Numa entrevista publicada hoje pelo Diário As Beiras, o presidente do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) faz um balanço positivo dos seis anos à frente da instituição e

“O objectivo é consolidarmos e tornarmo-nos numa referência internacional”, refere presidente do IPC

perspectiva um “futuro promissor” para a unidade de ensino politécnico da qual faz parte a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH).

Imagem vazia padrão“O objectivo é consolidarmos e tornarmo-nos numa referência internacional”, garante Torres Farinha, admitindo contudo que ao IPC foi “difícil” conseguir tudo aquilo que já é uma realidade. A avaliação internacional a que o IPC se submeteu pela European University Institution foi entendida por Farinha como uma forma de a unidade de ensino demonstrar “inequivocamente, que já atingiu um grau de maturidade e de desenvolvimento e que não tem receios de se expor”. Garantiu que os resultados da avaliação “correspondem completamente” às expectativas iniciais, até porque constaram “a solidez do caminho” seguido pelo IPC.

O ainda responsável pelo Politécnico de Coimbra não deixou de focar o facto de “este ano o IPC ter sido a instituição mais procurada”, tendo sido “o único politécnico com 100 por cento de ocupação”. “Pretendemos aumentar as parcerias com os agentes económicos. Pretendemos continuar a lutar para ter cada vez mais ainda melhores infra-estruturas pedagógicas e de investigação e desenvolvimento”, garante Farinha na mesma entrevista onde se escusa a pormenorizar as conquistas mais importantes enquanto responsável pelo IPC. Embora, sem particularizar nenhuma das unidades orgânicas que constituem aquele estabelecimento politécnico, Farinha lembra que o IPC é também a primeira instituição de ensino superior do país que vê todas as suas unidades orgânicas certificadas pela norma ISSO 9001:2000.

Torres Farinha anuncia ainda para um futuro próximo – “dentro de previsivelmente um mês”, refere – a ligação de “todas as escolas de Coimbra por uma rede de fibra óptica”. “Queremos possuir os melhores meios de gestão, os melhores meios tecnológicos e queremos ser os mais eficazes”, sublinha, acrescentando que o objectivo é atingir a meta do “zero papel”.

Em curso, está o processo eleitoral para a Assembleia de Estatutos. Farinha tem noção de que se trata de um “processo particularmente sensível, atendendo a que a assembleia eleita terá a responsabilidade de elaborar os estatutos do IPC para os próximos anos”. Quanto a uma possível recandidatura à presidência do Politécnico de Coimbra, o responsável disse ainda não se ter debruçado sobre o assunto.

LEIA TAMBÉM

EPTOLIVA distinguida nos prémios Ciência na Escola

A EPTOLIVA (Escola Profissional de Oliveira do Hospital, Tábua e Arganil) foi a escola da …

Os pais da exclusão… Autor: Renato Nunes

Biblioteca Nacional de Lisboa, 29 de Setembro de 2017. Depois de mais um dia de …