Novo presidente tomou posse com a ambição de “transformar Oliveira do Hospital numa terra de oportunidades” (veja os vídeos)

Foi perante um salão repleto de pessoas que José Carlos Alexandrino discursou esta tarde na condição de presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital.

Já empossado no cargo para o qual foi eleito, o novo autarca de Oliveira do Hospital colocou as pessoas e a qualidade de vida no topo das suas preocupações e comprometeu-se em lutar contra as “desigualdades e a contra a pobreza, sobretudo a pobreza sem voz que é a dos mais idosos”. E é também neste primeiro eixo que José Carlos Alexandrino inclui a sua preocupação em matéria de educação.

Num eixo imediatamente a seguir, o novo presidente insere aquela que foi a principal bandeira em período de campanha eleitoral: o combate ao desemprego e o desenvolvimento empresarial. “Esta é a minha principal preocupação”, sublinhou o presidente eleito pelo Partido Socialista verificando que “ o desemprego tem aumentado assustadoramente e a alternativa de emprego não existe”.

Nesta matéria, e em nome da equipa que lidera, o presidente dos oliveirenses revelou-se empenhado na “criação de condições de ajuda às empresas que lutam com dificuldades” e apostado no apoio à instalação de novas unidades. Referiu-se, concretamente, às medidas que pretende levar a cabo no domínio das zonas industriais, destacando a criação de uma nova zona empresarial com características diferentes.

Enquadrou neste domínio, a importância da ligação à Universidade de Coimbra e à ESTGOH, com vista à criação de equipas multidisciplinares de investigação.

Com o saneamento básico a constar dos eixos principais do programa do novo presidente, José Carlos Alexandrino não deixou também de colocar a ênfase no Turismo e nos projectos que tem em carteira para a sua promoção.

Destacou a “aposta clara” na criação de uma Agência de Desenvolvimento do vale do Alva e Alvôco, numa lógica intermunicipal.

Também os vales do Mondego e do Seia estão entre os projectos do novo executivo que, pretende “potencializar” o património arqueológico do município.

A defesa e a promoção da cultura oliveirense são outros dos objectivos do novo executivo.

“Convosco quero inaugurar uma forma de trabalho mais leal…”

 

Aos 21 presidentes de Junta eleitos, José Carlos Alexandrino dirigiu palavras de “apoio total”, e falou da urgência da criação de uma “nova forma de relacionamento entre a Câmara e as Juntas de Freguesia”.

“Convosco quero inaugurar uma forma de trabalho mais leal, mais igual, mas também mais responsável”, referiu o presidente do município, apelando a uma “relação frontal, com deveres e direitos bem delineados”.

Sem deixar de assegurar aos eleitos da Assembleia Municipal que será “um presidente de porta aberta”, e de deixar uma palavra de “apreço e confiança” aos funcionários municipais, Alexandrino sublinhou a importância do “rigor, transparência e verdade” no domínio das contas públicas.

Rematou com a constatação de que tem pela frente a “clara ambição” de “transformar Oliveira do Hospital numa terra de oportunidades, de sonho e de futuro”.

António Saraiva elogiou presidente cessante e Mário Alves não escapou à “vaia”

Apesar de o presidente cessante da Assembleia Municipal, António Simões Saraiva, não se ter poupado na hora de dirigir elogios ao presidente da Câmara cessante e ao que esta tarde tomou posse, Mário Alves acabou por ser alvo de uma vaia. Em pleno Salão Nobre da Câmara Municipal, o autarca cessante acabou por ouvir várias vozes de protesto que se misturavam entre tímidos aplausos.

“Seria ingrato e cego se não dissesse que Oliveira do Hospital é uma terra feliz e com sorte, porque deixa um extraordinário presidente de Câmara que cessa funções e, tem já outro à medida e da mesma categoria que já deu muitas provas e que, certamente, deixará o seu nome no futuro que há-de vir”, referiu António Simões Saraiva, que falou da necessidade de o povo “agradecer a Mário Alves tudo o que deixa feito”. “É uma obra útil e não de fachada”, continuou Simões Saraiva interrompido pela “vaia” dirigida ao presidente cessante.

O acto acabou por merecer a desaprovação de Saraiva que se posicionou contra os “uivos”. Sobre José Carlos Alexandrino, o até então presidente da Assembleia Municipal sublinhou a sua bondade, a “capacidade de diálogo” e destacou a “obra social” que desenvolveu em Ervedal da Beira.

Numa alusão ao trabalho desenvolvido por Alexandrino no Agrupamento de Escolas da Cordinha, Saraiva destacou a sua “invulgar capacidade de gestão”. E de dedo indicador apontado na direcção de José Carlos Mendes, Simões Saraiva lembrou ao presidente empossado que tem ao seu lado “quem muito” o pode ajudar.

Na sessão realizada esta tarde, António Simões Saraiva empossou os restantes elementos que integram o executivo de Alexandrino, bem como os 43 eleitos para a Assembleia Municipal. Por esta altura decorre a votação para a constituição da Mesa da Assembleia Municipal, com os trabalhos a serem comandados por António Lopes, o candidato mais votado nas últimas eleições. Depois de um empate obtido pelas duas listas a votação – António Lopes e José António Madeira Dias são os candidatos – procede-se por esta altura à votação uninominal.

LEIA TAMBÉM

SONAE (Ai – Ai …) Ou em como o “ouro” de uns é o nosso prejuízo!

CDU vê aprovado na Assembleia da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira voto de protesto contra falta de apoio das autoridades às vítimas dos incêndios

O eleito da CDU na Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ervedal e …

Nova liderança da JSD de Oliveira do Hospital quer colocar problemas dos jovens na agenda política local

Virgílio Salvador, de 26 anos, foi eleito no domingo presidente da Juventude Social Democrata de …