O “jardim” escondido do Centro de Saúde de Oliveira do Hospital

Traseira paredes meias com o Centro de Saúde

Da parte exterior é visível, para quem circula na via frontal, dois canteiros bem limpos. Tratados como de forma quase exemplar. Não se vislumbra uma erva a destoar. No interior do espaço envolvente do centro de saúde, invisível aos transeuntes, a história é outra. Quando se dá a volta pelas traseiras do edifício o cenário é desolador. A erva e arbustos secos atingem proporções que colocam, alegam algumas fontes, o próprio edifício em risco em termos de incêndio e de insalubridade. “Se alguém tem um azar de deitar aqui um fósforo ou existe cigarro vai ser um problema sério. Lamentavelmente, só limparam aquilo que as pessoas podem ver. Só se preocupam com a imagem, o resto esquecem”, refere a mesma fonte que aponta para a Ribeira de Cavalos que corre ao lado, completamente, coberta de vegetação, sem qualquer vestígio de manutenção também como foco de preocupação. Ao que o CBS apurou junto de um elemento pertencente ao executivo de Mário Alves, a responsabilidade pertence à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que sempre fez a conservação daquele espaço, E é também o município que tem aparentemente a responsabilidade de fiscalizar.

A autarquia optou por não responder às questões do CBS. Manteve-se em silêncio. Não esclareceu a razão de não ter sido fiscalizado o espaço, nem de se manterem limpos os dois espaços que estão visíveis a todos os que circulam na estrada. Nem se é ou não sua a responsabilidade a conservação e a razão de não ter sido limpo o terreno. Ficou também sem reposta se está prevista alguma intervenção e quando.

Traseiras de Centro de Saúde

Ao que o CBS apurou junto das autoridades neste não se aplica o decreto-lei 124 que obriga à limpeza de faixas de protecção contra incêndios das habitação e aglomerados populacionais. “O interior dos aglomerados populacionais não é abrangido pela lei geral. Mas aqui existe um caso adicional de possível de insalubridade, até que porque ao lado corre uma ribeira”, explicam, adiantando que esse facto pode facilitar a entrada de animais nocivos no estabelecimento de saúde. “Essa responsabilidade de fiscalização é da Câmara Municipal”, explica.

Espaço em frente ao Centro de Saúde

A União das freguesias de Oliveira do Hospital e São Paio de Gramaços, por seu lado, esclareceu que tem feito várias limpezas e que os seus funcionários têm trabalhado sem parar no território da sua autarquia. “Nós temos feito lá limpeza, mas este ano não foi a junta que tratou dos canteiros que se encontram em frente ao centro de saúde”, explica ao CBS o autarca Nuno Oliveira, lamentando a falta de meios humanos para ocorrer a todas as situações que lhe são reportadas. “Uma das minhas prioridades é ocorrer àquelas que apresentam mais risco e são muitas”, sublinha. “Do centro de Saúde não me chegou qualquer sinalização, caso contrário no dia seguinte estaria limpo, porque, embora seja aparentemente uma das competências da Câmara, também é da nossa responsabilidade. E tenho de assumir a minha parte. Sinceramente desconheço o caso”, esclarece Nuno Oliveira que espera fazer uma intervenção no parque de estacionamento adjacente àquele pólo médico esta semana.

Espaço em frente ao centro de saúde

“O que temos aqui é uma vergonha”, refere um elemento que conhece bem o estado de coisas. “Limparam a face, mas deixaram aquilo que não é visível a quem passa. O pior de tudo é que este é, do meu ponto de vista perigoso”, sublinha, pedindo para não ser identificado. “Sabe como são estas coisas nos meios pequenos”, desabafa. Os funcionários do Centro de Saúde também sentem descontentamento. Parecem pouco poder fazer e demonstram igualmente receio em criticar e denunciar publicamente o caso.

LEIA TAMBÉM

José Carlos Alexandrino acusa Governo de discriminação na ajuda pós-incêndios

O presidente da câmara de Oliveira do Hospital acusou o Governo de estar a discriminar …

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

  • António Lopes

    Pois… tinha um espaço ali, bem próximo.Mas, honra seja feita, lá me iam telefonando para limpar.E, limpava.Pagando..! Será que os fazedores das leis estão acima delas..? Se não estão, bem parece…J´na fiscalização e acompanhamento da actividade MUnicipal a Senhora “Kembra” está acima dessas “minudências”..!

    • ABC

      “Kembra”, não!
      “Jamais”!
      “Never”!
      “Nunca mas”!

      Portugalizemo-nos, pois, se faz favor, de acordo com aquilo que é, verdadeiramente, nosso. Sem misturas.
      Escreva-se “Quembra”.
      Essa agora, de “K”, é alguma inovação trazida pelo novo “Acordo Ortográfico”?

  • Guerra Junqueiro

    Parece que estava tudo preparado para com aquele mato fazerem petróleo na BLC3.
    O presidente tinha tudo controlado.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro