Incêndio reacende-se na Serra da Malcata, zona do Lince Ibérico

Presidente da Câmara de Gouveia garante que “há mão criminosa no fogo da Serra da Estrela”

O presidente da Câmara de Gouveia, Luís Tadeu, acredita que o fogo que desde segunda-feira lavra na Serra da Estrela não aconteceu acidentalmente e teve mão criminosa. “Tenho a certeza absoluta que não foi por causas naturais”, garantiu o autarca à TSF, enquanto o incêndio continua hoje a ser combatido por 403 operacionais, auxiliados por 133 meios terrestres e por seis meios aéreos e as autoridades prevêem que o fogo seja dominado hoje.

O incêndio que começou em Gouveia já se alastrou até ao concelho de Manteigas e não tem sido fácil de combater, principalmente por diversos factores. “O facto de muitos dos bombeiros virem de outras partes do país e não conheceram bem a região, bem como as dificuldades do terreno acaba por dificultar a rapidez de resposta”, explicou Luís Tadeu.

O Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) já veio dizer que dizer que este incêndio está a destruir uma zona com “forte importância ambiental e paisagística. O director do organismo no Centro, Rui Melo, explicou que o fogo está a avançar para uma área de florestal plantada há cerca de 80 anos e cuja “regeneração poderá demorar vários anos a ser conseguida”.

“Naturalmente que estamos muito preocupados, designadamente com a área do Vale do Mondeguinho, porque estamos a falar de uma zona que tem forte importância ambiental, paisagística, florística, faunística e também turística”, sublinhou o responsável do ICNF, entidade que tutela o Parque Natural da Serra da Estrela, sem adiantar a extensão da área ardida, preferindo dizer que esta é “efectivamente muito grande”. Um autarca de Gouveia estima que só no seu concelho tenham ardido mais de 800 hectares, essencialmente de mato.

A página da Autoridade Nacional da Protecção Civil na Internet, refere que o fogo (que começou às 14h46 de segunda-feira, em mato, na Senhora do Monte, na União das Freguesias de Aldeias e Mangualde da Serra, concelho de Gouveia, e que, entretanto alastrou para o concelho de Manteigas) está hoje, a ser combatido por 403 operacionais, auxiliados por 133 meios terrestres e por seis meios aéreos.

Além dos bombeiros de várias corporações do país, no terreno estão ainda operacionais dos grupos de reforço para combate a incêndios florestais Centro/Sul, Faro, Aveiro e Coimbra, as equipas foram ampliadas por elementos de Leira e equipas de reconhecimento e avaliação da situação.

LEIA TAMBÉM

Quem compra pássaros? Autor: Renato Nunes.

Todos os sábados, quando ainda mal amanhece, saio de casa em direcção ao mercado semanal. …

frio

Chuva poderá regressar na próxima quarta-feira

O tempo seco vai continuar, pelo menos, até à próxima quarta-feira, altura em que poderá …