O misterioso funcionamento da Fundação Dona Maria Emília Vasconcelos Cabral

O estranho funcionamento da Fundação Dona Maria Emília Vasconcelos Cabral

O demitido (num processo que se mantém na justiça) Presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital questionou o Município sobre o actual estado da Fundação Dona Maria Emília Vasconcelos Cabral. António Lopes levantou o problema, alegando que muitos munícipes se queixam de que a instituição está transformada num canil e perguntava que medidas a autarquia pretende adoptar para potenciar a casa Museu desta Fundação. A resposta do executivo liderado por José Carlos Alexandrino foi sintética. Remeteu quaisquer explicações para a instituição que, no seu entender, “tem órgãos próprios a quem compete a gestão do seu património nos termos legais”, adiantando ainda que qualquer questão deve ser colocada ao respectivo presidente do Conselho de Administração (CA).

Os estatutos, porém, demonstram que a autarquia tem intervenção directa no CA, uma vez que este, além de ser constituído pelos três mais antigos Presidentes de Câmara, desde que residentes no concelho, conforme estipulado nos estatutos, tem o poder de nomear um elemento temporário e é à autarquia a quem cabe colmatar a nomeação de elementos no caso de não existirem antigos presidentes de Câmara residentes no concelho. Pode fazer uma nomeação, no caso de haver somente um antigo Presidente da Câmara residente no concelho, ou duas, não existindo nenhum. Contudo, ao que o CBS apurou, junto de fonte que conhece o actual estado de coisas na instituição, boa parte dos estatutos não está a ser cumprido.

O artigo 10º dos estatutos, por exemplo, refere  a mesma fonte, impõe que os administradores vitalícios sejam os três mais antigos Presidentes de Câmara, se residentes no concelho, o que segundo esta fonte só colocará em condições de exercer o cargo por esta via o ex-presidente Mário Alves. O actual Presidente do CA, explica ainda aquela fonte, não estará a cumprir os requisitos que os estatutos obrigam. “O Dr. António Saraiva, ao que se conhece, já não reside no concelho. É sabido pelos Oliveirenses que nunca mais foi visto, fosse no Ervedal fosse em Oliveira, mas aparentemente até mudou o local de recenseamento e o domicílio fiscal para Lisboa”, conta. A mesma situação verifica-se com o antigo Presidente, Carlos Portugal, já que não tem residência habitual no concelho de Oliveira. “Assim sendo, a que títulos terão sido os restantes nomeados administradores, se enquanto residentes tais nomeações são ilegais por os mesmos não viverem neste concelho”, sublinha.

Também aqui a autarquia tem aparentes responsabilidades, dado que, segundo os estatutos, se houver apenas um antigo presidente de Câmara residente no concelho, “a autarquia deverá nomear uma pessoa idónea, e no caso de não haver nenhum poderá inclusive nomear duas”. Alguns dos presidentes de Junta do Concelho também desconhecem que perderam o direito a eleger dois elementos temporários para o CA com a última alteração aos estatutos.

O CBS tentou, por vários meios, obter, junto da Fundação, respostas a estas e a outras perguntas, inclusive por carta registada, que acabou devolvida, mas não foi possível obter qualquer resposta. Perguntávamos, por exemplo, se o Presidente do CA confirma ou desmente a ilegalidade dos corpos gerentes. Se confirma e aceita que se encontra, ilegalmente, não só a exercer o cargo de Presidente como até de Administrador Vitalício, não cumprindo a lei e os estatutos. Pretendíamos, igualmente, saber se o Conselho Fiscal está nomeado, quem são e, ainda, se o Presidente é nomeado pelo Sr. Bispo de Coimbra e os dois vogais pela Câmara Municipal. No caso de não haver Conselho Fiscal, quem elabora e aprova as contas? Mais, na reformulação das Fundações, a Presidência do Conselho de Ministros, que é a entidade que as tutela, pediu informações sobre a existência e a aprovação das contas? Quanto à actuação da Fundação, nos termos dos Estatutos e da nova lei que rege o funcionamento das Fundações, estão elencados inúmeros fins que a Fundação deve obrigatoriamente prosseguir. Contudo, aparentemente, é desconhecido dos Oliveirenses iniciativas concretas e ou actividades desenvolvidas pela Fundação, nos últimos três, quatro e cinco anos. Outras questões às quais continuamos sem resposta são: Por que razão o museu não tem as portas abertas ao público? Qual a média mensal de visitantes? Qual a política de preços da Fundação nas visitas? Quantos funcionários e as respetivas categorias profissionais têm a Fundação? Para além destas questões dirigidas à Fundação, pretendíamos, também, saber em que moldes é explorado o canil, existente no seu espaço, e se os seus terrenos albergam ainda outros animais. Esta situação originou já queixas por causa do barulho e dos cheiros, o que também nos levou a questionar como conciliar o canil com a saúde e a higiene pública.

A Casa Museu D. Maria Emília Vasconcelos Cabral, recorde-se, era a antiga “Casa de Baixo”, do séc. XVIII-XIX, que pertenceu ao fidalgo Francisco Cabral Metello, o qual a legou ao concelho de Oliveira do Hospital, juntamente com todo o património da família, em Oliveira do Hospital e em Lisboa, através da constituição de uma fundação com o nome de sua mãe e que dá também nome à Casa Museu, como se pode ler no site da Fundação. O site realça ainda os trabalhos deixados pelo pintor, poeta, músico, Sr. Manuel Cid Teles, uma grande personalidade a nível local e acarinhado por todos os oliveirenses. Refere, igualmente, outros pontos de interesse a visitar, como “visualizar um mini-Museu do Traje, oferecido pelo presidente e grande responsável pela grande obra que é esta Casa-Museu, o Sr. Dr. António Simões Saraiva, bem como o jardim esverdeante, os lagos e a capela familiar com uma belíssima imagem de Nª Srª da Conceição (séc. XVIII).

 Foto: site da Fundação Dona Maria Emília Vasconcelos Cabral

LEIA TAMBÉM

Linhares da Beira acolhe acção cultural do Festival Explorer 3.0

A aldeia de Linhares da Beira, no concelho de Celorico da Beira, acolhe no próximo …

Caça praticamente proibida no concelho de Oliveira do Hospital até Maio de 2018

A caça está proibida até 31 de Maio de 2018 nas zonas consumidas pelos fogos, …

  • Gatil

    Mas afinal o que é que está legal em Oliveira do Hospital?
    Oliveirenses, emigrem. E mais não digo.

  • Oliveira no seu melhor

    Há 3, 4 ou 5 anos que não fazem nada? E os que a burra mamou?
    Esta vergonha já tem mais de vinte anos, não se compreende como a Câmara Municipal deixa isto acontecer.
    Quem paga a ração dos cães? Para os pobres são 3000 euros…

  • Pastor

    Sr Administrador, queria levar as ovelhas à feira do queijo, dá-me autorização para montar lá a malhada? Afasto-a do canil.

  • Para onde me virar?

    Dr António Simões Saraiva, Eng.º Carlos Portugal, Prof. Mário Alves, Prof. José Carlos Alexandrino, Bispo Virgílio do Nascimento Antunes…
    Está aqui uma equipa bonita para transformarem uma Fundação daquelas num canil.
    Não me digam que estou em Oliveira do Hospital, não vejo outra hipótese.

  • Não digam a ninguém

    Mas quem é afinal o Xerife deste Texas?
    Que vergonha, metem aqui os seus amores, depois dá nisto….o Sr. Presidente da Câmara ainda não tinha reparado neste nojo…o que anda a fazer? A dar dinheiro a quem lhe ajudou a ganhar o poiso. É inacreditável.

  • Guerra Junqueiro

    Estou envergonhado, desconhecia esta realidade.
    Parabéns ao CBS por mais uma investigação de tamanho calibre.
    Espero que a realidade dos factos seja o mais rapidamente possível mostrada aos Oliveirenses, e que os prevaricadores, cúmplices e ilegais beneficiários saiam desta horrível cena o mais depressa possível, e a edilidade que assuma as suas responsabilidades.
    Se há novidades que preferia não saber, esta é uma delas, pois é vergonhoso demais para os ilustres envolvidos.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Guest

    Já fiz várias queixas na Câmara, nós aqui que habitamos o prédio junto ao Parque de Estacionamento, não conseguimos dormir, mas a Câmara nada faz em relação ao Canil no museu.

  • Pró Cabral

    Antigamente diziam: «Foram pró Cabral mete-lo».
    Se calhar foram???

  • António Lopes

    O Testador -Doutor Francisco Cabral Metello, fez doação de todos os seus bens,que não eram poucos, ao Concelho de Oliveira do Hospital,pese as suas origens serem de Celorico da Beira.Deixou nos estatutos que a Fundação devia ser gerida por três ex- presidentes de Câmara, residentes no Concelho, como gestores vitalícios.A Câmara nomeava mais um administrador,ou dois, se não houver três presidentes vivos ou a residir no Concelho.O Sr Bispo da Diocese nomeia um. A Junta de Oliveira do Hospital dois administradores.O Conselho fiscal tinha um presidente nomeado pelo SR.Bispo ( equilibrio de poderes) e dois vogais nomeados pelas restantes juntas do Concelho. Parece que já mudaram os estatutos, a gosto.Não sei se legalmente…Os objectivos a prosseguir são a cultura as artes e a beneficência. Esta do canil não lembra a ninguém.E também não consta dos estatutos..! Com estes objectivos e com estes gestores esmagadoramente nomeados pela Câmara e Juntas, obtenho a resposta que obtive do Senhor presidente da Câmara.(A Câmara não tem nada a ver.Mas as convocatórias, está nos estatutos, são obrigação da Câmara)!!! Se fosse “tão mau como me pintam”, dizia algo mais.Mas, não quero esquecer-me dos deveres institucionais e, por isso, fico-me por aqui.Pelo menos por agora.Tanta festa para mediatizar Oliveira do Hospital.Tanta gente empregada a fazer não se sabe bem o quê..! Festa Moçarabe todos os anos.Lá vai uma pipa de massa..!Para visitar a igreja é com os bons ofícios de uma senhora..O dinheiro da festa pagava e sobrava muito quem zelasse a igreja e acompanhasse os visitantes.A Casa Museu está neste estado. Um património de fazer inveja quer histórico, quer cultural quer arquitetónico. A capela dos Ferreiros acho que se visita quando está alguém na igreja, Não sei bem como se pode visitar.Mediatização para quê? Já nem falo na Bobadela…Isto de património e cultura dá muito trabalho.. Se os administradores da Fundação fossem pagos, até se atropelavam e havia bandeirinhas com fartura a disputar…Como os cargos são gratuitos, reuniões, que são mensais, já não se fazem há anos,Conselho fiscal que devia reunir trimestralmente, também tem anos.Contas não sei se alguém as conhece, nem se são feitas. Património… bem anda por lá…Até há quem diga que já não todo..! Quando alguém se preocupa e algumas vezes falei deste assunto,é o que se sabe…Não se preocupem.Eu o que queria, “era uma Câmara dentro da Câmara”..! Falta, parece que faz…

  • Je suis Maria Emília

    Francisco Meu filho, deste tu o meu nome a esta Fundação que tanto amavas.
    Cometeste o erro crasso de a entregares aos políticos. Mamam tudo e envergonham o nosso honrado nome “Cabral Metello”, transformaram esta casa, que pretendias ser um exemplar museu num canil. As receitas mensais ninguém sabe delas, devem ser para comprar cães e cavalos, providenciar o tratamento destes e adquirir as respectivas rações. Sim porque o cicerone deve precisar destes animais nas suas funções de segurança e vigilância.
    O Presidente da Câmara preocupa-se é com futebois e manda a cultura ás malvas, o Portugal só cá vem quando lhe cheira, o Alves não quer saber disto, o Tonito quer é mandar e entregou isto ao seu “querido” benjamim e o Bispo, se não tomam conta disto, abispa-se entregando o espólio há Igreja.
    Quem diria que tão mal iriam tratar o nosso “Bom Nome”.

  • Eu é que sei

    Eu é que sei…..

    • Cumpridores

      Têm levado os estatutos a peito.
      Que vergonha…nada mais há a dizer.

  • Mitómano

    Se ao menos fossem capazes de honrar a memória de pessoas que tanto se preocuparam e amaram esta terra. Basta ver o que andam a fazer ao último que ofereceu ambulâncias, viaturas , equipamento da fanfarra, lares clubes.Agora, é o inimigo publico só porque lhes diz para terem vergonha, serve o concelho gratuitamente e exige trabalho e dedicação.. Só que houvesse um bocadinho de respeito já era alguma coisa…Demitam-se.Estes e todos os que nunca ligaram nenhuma a este valioso património.Solar e Casa Museu, viram canil…Só mesmo em Oliveira do Hospital..!E os ilustres cidadãos, vão fazer alguma coisa..?

  • Contole do 40

    É pessoal não sejam assim. Qualquer dia não têm Câmara. Então o vosso presidente e os vereadores, ontem estavam no Zé Pataco metiam dó. Só falavam da Fundação e do Café Central .Dêem lá uma folga aos senhores. Pareciam umas “Madalenas”…Já no Domingo parece que também foram todos a um “beija mão” em Aldeia de Nogueira… O presidente parecia que estava de má consciência… O Rolo é que não conseguia disfarçar a azia…

    • Grande pataco

      Alex, Engracia e Ribeirissimo, os 3 da vida irada. Foram afogar as magoas para outra freguesia.
      Se não resolvem os problemas em Oliveira, é em Canas que os resolvem? Esses queriam ser concelho. Se calhar eram melhores do que nós, têm escola, hotel, centro de saúde e restaurantes.
      As fundações e os “cafés centrais” funcionam bem por essas paragens.
      Já agora, quem pagou a factura? Não me digam que também vai aparecer nas despesas da CMOH?

  • trovisco

    Um concelho transformado num amontoado de sucata nos últimos 20 anos graças aos partidos políticos que só propõem medíocres e incompetentes.Pena é que as pessoas sejam assim enganadas. Evidentemente eleitos este tipo de gente faz o mesmo . Nomeiam e movimentam se de maneira a que impere a mediocridade que os não afronte.
    E assim um concelho transformou-se em circo sem nível. Parece-me ser isto.Penso eu

  • Estranhitudes… só por aqui

    Aquilo por Oliveira é então prática comum o estranho funcionamento de muita coisa…

    Ainda
    está por explicar lá o estranho funcionamento (e ordenado) da
    secretária do senhor A.L. quando ainda em funções lá por território
    camarario. Para nem avançar outros assuntos relativos ao mesmo. Estranho
    tudo… mas ele continua a desviar para outros pontos para a gente não
    reparar.

    • Por aqui e sempre

      Ele tinha secretária? Isso era para criar um secretariado dentro do secretariado…
      Já agora, a secretária era de mogno ou de nogueira?
      Andas mesmo aflito. Gostava de ver o contrato de trabalho.

    • Explica para mim

      E porque não explicar a situação da antiga secretário do Alex, a Lili, que agora vai abrir uma vaga para Estudos Portugueses mesmo à medida do curso sem reconhecimento que tirou?

    • António Lopes

      E quem era a secretária? Que eu saiba ainda é a mesma..! Esteja à vontade… não se acanhe…sou todo ouvidos..e olhos…

  • António Lopes

    Os homens tinham razão em me pôr na rua.Tentava assumir as minhas responsabilidades e tentava que os outros assumissem as deles.O problema é que os estatutos também dizem que os cargos não são remunerados..! Porque se fossem. olha se havia administração…!!! Era um chega para lá, como nos demais que são pagos.Vejam lá que vão agora ser admitidos cerca de 20 funcionários, na Câmara, para substituir os que estão fartos de ser perseguidos por não cederem a pressões e os que estão fartos de promessas.Num caso ou outro as necessidades de facto.Poucos..!

    Então até aqui, era com o Conselho de Administração..! O Conselho de Administração fez o que entendeu e, essas atitudes permitiram. A administração tem sete membros .Quatro nomesdos pela Câmara, sendo três vitalícios, os ex-presidentes de Câmara.O testador esteve bem.Quem mais responsável que as três pessoas a quem os Oliveirenses confiaram o voto maioritário? É pressuposto serem pessoas idóneas..! Dois são nomeados pela Junta de Oliveira. Um pela Diocese.O Conselho Fiscal é composto e presidido por um representante da Diocese, e por dois vogais nomeados PELAS RESTANTES quinze juntas.
    O problema começou, creio que com boa intenção, no dia 6 de Outubro de 1988 quando os então administradores decidiram suprimir a alínea c do artº 10º dos estatutos, eliminando os representantes das 15 juntas, “por ser difícil junta-las todas)..!.Ora estes faziam parte do Conselho Fiscal.Na “viagem” foram os administradores nomeados pela Junta de Oliveira.Em quatorze de Maio de 1990, creio que também pelas mais nobres intenções e nesta voto, decidiram acrescentar “um único” à alinea a) do mesmo artº 10º (É o que define o Conselho de administração) em que se escreveu que quando os presidentes não residissem no Concelho a Câmara podia nomear dois vogais.
    Em quinze de Julho de 1990 foi decidido, creio que também com a melhor das intenções, que os presidentes não residentes podiam ser convocados quando necessário.No dia dois de Agosto de 1996, argumentando as melhores razões, foi decidido, mal, alienar património..! E a partir daí a fundação transformou-se naquilo que se conhece.Ouço falar num palacete do Estoril e umas histórias mirabolantes,Ouço falar de baixelas e mobiliário e não só, que parece que “degradou”… ouço tanta coisa.E vejo o desleixo a incompetência e o “crime” que esta Câmara vem cometendo com esta e outras Fundações à sua responsabilidade, que me foi dito que não é, que é dos Conselhos de Administração..! E eles “assumem-nas”.Certa vez foi-me dito pelo Senhor presidente para eu assumir cargo na Fundação.Foi aí que me documentei.Só que quando o Senhor Presidente foi falar com o Senhor Doutor Simões Saraiva, parece que lhe faltou a “coragem” que costuma ter para ofender os adversários, quase sempre nas costas” e lá ficou o problema a “marinar”Isto já tem mais de quatro anos..! :E consta que vão ganhar as eleições e ai de quem se lhes oponha..! Será? Será que o Concelho ensandeceu..?
    Tenho pronta para apresentar uma proposta para manter os estatutos originais e a vontade do testador.Gente de bem não pode fazer outra coisa.Até porque as alterações ao estatutos nunca foram publicadas.Logo são os originais que regem a instituição.Espero que a Câmara Municipal, se for capaz, assuma as suas responsabilidades e se deixe de falácias, conveniências e compadrios.E isto, é verdade para a Cabral Metelo, para a Albino Mendes da Silva e para a Aurélio Amaro Dinis.Concedendo nós que, a Cabral Metelo é uma vergonha e a imagem do poder que nos “desgoverna”. Para a festa feira do queijo, vão ver que não falta nada..! Aquilo é que “induca” .Se não “inducar” votos dá, de certeza…A Cabral Metelo dá muito trabalho e o Povo culto só dá problemas..! Já o Dizia a Czarina da Rússia…