O cão Serra da Estrela está a conquistar clube de amigos pelo mundo

O cão Serra da Estrela está a conquistar clubes de amigos pelo mundo

Os dias de hoje já não têm as exigências de outros tempos. Os lobos foram-se. Os pastores diminuíram. Mas os que existem não dispensam a companhia do cão Serra da Estrela, uma raça natural de Portugal e da região montanhosa com o mesmo nome. Ajuda-os na segurança e a guardar os rebanhos. Este animal continua a ser um ícone da região. E, por isso, é um dos elementos com lugar de destaque nas feiras do queijo da Serra da Estrela que pelo mês de Fevereiro se realizam por vários concelhos da região.

Mas aquilo que este animal foi perdendo com o desaparecimento dos rebanhos de ovelhas e lobos, ganhou como animal de estimação. A sua beleza, forte estampa física, carácter forte, lealdade, paciência, a forma afável para com as crianças e deficientes, além da segurança que oferece aos seus proprietários, estão a granjear-lhe cada vez mais fama, principalmente além-fronteiras. A difusão via internet dá a conhecer as suas qualidades nos cinco continentes. Os espanhóis, então, encontraram neste animal uma forma de proteger os seus haveres. “Estão cada vez mais interessados, porque, ao contrário dos seus cães, o Serra da Estrela é o único que persegue e mata o lobo em combate”, conta o presidente da Liga dos Criadores e Amigos do Cão da Serra da Estrela, João Amaral.

Este cão corpulento, de características muito específicas, já tem mitos clubes de amigos. Desde Espanha, aos países nórdicos, passando pelo Canadá e Estados Unidos. “O Serra da Estrela é um cão muito inteligente e com uma independência forte. É robusto, mas não é agressivo, embora saiba definir muito bem o seu território e é um protector nato”, conta Suzette Veiga, uma suíça apaixonada por esta raça que se estabeleceu em Manteigas, em 1975. Desde essa altura passou a criar estes animais de pura raça na Quinta de São Fernando. “Tenho muitas encomendas do estrangeiro. Metades das vendas já são para países como Espanha, França, Inglaterra, países nórdicos [como a Suécia e Finlândia], Canadá e Estados Unidos e até mesmo para o Brasil. A outra parte fica em Portugal”, frisa.

Uma cria Serra da EstrelaSuzette Veiga diz que a procura por parte dos estrangeiros está a aumentar, porque com a internet vão conhecendo as qualidades “deste animal único”. Ímpar porque desenvolveu as suas qualidades naturalmente. “Permanecia sempre com as ovelhas, enquanto o pastor se afastava para ir à aldeia, o que lhe permitiu fortalecer um carácter independente e transformar-se num excelente cão de guarda. Isto facilitou-lhe a adaptação aos dias de hoje, em que tem de esperar sozinho, guardando a casa e o jardim, até que os donos regressem do trabalho no fim do dia”, diz.

Mas deixa um apelo: as pessoas que adquirirem um cão destes devem ter um espaço amplo, como um jardim grande ou uma quinta. “O Serra da Estrela precisa de exercício. É um crime colocar um animal destes num apartamento”. Explica que um macho chega aos 74 cm de altura e um peso a rondar os 60 quilos. O preço ronda os 500 euros, já com Pedigree, um certificado que atesta a pureza da raça, com os seus ascendentes registados no LOP (Livro de Origens Português), além do “microchip” definitivo e desparasitação e primeiras vacinas.

O presidente da Liga dos Criadores e Amigos do Cão da Serra da Estrela também considera este animal “excepcional”. “É muito dócil, mas tem um sentido de defesa do seu território muito apurado e dificilmente deixam que um estranho se aproxime da periferia do rebanho. Mas está provado que também permite que um estranho entre na propriedade do dono, sem lhe causar qualquer problema. Não o deixa é depois sair sem vir acompanhado por alguém da casa”, explica João Amaral, assegurando que se trata de um animal que mostra verdadeira compaixão. “Tem uma percepção inata de protecção em relação às crianças e aos deficientes. Só ataca em casos extremos, quando lhe violarem o território e o ameaçarem”, conta. “É uma raça natural é ele que nos mantém tranquilos e não o contrário”, remata.

 Cuidados a ter:

• Ter espaço para que faça exercício, quanto mais amplo melhor.

• Convém controlar o peso regularmente, se necessário no veterinário.

• O pêlo deve ser escovado de vez em quando para realçar a beleza do cão. A escovagem regular até reforça os laços entre o dono e o cão.

• O Cão da Serra da Estrela necessita de um espaço suficiente para se movimentar à vontade e o dono deve ter algum tempo disponível para dedicar ao animal.

• Os cachorros devem ser entregues a partir da oitava ou nona semana, desparasitados, vacinados, com microchip e devidamente registados no LOP (Livro de Origens Português).