstrar o seu valor como cidadãos, poucos farão a sua vida profissional no Concelho dado que aqui não existe uma dinâmica para acompanhar o Mundo.

Por enquanto vamo-nos entretendo a aumentar passeios e a criar silos subterrâneos para automóveis ou a fazer lajeados para impermeabilizar solos e aniquilar árvores frondosas.

Espero que, se nós não conseguirmos inverter esta situação ao menos que estes jovens quando chegarem a adultos o consigam fazer.

António Campos
Ex-Eurodeputado do PS

LEIA TAMBÉM

A Conta Solidária de Apoio às Vítimas dos Incêndios Florestais. Autor João Dinis (Jano)

Conta Solidária de Apoio às Vítimas dos Incêndios Florestais (de 15 de Outubro de 2017) …

“Alucinações políticas” autárquicas …em Oliveira do Hospital.

Recentemente saltaram mais uns casos da gestão municipal prática que mais parecem frutos de “alucinações …