“O senhor presidente da Câmara diz que cumpre a lei, mas neste momento está em incumprimento claro”

O empresário a quem o município de Oliveira do Hospital não autoriza o arranque das obras do complexo turístico de base termal nas Caldas de S. Paulo, alegando a natureza pública do caminho de acesso ao poço termal, não tem dúvidas de que a lei está do seu lado.

Em entrevista ao correiodabeiraserra.com, Francisco Cruz acusa a autarquia de “usurpação de poder” e não poupa nas críticas que dirige ao ex vereador independente, José Carlos Mendes, que por “inveja” tem “manipulado” o povo das Caldas contra o projeto.

Correio da Beira Serra – O que é que está a falhar naquela que é a sua vontade de construir um empreendimento turístico de base termal nas Caldas de S. Paulo?
Francisco Cruz – Neste momento, o que está a falhar é o alvará de construção, apenas e só. A empresa que eu represento apresentou todos os documentos necessários para emissão do alvará e, no dia 26 de novembro, o senhor presidente da Câmara comunicou-nos a intenção de indeferimento de emissão de alvará. Desde logo, invocou a deliberação que o município tomou no dia 28 de maio de 2013 e que nunca foi comunicada à minha empresa, nem a mim em particular apesar das sucessivas reuniões, praticamente mensais, que tivemos desde junho até setembro, outubro. O município reconhece que existe na propriedade, de que a minha empresa é titular, um caminho que denomina de público e neste momento o que a empresa fez foi, junto do Tribunal Administrativo de Coimbra, apresentar uma ação porque se considera que essa deliberação enferma de usurpação de poder, porque o município não tem poder para tomar deliberações sobre essa matéria. Aliás, o parecer jurídico que o senhor presidente da Câmara pediu a dois juristas, a Dra.Isabel Antunes e o Dr. João Ramalhete Carvalho, atual vereador, diz claramente o seguinte, no capítulo 3, ponto 2: o facto de existir posições divergentes sobre a natureza do caminho é uma questão que compete aos tribunais dirimir não devendo esta autoridade administrativa pronunciar-se sob pena de usurpação de poderes.

CBS – Como explica tantos impedimentos ao projeto?
FC- Infelizmente vivemos numa comunidade pequena. O facto de toda a gente se conhecer desenvolve atritos entre as pessoas e invejas. O que está subjacente a todo este ciclo de problemas não é mais do que a inveja e a vontade de querer fazer mal a alguém.

CBS – Chegou a surgir um abaixo assinado com o objetivo de defender a natureza pública do caminho que curiosamente, chega a ter como primeiro subscritor ex vereador independente José Carlos Mendes que é seu cunhado. Como é que se explica esta situação?
FC- É inveja. Infelizmente há pessoas que só se sentem bem quando vêem os outros mal. Eu não me identifico com este tipo de sentimentos e valores, repudio-os inclusivamente, mas o que é facto é que eles acontecem. Talvez por serem meus familiares é que estas situações acontecem. E falando em nomes, porque eu não gosto de falar de forma subjetiva, o ex vereador independente José Carlos Mendes, que é meu cunhado, e a minha irmã que é líder de toda esta manifestação, porque não é ele, mas é ela, já manifestaram em vários momentos à minha mãe que se eu oferecesse sociedade ao meu cunhado, estes problemas ficariam sanados. Portanto, isto revela bem os princípios e os valores que regem estes cidadãos.


CBS – O vereador pode surgir à cabeça do abaixo assinado, mas no conjunto são cerca de 80 as pessoas que defendem que o caminho é público. Alguma vez falou com aqueles populares no sentido de se encontrar uma solução que satisfaça as partes?

FC – Eu vou com a máxima regularidade ao Vale do Alva para visitar os meus pais ou por outro qualquer motivo e nunca subo a encosta sem passar pelas Caldas de S. Paulo. Passo lá inúmeras horas, frequentei sempre e continuo a frequentar o bar e a zona da praia fluvial da Liga dos Amigos das Caldas de S. Paulo e posso dizer, com toda a naturalidade, que nunca nenhum subscritor desse abaixo assinado me perguntou o que quer que fosse. Nunca nenhum cidadão me perguntou porque comprei a propriedade, o que vou ali fazer ou por que motivo levantei a calçada. Nunca. No S. João do ano passado, a direção da Liga convidou-me para uma sardinhada e eu estive presente, convivi, correu tudo muito bem. As pessoas conhecem-me e eu conheço-as muito bem. Nunca ninguém me questionou sobre águas, sobre propriedades, caminho, nada…

Reuni, uma primeira vez, quando comprei a propriedade, em fevereiro de 2009. Na ocasião decorriam eleições para a Liga dos Amigos das Caldas e como sou sócio e sendo a Liga um dos arrendatários da propriedade de que sou proprietário fui à reunião onde, entre outras coisas, fui muito insultado. As pessoas queriam que eu, à força toda, dissesse o que é ia lá fazer. Eu tinha acabado de fazer o negócio e ainda não tinha qualquer projeto, mas eles exigiam que eu me pronunciasse. Duas coisas aconteceram: eu estava lá enquanto sócio e tinha feito proposta de se requalificar toda a praia fluvial com o objetivo de a Liga me conceder a exploração pelo período de 7 a 10 anos. Aliás é dessa iniciativa que nasce este projeto. Participei e fiz proposta que foi imediatamente rejeitada por um sócio que comanda e manipula as pessoas. Numa segunda reunião aconteceu exatamente o mesmo e, a partir daí, nunca mais recebi nenhuma convocatória da Liga dos Amigos das Caldas de S. Paulo. Até hoje ainda não me foi retirado o estatuto de sócio, mas o que é facto é que nunca mais recebi convocatórias, também não sei se tem havido reuniões ou não.

Eu nunca estive fechado a dialogar com quer que fosse, mas de qualquer forma, entendo que não tenho que reunir com os contestatários. Do caminho para baixo a propriedade é privada. Já não tenho nenhum arrendatário desde junho de 2012, porque fiz acordos, com o objetivo de ir preparando tudo para arrancar com as obras.

No fundo, eu sei que as pessoas não estão contra o caminho. As pessoas estão a ser usadas. Hoje mesmo acabei de saber que nesse abaixo assinado consta o nome de pessoas que foi assinado por outrém sem o próprio consentimento. Isto é crime. Vamos ver o que é que isso vai dar.

“Tenho dois levantamentos topográficos e duas declarações, uma da Junta e outra da Câmara, a dizer que não existe qualquer contrato de compra, cedência ou expropriação em favor da Junta ou do município”

CBS – Acabou por proceder ao levantamento da calçada do referido caminho. Não terá contribuído para inflamar ainda mais o relacionamento com os populares?
FC – Não, não tenho essa perspetiva. O abaixo assinado chegou à Câmara Municipal em julho de 2012 e o presidente do município pediu-me que não fizesse nada que ele resolveria a situação. Entre setembro e outubro, não posso agora precisar a data, houve reunião entre o advogado que me representava, o advogado que representa os populares e o município da qual surgiu uma proposta que eu considero uma ideia peregrina, que era deixar ao longo da calçada um carreiro, com um metro de largura e de eu ceder um espaço no final da propriedade que confina com Liga. O que é facto, é que eu nunca estive a favor do acordo, porque a proposta de o aldeamento ser atravessado por um caminho viola a lei turística, segundo a qual um aldeamento obrigatoriamente deve estar vedado à entrada de qualquer cidadão, o que à partida inviabilizava a construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMesmo assim, em janeiro de 2013, eu apresentei projeto de alterações para ganhar tempo em que mudei a entrada de um edifício do topo Norte para o topo Sul. Mas entretanto, sei que os subscritores começaram a pressionar o município através do Tribunal Administrativo de Coimbra e o senhor presidente começou a recuar. Em abril, o presidente resolve pedir parecer jurídico que diz que o município deve assumir posição neutral. Perante essa posição que é transmitida em reunião pública só me restava reclamar aquilo que, pela documentação que tenho na minha posse, considero que é privado. Por isso, tomei essa iniciativa de levantar a calçada no sentido de dizer que o que lá foi colocado foi à revelia do proprietário ao contrário do que se diz. Tenho dois levantamentos topográficos e duas declarações, uma da Junta e outra da Câmara, a dizer que não existe qualquer contrato de compra, cedência ou expropriação em favor da Junta ou do município.

Agora o que fundamenta a decisão da Câmara é que colocaram postes de eletricidade, uma alimentação de água, pavimentaram o caminho e colocaram placa toponímica “Travessa do Poço”. Mas, tenho uma declaração do anterior proprietário, o Engº Luís Vaz Pato, a dizer que se opôs à colocação da placa e exigiu que fosse retirada.

CBS – Neste momento, o caminho está vedado?
FC – Neste momento continua como sempre esteve desde que levantei a calçada. A propriedade nunca foi fechada. Até porque os anteriores proprietários quando faziam exploração da água há mais de 50 anos precisavam de a ter aberta para garantir a receita da água. A propriedade nunca foi vedada e as pessoas foram usando e abusando, digo eu também, do facto de a propriedade estar aberta e pertencer à família Vaz Pato.
Mas, as pessoas vão deixar de ter acesso à propriedade. Porque a minha empresa já tem contrato celebrado com a Direção Geral de Energia e Geologia para prospeção e pesquisa. O poço vai ser selado.

CBS – Continua interessado no projeto? Qual o risco de perda do financiamento?
FC – Eu tenho feito de tudo para manter o contrato ativo. Ainda ontem recebi email que confirma que o contrato está ativo por determinado período. O tempo é o meu maior inimigo neste momento. Aquele projeto, mesmo contra a vontade do presidente da Câmara que deveria ser o primeiro a defendê-lo que foi para isso que foi eleito, para representar e defender os interesses do concelho e não dos amigos, vai ser concretizado. Porque para ele ter uma atitude desta natureza é porque, realmente, os negócios entre eles são muito interessantes e as dívidas devem ser antigas e de bastante montante.

CBS – Mas, para isso necessita de emissão de alvará…
FC – Claro. Eu cumpro sempre a lei. E por isso é que até hoje, apesar dos inúmeros atentados que o projeto já sofreu nunca caiu. O Sr. presidente da Câmara diz que cumpre a lei, mas neste momento está em incumprimento claro. Estou em crer que vou ganhar esta questão, porque efetivamente acredito que se vai fazer justiça e não podemos continuar a ser governados por gente que tem objetivos e visões muito curtos.

CBS – Voltou a recorrer ao tribunal, agora para pedir responsabilidades aos subscritores do abaixo assinado…
FC – Neste momento, apresentei queixa crime contra o ex vereador independente pelas declarações que ele proferiu e que estão vertidas nas atas do municípios. Apresentei pedido de anulação da deliberação da Câmara de 28 de Maio no Tribunal Administrativo de Coimbra e há duas semanas apresentei ação contra subscritores do caminho, onde já são responsabilizados pelos danos causados ao projeto e posteriormente vamos pedir indemnização. Eles têm que ser responsabilizados. Não é só fazerem uma assinatura para se fazer a vontade a quem a pede, têm que ser responsabilizados pelos atos que praticam. Logo a seguir avançaremos com pedido de responsabilidades individuais e não coletivas, porque os munícipes não têm que pagar pelas brincadeiras de quem os representa, às pessoas com responsabilidade nas deliberações, como sejam o presidente da Câmara e os vereadores que votaram, sabendo que não tinham poderes para o fazer.

Após a comunicação da aprovação, eu tinha nove meses para iniciar a obra. O prazo terminou em maio de 2013. Tenho conseguido prorrogação de prazo e pode estar a qualquer momento eminente a rescisão do contrato. Se isso vier a acontecer, naturalmente que as pessoas serão responsabilizadas.

CBS- Não está a dificultar ainda mais o andamento do processo?
FC – Eu estou a trabalhar neste projeto há pelo menos cinco anos. Tenho sérias dúvidas de que alguém que estivesse disposto a implementar um projeto de cinco milhões de Euros tivesse a paciência que eu tenho tido depois de todos os atropelos que tenho sofrido, desde ameaças pessoais, ameaças através de advogados, processo em tribunal para exercício de direito de preferência tendo na retaguarda o vereador independente… enfim. Ainda alguém ontem me perguntava como é que aguento isto. Aguento porque estou de consciência perfeitamente tranquila.

CBS – Há quem o acuse de estar a usar a história do caminho e a própria Câmara como bode expiatório para justificar o não arranque das obras. É dito que promotor é que não tem de facto intenção de avançar com o projeto por não ter encontrado parceiros para o investimento … como comenta?
FC – Deixe-me rir. Não deixa de ser caricato que alguém esteja preocupado com as minhas fontes de financiamento. Se alguém tinha dúvidas quanto à minha vontade para realizar este investimento, não sei porque é que em seis dias em que iniciámos a vedação com a empresa com quem está feito o contrato de construção, tivemos a fiscalização cinco dias. Se alguém tem a intenção de não avançar com o investimento, não faz um contrato com clausulas de indemnização. Isso é quase passar um atestado de burro. Isso é motivo de riso.

CBS- Como é que encara o facto de, até há bem pouco tempo o presidente da Câmara considerar o projeto de interesse municipal, tendo depois o processo evoluído para o ponto em que se encontra de indeferimento de emissão do alvará?
FC – Hipocrisia política e pessoal. O senhor presidente da Câmara em período de campanha eleitoral utilizou este projeto como bandeira em matéria de desenvolvimento turístico, Disse-o inclusivamente na festa convívio do Sr. das Almas, eu estava em minha casa e ouvi, ninguém me disse, que tudo faria para que o projeto se concretizasse. Não deixa de ser interessante que passados uns meses, tome a posição que toma. Digo que é hipocrisia, porque no dia 2 de setembro quando me dirigi ao município com dos projetos de especialidade e respetivos pareceres, liguei ao presidente por uma questão de cortesia a informá-lo. O presidente foi ao meu encontro e do meu filho a felicitar-nos e congratulou-se com o facto de o projeto avançar e depois toma uma posição destas. Não estivéssemos nós em tempo de campanha.

CBS – Já confrontou diretamente o presidente da Câmara acerca desta decisão de indeferimento?
FC – Não. Estive em duas sessões do município em dezembro e em janeiro em protesto silencioso. Quer o município, quer os subscritores e quem os representa entenderam que eu deveria tomar uma iniciativa e eu tomei-a, de ir para tribunal. Caberia ao município em primeiro lugar defender o interesse público. Se alguém defende tanto este projeto, não há justificação para eu apresentar especialidade no dia 2 de setembro, ser esgotado todo o prazo (45 dias) para emissão de alvará e mais 15 dias por impossibilidade de exercício de poderes devido às eleições autárquicas, sabendo que eu tenho prazos para cumprir. Isto é um contra senso, é andar a atirar areia para os olhos. Até agora o Francisco tem andado calado, mas a partir de agora vai começar a falar, a denunciar e a provar com documentos. Querem assim, assim vão ter.

“Quando tenho tempo disponível para circular na cidade, a cada passo que dou encontro sempre alguém que me vem felicitar pelo projeto e por o manter ativo e continuar a lutar por ele. Prezo mais essa manifestação, do que a manifestação política.”

CBS – Sente-se sozinho nesta luta? A oposição na Câmara e Assembleia Municipal não se tem feito ouvir neste processo, acontecendo o mesmo no anterior mandato autárquico…
FC – No dia 10 de junho a candidata do PSD à Câmara Municipal solicitou-me uma reunião para que eu lhe apresentasse o projeto e eu tive todo o prazer em o fazer. Mas logo lhe disse que não queria ver, em qualquer momento, discussão pública e política deste projeto. Este projeto não tem que ter componente política. Se os políticos o quiserem discutir que o façam, mas com elevação. Porque no dia em que entrarem a discutir este projeto para se atacarem, entro eu em cena e deito-os a baixo, provando que não têm motivo nenhum para o estarem a fazer. Porque, ao contrário do que tem dito o presidente da Câmara ele só fez o que lhe competia: acompanhou-me duas vezes a Lisboa ao Instituto de Turismo de Portugal e uma vez à CCDRC e o vice-presidente acompanho-me uma vez ao Turismo de Portugal. Foram as únicas diligências. Agora as que fez com a outra parte para chegar a esta conclusão são da exclusiva responsabilidade do município.

Quando tenho tempo disponível para circular na cidade, a cada passo que dou encontro sempre alguém que me vem felicitar pelo projeto e por o manter ativo e continuar a lutar por ele. Prezo mais essa manifestação, do que a manifestação política.

No dia em que levantei a calçada, foi o dia em que o município apresentou página do facebook na Pousada do Desagravo. Estava lá um distinto político representante do movimento independente na Assembleia Municipal que me dizia: “eu sou solidário consigo”. Mas que me adianta a solidariedade, quando na hora de ir à Assembleia Municipal se calou e enquanto candidato nunca se ouviu falar sobre isso. Que me adianta a mim a solidariedade política. Aliás, desprezo cada vez mais a classe política.

turismocaldasCBS – Qual é a sua previsão para o arranque da obra?
FC – Para além dos prazos que me são impostos pelo Turismo de Portugal, eu também tenho os meus timings. Neste momento o maior inimigo é o tempo, que pode ser escasso no caso de expirar o prazo para iniciar a obra e no caso de não termos tempo de concluir a obra no timing previsto.
Estou confiante de que conseguiremos aultrapssar. Com o financiamento aprovado pelo Turismo de Portugal tenho que arrancar com a obra até final do mês de Março.

CBS – Uma missão quase impossível…
FC- Não creio. Pela experiência de quem me representa, tenho indicação de que o Tribunal Administrativo é muito mais célere. Mas se o município está tão interessado, não vejo porque é que tem que esgotar todos os prazos sabendo que eu tenho prazos curtos.

CBS – Entende que está a ser maltratado em todo este processo?
FC- Acho que sim. Sobretudo o investimento. Ainda na última reunião pública da Câmara fui convidado para uma reunião, mas até agora não foi sequer indicada a data e hora.

 

LEIA TAMBÉM

Dois mortos e quatro feridos em acidente no IP3 em Santa Comba Dão

Um acidente no IP3 provocou duas vítimas mortais e quatro feridos, dois em estado grave. …

GNR deteve alegados traficantes de droga nos acessos a uma “Rave” em Oliveira do Hospital

Pastor de 90 anos continua desaparecido em Seia

Um pastor de 90 anos que está desaparecido na pequena localidade de Valezim no concelho de …

  • antoniodepenlva

    O acesso ao poço do banho sempre existiu. Até parece que se pretendo arranjar um pretexto para não fazer qualquer obra. Em nosso entender e pelas razões que já aduzimos anteriormente, é duvidosa a rentabilização do complexo, mas ….o titular do projecto terá feito a indispensável prospecção do mercado ??????? Na nossa região já há tantos complexos termais às moscas….

  • Gente desta terra

    Cresci e vivi em Caldas de S. Paulo, onde sempre passei neste acesso sem qualquer impedimento! Este senhor deve se ter esquecido das vezes em que lá passou como simples transeunte!
    Em relação a reunião que o Senhor Francisco diz que foi insultado eu também estive presente… e não me lembro de qualquer má palavra dirigida ao senhor! O melhor era o senhor rever a gravação que fez dessa mesma reunião para se certificar que ninguém o insultou! Já agora que é tão cumpridor da lei como diz, está mesma gravação para que toda a gente saiba foi feita por este Senhor sem o consentimento dos presentes mas sim a sua revelia isto é as escondidas de toda a gente!!!!!!! O que é contra a lei!!!!!

  • Maria, das Caldas de São Paulo

    Caro Sr. Francisco Cruz

    Li a sua entrevista, e fiquei surpreendida, pelas suas palavras e pelas suas alegações!

    Surpreendida por desconhecer este seu lado de caluniador e usurpador.

    Sim, usurpador, Sr. Francisco! Quando se quer colocar acima da alma de um povo, acima da decisão camarária, e com jeitinho tentar colocar-se acima do próprio Estado.

    Tem noção que o Estado, somos todos nós?!

    O senhor é uma profunda desilusão, para mim e para um povo que no passado o acolheu de braços abertos e que sempre o tratou com dignidade e respeito.

    Palavras que o senhor desconhece!

    Não tem vergonha de alegar que o caminho de acesso ao poço das águas termais não é público?!

    Tantas vezes o usou para se dirigir ao poço ou à associação, recorda-se?

    ASSOCIAÇÃO RECREATIVA DOS AMIGOS DAS CALDAS DE SÃO PAULO.

    Sabe o qual o significado da palavra AMIZADE?

    Amizade: É um relacionamento humano que envolve o conhecimento mútuo e a afeição, além de lealdade.

    Mais uma vez palavras que o senhor desconhece!

    Quanto ao impedimento ao seu projeto…

    As Caldas de São Paulo não está contra o seu projeto, esta sua tentativa habilidosa de tentar gerar confusão e dúvida é no minimo hilariante.

    A não ser que esteja a tentar passar um atestado de burrice a todos os Oliveirenses!

    A única coisa que a população pretende é ver reposta a passagem pública centenária que tão grosseiramente e à revelia lhes foi retirada.

    Espero ter esclarecido a sua confusão!

    Quanto à inveja e ao facto de lhe quererem mal, devido ao abaixo assinado, mais uma vez o senhor está confuso!

    Abaixo assinado:Documento assinado por várias pessoas, em que se expressam reivindicações, solidariedade ou protesto

    Espero, mais uma vez o ter ajudado.

    Fiquei contente por saber que o senhor também não se identifica com sentimentos de inveja e que até os repudia!:)

    Então deixe de ser invejoso de uma vez por todas e devolva e reconstrua o caminho que sempre pertenceu à população das Caldas.

    Tão fácil!

    Mas não podia ser assim tão simples senhor Franscisco! Pois não?

    O suposto espirito de liderança da sua irmã parece afectar o seu descernimento, talvez um problema mal resolvido na adolescência?

    O invocar o santo nome da sua mãe (que conheço e por quem tenho um carinho especial) triste argumento!

    E afirmar terem-lhe proposto dar sociedade ao seu cunhado, a anedota do século.

    Cidadão Francisco estas afirmações revelam bem, quais os seus principios e valores!!

    Quanto à sua passagem pelas Caldas e nenhum subscritor do abaixo assinado lhe ter perguntado nada, além de confuso ou senhor parece ter também problemas de surdez!

    O facto de ter comprado a propriedade é uma constatação, o que vai lá fazer é publico, quanto à situação da destruição do caminho público o senhor foi questionado!

    Não por um, mas por várias pessoas da povoação. Ai a maldita surdez…

    Mas deixe-me adivinhar, o senhor está dizer a verdade e todos os outros são mentirosos!?

    Ora lá cai por terra mas uma das sua fantásticas afirmações:-As pessoas conhecem-me…

    As pessoas não o conhecem…mas estão cada vez mais fascinados e surpreendidas pelo senhor Francisco se estar a dar a conhecer com tamanha espontaneidade.

    Quanto à dita reunião em que foi apenas como sócio e proprietário, a sua postura foi tão neutra e apenas com mero interesse associativo, que sentiu necessidade de levar um gravador!?

    Cidadão Francisco, o senhor é que não devia continuar a “insultar” a inteligência e retidão da população das Caldas de São Paulo e também de todos os Oliveirenses!

    Quanto aos insultos, se efectivamente foram feitos (porque mais uma vez, é a sua palavra contra a da população), espero honestamente que tenham sido os merecidos, pois não tive oportunidade de estar presente, para eu ser eu a dizer-lhe que o seu comportamento é inaceitável e de uma profunda falta de carácter.

    E se ainda não lhe retiraram o estatuto de sócio, é para o senhor não ter mais um argumento falacioso para poder usar contra um povo que nunca fez mal a ninguém.

    O senhor para mim não faz parte da Associação Recreativa dos Amigos das Caldas de São Paulo. Um amigo não faz o que senhor fez e continua a fazer!

    Afirma nunca ter estado fechado ao diálogo.

    O senhor não anda a ver as mesmas gravações que eu vi! Com os problemas auditivos que manifesta o ideal é pedir para legendar a respectiva gravação.

    AS PESSOAS…ESTÃO A SER USADAS.

    Primeiro essas pessoas têm nome, e não têm qualquer problema em que seja usado, porque quem não deve não teme!

    As pessoas apenas estão a reinvidicar um direito centenário!

    E as pessoas que se refere, são simples e humildes, com um coração generoso, amigos dos seus amigos, mas não são “burras”!

    Ofende-me que trate os meus familiares, vizinhos e amigos dessa forma!

    A calçada (o caminho) que foi levantada…fundamenta a sua atitude de “ditador” com base numa declaração do antigo proprietário, o mesmo que lhe vendeu os terrenos (não a passagem que era pública), e pelos quais recebeu uma quantia!

    O que faria o Sr. Francisco no lugar dele? Assinava as declarações que fossem necessárias, não era assim? 🙂

    Acho que deve pedir uma indeminização ao antigo proprietário, mas o cidadão Francisco sabia perfeitamente desta situação, não é o inocente que proclama ser.

    Senhor Francisco quantas vezes percorreu o caminho público?

    Para os ensaios do grupo de cantares, para os jogos no recinto da associação, para uma banhoca no rio, até para ir buscar um garrafão de água termal para curar as maleitas, não é assim!?

    Mais uma vez, as pessoas…Que pelos vistos usam e abusam!

    O senhor é que abusou da confiança e da boa fé da população das Caldas de S.Paulo.

    E se a justiça for efectivamente feita, o senhor terá o seu empreendimento e a população terá o seu caminho.

    Parabéns por ser o único cumpridor da lei neste processo!:)

    É que o presidente da Camara não cumpre a lei, a população das Caldas não cumpre a lei…com jeitinho o senhor será o único cidadão em Portugal a cumprir a lei!

    O cidadão Francisco tem imenso jeito para a stand up.:)

    Quer saber o que é que me tirou do sério, cidadão Francisco?

    A sua queixa crime contra os subscritores do abaixo assinado: a minha familia, os meus vizinhos e os meus amigos!

    A minha grande família é a minha aldeia, gente simples e generosa, na sua maioria idosos, que vivem das suas parcas reformas.

    É também a minha geração, educada com os valores corretos, com sentido de justiça, e graças a Deus e ao esforço e trabalho dos nossos pais, munidos de formação para fazer frente a pessoas como o senhor Francisco.

    Tolerância Zero, perante molestadores que se escondem atrás de queixas crimes, na tentativa de gerar o pânico e o medo em 80 subscritores, aos quais está a exigir indemenizações!!

    Tudo porque querem que lhes seja devolvido um caminho público centenário!

    E se deixarem de ser 80 pessoas? E se passarem a ser centenas de pessoas a protestar e a assinar? E quem sabe até milhares…?

    Também vai mover uma queixa crime?!

    Segundo as suas palavras Sr. Francisco ninguém tem poderes para lhe exigir a restituição do caminho, nem presidente da camara, nem vereadores, nem a população…

    ESTÁ ENGANADO, O PODER É DO POVO!

    Faço um apelo aos Oliveirenses a todos aqueles que como eu têm uma grande família A SUA ALDEIA!

    Que defendem o património local, que se regem por valores morais de respeito e lealdade.

    QUE SE UNAM NUM MOVIMENTO DE SOLIDARIEDADE PARA COM A POVOAÇÃO CALDAS DE SÃO PAULO.

    Mostrando que não devemos ter medo por reinvidicar os nossos direitos e que a lei não deve ser usada de forma leviana.

    A todos os que quiserem ser solidários enviando um comentário, o vosso nome a localidade, o meu muito obrigado.

    • Olho vivo e pé ligeiro

      Cara Maria das Caldas;

      As oitenta pessoas que assinaram têm que responder por tal, pois se não têm provas de que o caminho é público, estão a roubar, como tal, têm que responder por isso. Mais estão a atrasar um processo para com o qual têm responsabilidade e que leva a prejuízos, não se esqueçam, esta norma vem também de tempos imemoriais.
      Tem toda a lógica que o caminho seja privado. Caso não fosse aparecia nos mapas cartográficos como público, e esses mapas são muito mais antigos do que essas oitenta pessoas se lembram.
      Estão a fazer um roubo e o presidente da CMOH está a ser conivente. Isto é muito grave

      • Maria, das Caldas de São Paulo

        Caro Junior,

        O sr. só tem mesmo um olho vivo! Vê só aquilo que esse “olho” lhe permite ver.:) E ligeira é a sua verborreia desprovida de sentido, que roça a profunda falta de educação pela forma como trata outros seres humanos que o senhor nem conhece!

        Quanto às provas…quem lhe disse que não existem provas?!

        A “procissão já vai no adro”…
        procure no link: http://www.youtube.com/watch?v=c9pKhCYZEoQ

        Percebo o desiquilíbrio, porque se um pé é supostamente ligeiro… e outro está amarrado pelo paizinho…

        Quando lhe derem a carta de alforria…vai perceber o quanto a liberdade é um bem precioso.
        A liberdade de expressão, a liberdade de ter identidade própria, etc

        Cresça primeiro, e depois apareça! Para podermos conversar como 2 adultos.

        Só assim vai deixar de usar a sua lógica tendenciosa e passará a falar com base na realidade.

        Roubo, foi perpetrado um!

        Por um senhor que sem autorização das entidades competentes para o efeito, roubou e destruiu um caminho centenário.

        O único atraso que vejo nesta situação toda…é o mental.

        E não se preocupe…nós não esquecemos.
        A memória de um povo não se restringe à idade de 80 corajosas pessoas, vai muito além disso.

        Mas o Júnior ainda é muito pequenino para perceber isso.

        Os meus melhores cumprimentos, e espero que a sua vida lhe traga muita luz, muita serenidade e alguma clarividência.

        Maria das Caldas de São Paulo.

        • Olho vivo e pé ligeiro

          Oh Maria! Maria!!! Das Caldas não é? Pois é!!
          Não custa nada, fazer uma digitalização e colocar aqui os documentos.
          Anda lá Maria, mostra o que vales. Mostra lá os documentos, ou, nem um “das Caldas” lá tens?

          • Maria, das Caldas de São Paulo

            Sim, Maria.
            Sim das Caldas de São Paulo.

            Eu percebo…o que desconhecemos assusta!
            Pois vais permanecer assim.:)

            E não tenho que mostrar nada! Pelo menos aqui!

            Isso é atitude de gente pouco inteligente e imatura.:)

            Se tens essa necessidade de mostrar toda a tua “maravilhosa personalidade”, força…as pessoas estão a gostar imenso de conhecer o teu intelecto.

            Obrigado pelas gargalhadas, agradecemos cada segundo hilariante que nos proporcionas.

            Os meus melhores cumprimentos

  • Gente desta Terra

    Caro olho vivo e pé ligeiro
    Quem é você para dizer, que não a cartas cartográficas que mostrem que o caminho é publico sabendo que elas existem!

    Já agora esta a chamar o povo de ladrão!!!!!
    Devia primeiro olhar para os seus que se dizem cumpridores de leis e detentores do saber!

    As pessoas que assinaram o baixo assinado só querem que a terra que os viu nascer, … continue igual e que possam usufruir daquilo que sempre usufruíram mais nada!

    Outra coisa respeite quem podia ser seu Pai, sua Mãe, seus Avós pois sem bem quem é o senhor!!!!! Tenha respeito!!!!! É uma coisa que de certo o seu Pai não lhe ensinou!!!!!!!!!!!!!

    • Olho vivo e pé ligeiro

      Ó gentálha ou gentita;

      O meu pai ensinou-me entre outras coisas a não querer o que não é meu.
      Devias fazer o mesmo.
      Em vez de andares por aqui a tentar enganar cegos, mostra as provas de que o caminho é público. Mostra se és GENTE, ou então não passas de um monte de bosta.
      As pessoas que assinaram, se estão tão seguras dessa veracidade, nada têm a temer, mostram, as provas.
      Mas não, porque é mentira. Querem tirar o terreno que tem dono, e tem dono desde tempos imemoriais, no entanto têm que passar pelo tribunal, que deve ser a defesa dos justos.
      A verdade é só uma. Quem causa prejuízos tem que pagar por eles.

      • Gente desta terra

        Não entendo o porque de ter ficado tão nervoso! Quem não deve não teme!!!!!!

        Mas o senhor mais uma vez provou aqui neste depoimento que o seu Pai não lhe deu mesmo educação!!!

        • Olho vivo e pé ligeiro

          Sua amostra de GENTE;

          Quem é que lhe disse que fiquei nervoso? Só na sua oca cabecita.
          Devo ao banco, porque comprei o que não era meu, mas pago todos os meses o que contratei, tal como o meu Pai me ensinou. Não me ensinou a arranjar assinaturas de velhinhos para roubar o que não é meu. Isso aprendeu certa gente.
          O meu pai não me precisou de ensinar a identificar merda, nota-se a léguas pelo cheiro que emana.
          Estou em crer que não devia pertencer a essa “Liga de Amigos”, sai-a daí, inscreva-se na “Liga de Amigos de Peniche”.

          • gente desta Terra

            Ainda você e os seus dizem que respeitam a população de Caldas de S.Paulo!!!!!!!!!

            Obrigada pelo conselho que me deu,…. mas respeite também a população de Peniche eles também se dão ao respeito!!!!!!!

          • Olho vivo e pé ligeiro

            gentálha;

            Eu respeito quem merece respeito.
            E realmente o respeito que as Gentes de Peniche merecem, não permite que concorde com a sua inscrição na sua “Liga de Amigos”, pois conspurcava toda essa sociedade.

          • Gente desta Terra

            Tenho pena que lhe tenham acabado os argumentos!

            Só isso justifica o facto de tentar desviar o tema em debate!

            Boa Noite!

          • Olho vivo e pé ligeiro

            Oh minha gente!!!!
            Então isto passou a debate??? E temático???
            Não minha gente, tens é que provar com documentos que não estão a roubar terreno particular.
            O tema minha gente, não é só o Sr. Professor, Srª Professora e companhia andarem a pedir autógrafos para tirar o terreno aos donos.
            O tema minha gente, é agora pedir provas aos assinantes, claro com os cuzinhos sentadinhos nuns mochinhos, perante a Lei. E depois é pagarem todos os custozinhos do tribunal mais as indemnizações que não vão ser pequenas.
            Esse minha gente é que é o tema em questão. Mais caso o projecto se perca por causa desta situação, preparem-se para arranjarem uns valentes milhões.
            Sabes o que é que acho minha gente. Tanto quiseram prejudicar o homem, que o vão tornar rico.

          • Gente desta Terra

            Desculpe mas o senhor deve estar confuso! No topo superior esquerdo está escrito comentário, para que as pessoas possam livremente colocar a sua opinião (liberdade de expressão) e onde as outras pessoas podem também o fazer livremente! No seu caso o senhor comentou a minha opinião e eu respondi o que para mim se torna um debate publico em que toda a gente pode entrar e dar a sua opinião!

            E mais uma vez lhe digo não chame para aqui quem não é chamado! O senhor como já não tem mais que dizer mete ao barulho quem não deve!

            O Povo das Caldas não precisa de ninguém para tomar as suas decisões….

      • Maria, das Caldas de São Paulo

        Pois parece que o paizinho ensinou muitas coisas feias!

        É que depois do exemplo: “monte de B.O.S.T.A”…e “M.E.R.D.A” (presente numa outra resposta sua) e dirigida à GENTE DESTA TERRA…

        Ó filho a gentalha é que fala assim!!

        Palavrão é muito feio…

        Por esse motivo fica aqui uma música muito animada, que até tem alguns desenhos animados (pareceu-me adequado para a idade mental).

        O Espectacular…… FUNK SEM PALAVRÂO.

        Espero que ajude a controlar essa agressividade verbal…segue o caminho da luz filho, foge do lado negro da “força”.
        As melhoras!

        http://www.youtube.com/watch?v=Qoe44X_h9E8

        Os meus melhores cumprimentos

        • Olho vivo e pé ligeiro

          Oh Maria, Maria! Das Caldas né?
          Fica muito sensibilizada com bosta, ou mesmo merda? Coitadinha!
          No entanto não se escandaliza quando tenta ROUBAR terreno ao seu proprietário.
          Deus disse : “Não roubarás”, ou “não defecarás”?
          Tem juízo e não atrases a tua terra, usando mentiras.

          • Maria, das Caldas de São Paulo

            Acredita em Deus? Parabéns!

            Eu acredito na lei do retorno: Receberás ao dobro tudo aquilo que fizeres, de bom e de mau.:)

            Vejo que já houve uma grande evolução na sua escrita, aprendeu que “defecar” não é ofensivo. Mais uma vez Parabéns!:)

            E escândalo é a destruição do nosso caminho centenário.

            A culpa do atraso é do paizinho, que não está aberto ao diálogo com a povoação.

            Ele é que é o único responsável pelo atraso!

            Os meus melhores cumprimentos

          • Olho vivo e pé ligeiro

            Oh Maria! Maria!
            Queres então o dobro do que investes? Grande negócio.
            Nem Deus, arranja assim um retorno.
            Podes começar por carregar os paralelos oferecidos pelo Mário Alves, e esperar que o Alexandrino te dê outros tantos.
            Mas olha!!! Eu só quero ver os papeis que comprovam a tua tese.
            Palavrinhas, leva-as o vento.

          • Maria das Caldas de São Paulo

            Ò filho, está mais que visto que tens graves lacunas no português, graves dificuldades de interpretação, ou melhor…dificuldades de concentração.

            Isso tem cura, não te preocupes!

            O único que invocou o santo nome de Deus em vão foste tu!!

            Se não sabes o que é a lei do retorno e não percebeste a sua aplicação no contexto…pesquisa na net!

            Que tu querias ver…sei eu.;)

            Quanto às pedras…aproveita para fazeres a típica sopa, para ver se te fortalece o intelecto, e quentinha, pode ser que te acalme os nervos e que te conforte.

            Já vi esgotamentos a começar por menos!

            Poupa as tuas forças…

            Pareces um D.Quixote a lutar contra moinhos de Vento! Até dá pena!

            Os meus melhores cumprimentos e as melhoras.

          • Olho vivo e pé ligeiro

            Maria, Maria!!!

            Tens pena!!! Quem diria!
            Olha lá! E os documentos a comprovar? Nada?
            Em tribunal tudo será claro. e ao correr da pena, qual será a (tua) pena?

          • Maria das Caldas de São Paulo

            Caro Junior,

            Como lhe disse…aqui e a si nada tenho a comprovar.

            Isso será resolvido no local correto.

            E já que fala com tenta segurança, onde estão os seus documentos digitalizados e a comprovar que o caminho não é público?! 🙂

            Assim podemos explorar…os decretos lei, o que acha?

            Direito é uma área que sempre me cativou.:)

            Sente-se capaz?

            Os meus melhores cumprimentos

          • Maria das Caldas de S.Paulo

            Engraçado…Ficou sem pio, quando o desafiei a digitalizar os documentos.:)

            Como em tudo na vida, é preciso dar para receber!
            Os meus melhores cumprimentos.

          • Olho vivo e pé ligeiro

            Mariazita;

            Quando colocares aqui um documento idóneo que comprove que o caminho é publico, mostro dezenas deles a provar que é privado.
            Avança, já que gostas de Direito, mais, és a pessoa ideal para ires defender o caso em tribunal.

  • Elefante Branco

    Será este, um projecto viável!? Gostava de perceber qual a taxa de ocupação media anual estimada … Será rentável…. hummmm… não me parece…
    O investimento será efectuado na sua totalidade através de capitais próprios? É que se for o Estado a injectar dinheiro num projecto liderado por gente desta…. não vejo grande futuro…
    .

    • Domador de elefantes

      Olha lá ó elefante;
      O que não permite o inicio do projecto é a emissão do alvará de construção que não é viabilizado pela CMOH devido à questão do caminho. Os estudos financeiros foram todos há muito aprovados pelas entidades financiadoras.
      E não estou a ver o elefante a pôr dinheiro do dele para estar preocupado com tal.

  • Branco

    Há determinados animais que, pela sua fisionomia, tem grandes problemas em lidar com a sua tromba, como é o caso do elefante!!!!!
    Depois, …. tentam metê-la, …… onde não são chamados!!!
    He! He! He!

  • Elefante Branco

    Já temos Circo!! O Elefante, o Domador e o Palhaço….
    Ueeeeeeeh………..AHHH

    • Domador de elefantes

      Há muito que temos circo.
      Excesso de palhaços, muitos malabaristas e alguns ilusionistas.

    • Gente desta Terra

      Senhor Elefante Branco…. com a crise que o país vive, o senhor domador tem razão! Mas esqueceu-se de dizer uma coisa importante….que o mestre de circo (O Senhor Branco / Que tem olho vivo e pé ligeiro) teve de despedir elementos e que o senhor Domador tem que realizar todos os momentos deste circo desde os palhaços, malabaristas, ilusionistas, etc!!!!!!!!

      • Domador de elefantes

        Infelizmente aqui, não se consegue mostrar que a gente desta terra são na sua maioria palhaços nas mão de alguns malabaristas e ilusionistas que também são gente desta terra.

        • Gente desta Terra

          Estou a ver que você é multifacetado, vai desde Olho vivo e pé ligeiro/ Branco/ e Domador de elefantes!

          Afinal o circo só tem um elemento!

          • Olho vivo e pé ligeiro

            Se calhar a Maria não passa mas é de gente desta terra.
            Mariazita podem lá ter passado milhões de pessoas, mas passaram por um caminho privado. Mostra os documentos que provem que o caminho é publico, e sou o primeiro a pedir desculpas.
            Mas não conseguem porque sabem que estão a roubar o terreno ao dono. Andas-te a recolher assinaturas? Agora vês as pessoas com medo de terem ajudado ao roubo? Pois é, mais cedo ou mais tarde seria um caso de justiça, e agora? Pagas tu as indemnizações por inteiro como é o mais natural que as haja?
            Já viste a quanto pode chegar? O projecto custa 6 milhões de euros, o trabalho do proprietário é incalculável, nunca menos de 1 milhão de euros, que o prejuízo deste tempo todo seja de mais 2 milhões, soma-lhe as despesas de tribunal, divide tudo pelos 80 assinantes, e vais ver como calha entre 120 a 150 mil euros a cada um.
            Vais tu pagar por eles? Arranjas perto de 10 milhões de euros?
            Andas-te a brincar com coisas muito sérias, agora aguenta-te à bronca.

          • Maria, das Caldas de São Paulo

            Boa noite Junior,

            Ainda não sofro de desdobramento de personalidades como o senhor!

            A verdade é que há muitas “Marias na terra”, com maturidade e “savoir-faire” para as quais o senhor não passa de um coitadinho desesperado, com um discurso desarticulado e pobre.

            O seu problema está diagnosticado: Transtorno explosivo intermitente, com apenas uma variante, voçê não sente vergonha, não se arrepende e não pede desculpa!

            Quanto aos meus documentos… deixe-me recordar a minha resposta anterior:

            Como lhe disse…aqui e a si nada tenho a comprovar.

            Isso será resolvido no local correto.

            E já que fala com tenta segurança, onde estão os seus documentos digitalizados e a comprovar que o caminho não é público?! 🙂

            Assim podemos explorar…os decretos lei, o que acha?

            Direito é uma área que sempre me cativou.:)

            Sente-se capaz?

            RECORDADO!!

            Ao que o sr. respondeu:

            Quando colocares aqui um documento idóneo que comprove que o caminho é publico, mostro dezenas deles a provar que é privado.
            Avança, já que gostas de Direito, mais, és a pessoa ideal para ires defender o caso em tribunal.

            RESUMINDO: NÃO FOI CAPAZ! ESTOU Á ESPERA DAS DEZENAS DE DOCUMENTOS! 🙂

            E voltou a conversinha pobre e repetitiva que lhe é tipica!

            Se andei a recolher assinaturas? Nem sequer me movi!

            As Caldas de S.Paulo, tem gente solidária a oferecer-se para assinar, graças á manifestação de profunda falta de principios e valores morais do paizinho, e graças à sua verborreia e do discurso dos seus imensos heterónimos, a opinião pública está do nosso lado:)

            Por esse motivo: O MEU MUITO OBRIGADO.

            Quanto ao medo…não me intimido com pobres de espirito, como o senhor.

            Voçês é que perseguiram e intimidaram pessoas! Tentam incutir o medo naqueles que infelizmente não se sabem ou podem proteger e defender.

            As indeminizações e os milhões…deixe isso para quem verdadeiramente sabe e tem conhecimento para decidir.:)

            Deixe-me fazer uma última correção, EU NÃO BRINCO!

            Os senhores é que andam a brincar…com a povoação das Caldas de S.Paulo.

            Devo informar que esta Maria, é uma Maria sem medos!:)
            Nascida e criada numa aldeia de gente destemida e corajosa.

            É UMA HONRA PERTENCER A UM POVO ASSIM…QUE LUTA PELA VERDADE.

            Os meus melhores cumprimentos Junior.

        • Maria das Caldas de São Paulo

          Está muito enganado sr. Domador!:) A arrogância da escolha do nome diz tudo…o único aqui que aparentemente quer passar a mensagem de que doma alguma coisa… é o senhor!

          Pois jamais, irá domar os livres pensadores, jamais irá domar a vontade do povo Caldas de S.Paulo.

          O único que tenta fazer malabarismo com as palavras…é vossa senhoria!
          E ilusionismo, é a arte de criar ilusão através de truques.
          E o sr. é cheio de truques, não é assim?

          Uma queixa crime para amedrontar pessoas (grande truque!)

          O que é que os Oliveirenses vão pensar do seu maravilhoso carácter, quando se tornar público, que o senhor e “afiliados”, andam a “perseguir” os elementos do abaixo assinado, com um documento para assinarem…!

          E algumas pessoas, que por força das circunstâncias não tiveram possibilidade de terem muitos estudos, e por não terem conhecimento da lei, e com a ameaça, de que ficariam sem nada, assinaram o dito documento.

          Porque eles não sabem o que é PERJÚRIO!

          E vossa senhoria, garanto que também não lhes vai explicar.

          Quem é afinal o ilusionista?!

          Para quem não saiba, porque não é vergonha não saber: Perjúrio significa, juramento falso.

          Por isso faço um apelo aos poucos que assinaram esse documento, se não acreditam no que acabei de afirmar, consultem alguém que realmente seja isento e vos possa esclarecer e ajudar.
          Porque acabaram de vos “enganar” e agora sim…cometeram um crime punido por lei!

          Quem vos diz isto, é alguém que se preocupa realmente convosco, que vos conhece, que percebe o facto de num momento de medo pelo vosso futuro, não terem imaginado a gravidade deste acto!

          Sei que não agiram de má fé, agiram por medo.

          E se há algo, que não pode fazer parte da vida de ninguém é o medo!
          É essa a mensagem que querem passar aos vossos filhos, aos vossos netos?!

          Querem testar se digo a verdade ou não? Peçam de volta esse documento e cópias que possam ter sido feitas.

          Sabem qual vai ser a resposta?
          A não devolução, no meio de uma longa conversa de garantias de que nada de mal acontecerá!

          Mesmo sem alguns elementos, nada deterá esta população na sua luta pela verdade, e pela reposição da nossa herança centenária.

          Com facilidade juntaremos centenas de assinaturas de pessoas que usaram o nosso caminho.

          Participantes de campos de trabalho internacionais, participantes de campos de férias (de todo o país), os participantes e apoiantes (de quase todas as aldeias do conselho) das equipas dos torneios de futebol organizados pela Liga,etc.

          Esta lista não tem fim, pessoas que amam a nossa aldeia estão a disponibilizar a sua assinatura, e que ironicamente conviveram com o senhor Francisco e na companhia dele trilharam este mesmo caminho!:)

          Sim, nós mantemos contacto com os nossos filhos adoptivos!:)

          SOMOS UMA ALDEIA PEQUENA; MAS TEMOS UM CORAÇÃO ENORME!:)

          E não manipulamos, acarinhamos.

          Não iludimos, somos frontais.

          Não maltratamos, dialogamos sempre com base no respeito.

          E nunca, jamais, baixaremos os braços enquanto se cometerem atentados contra o nosso património, a nossa identidade, a nossa honra e a nossa liberdade.

          JUNTOS SOMOS UMA SÓ VOZ!

          Amo a minha aldeia e estou convosco para o que der e vier! Sempre!
          Que Deus vos abençoe a todos, pela vossa força e determinação.

          Um abraço do tamanho do mundo, da vossa Maria.

          Aqui ninguém está nas mãos de ninguém, deve estar a falar das “ovelhas do seu rebanho”.

  • Habitante de Sº Anto Alva

    Antes demais, muito se fala e pouco se acerta,,,,

    Antonio de´Penalva melhor meteres a viola no saco, vens para aqui falar de estudos de viabilização e afins já vi jumentos mais inteligentes..
    Maria, estás a manchar esse nome com a tua verborreia mental… não será dificil de perceber que és da família muito próxima do entrevistado. Não te percas porque a prova será mais fácil de fazer do que imaginas.
    Segundo ultimas informações, existem desistentes no abaixo assinado pois teriam de mentir em tribunal, pois eles sabem que o caminho é privado. Mais ainda já começaram a pedir dinheiro aos assinantes para pagar ao advogado da causa perdida.
    Quanto ao Alexandrino sai muito mal da fotografia, pois está a pactuar e a deliberar em sede própria contra lei, por isso essa vai também cair.
    Venha mas é a obra que já tarda em aparecer e quem perde é o concelho e mais ainda as aldeias limítrofes ás Caldas.

    • Gente desta Terra

      Por mais que mude o nome dos seus comentários, toda a gente vê quem escreve é a mesma pessoa!

      Como não tem mais argumentos o discurso é repetitivo!

      Já cansa ………

      Outra coisa não coloque o nome de Sº António do Alva ao barulho as gentes dessa terra têm muito valor para mim. E desta forma esta a manchar-lhe o nome pelo menos no discurso que implementou para o António de Penalva e a Maria das Caldas.

      A má educação continua presente!!!!!!!!!!

      • Habitante de Sº Anto Alva

        Gentalha da terra, apenas te digo que como habitante que sou de Santo António do Alva uso o nome que bem entendo, pois na nossa aldeia não pactuamos com mentirosos nem com quem aqui veio casar e trouxe os problemas lá das Caldas para a nossa aldeia.

        Tu és daqueles que ou perfilhamos da tua opinião ou não prestamos, só te vou dizer que nem a ti nem a ninguém presto vassalagem estamos entendidos.

        Mal educado foi quem te fez as orelhas…. espero ficar por aqui.

        Só mais uma coisa, Santo António do Alva tem um centro de dia, um posto médico uma farmácia, sabes porque tem isso tudo, por força da união dos habitantes da nossa aldeia, que apesar de ter opiniões diferentes quando toca a unir para trazer prosperidade, qualidade de vida e auxilio aos habitantes não entramos em guerrinhas por não ter sido dada sociedade no negócio, estás a ver toma lá em cheio.

        Toma vergonha e quando pensares aparecer em Santo António do Alva vê se não trazes essa maldade e inveja contigo que apesar de estarmos vacinados não gostamos na mesma.

      • Olho vivo e pé ligeiro

        Já te oportunidade de te dizer que nem Gente és, na verdade és uma amostra de gente.
        O que sempre pedi foi que apresentassem (porque embora poucos são mais do que um) as provas de como o caminho é publico.
        Todo o resto que por aqui andas a fazer é quereres tapar os olhos às pessoas, ás gentes. Mentiroso desta terra é como devias assinar.

  • Ana Isabel Mota

    Venho aqui comentar de forma livre e desacorrentada a qualquer opinião pré-formada com o intuito de esclarecer a dúvida que me surge ao ler tantas coisas paradoxais a este respeito. A mero título de exemplo, que seja o caminho público, mais que não seja um género alternativo ou inverso de “usucapião” como se fazia aos terrenos mas desta vez público. A pergunta a que gostaria que reflectissem e me ajudassem, honestamente, a responder é: “Sendo que o caminho é público, não será mais profícuo à região de Oliveira do Hospital que ele deixe de o ser por boa vontade do povo, passando a existir ali uma fonte de rendimentos e um atractivo turístico da nossa bela região, ao invés de ser público e não ter relevância económica alguma?” Repito, deixo a questão para que reflictam e me ajudem a perceber se faz sentido toda esta guerra à volta de um assunto que para mim só deveria trazer prosperidade.

    Respeitosamente,

    Ana

    • Gente desta Terra

      Cara Ana

      A população de Caldas de Sº Paulo não esta contra o empreendimento. Pelo contrário, é uma mais valia para a Freguesia e para o conselho.

      Nós só pedimos que o Senhor Francisco deixe passagem para as águas termais, como sempre ouve e que deixe condições de acesso para a evolução da Aldeia com a presença do seu projecto, nada mais!

      Mas o Senhor Francisco que diz ter estado sempre aberto ao dialogo criou uma guerra com a população desde que comprou os terrenos em 2009.

      Em primeiro na reunião em que o senhor Francisco diz ter sido insulado, realizou uma gravação sem o consentimento dos associados presentes!!!!! Logo aí começou mal.

      Em seguida esburacou e arrancou árvores sem necessidade momentânea no terreno em frente ao Café do Tio Adelino, onde as pessoas simplesmente estacionavam os carros, para tomar café irem as compras ou porque as suas casas não tinham garagem. Sabe o porque desta atitude… não… eu digo…. para afrontar a família Mendes ou melhor o seu Cunhado o Professor Zé Carlos filho do Tio Adelino. Mas o que ele conseguiu foi revoltar mais uma vez a população!

      Depois arrancou a calçada que dava acesso ao poço das águas termais… para que??????!!!!! Se o seu projecto ainda não tem alvará porque não esperar por ele para ter tomado estas atitudes.

      Porque é que este senhor colocou os assinantes do abaixo assinado em tribunal????????????

      Ana pergunto-lhe:

      Nunca assinou um abaixo assinado porque queria “lutar” por algo!!!!!!??????

      Foi o que fez a população!

      Agora ele pede uma indemnização a estas pessoas que na maioria vivem do que lhes dá a terra e do misero dinheiro da sua reforma!

      É triste mas é verdade!

      Se estivesse aqui a escrever tudo o que este senhor já fez a população não saia daqui!

      Mais uma vez digo ninguém está contra ele só queremos o que o povo sempre usufrui!

      Com os melhores comprimentos

      • Olho vivo e pé ligeiro

        Gentalha;

        Ninguém esta contra ele!!!
        Essa é boa. Então o homem anda há anos para viabilizar o projecto em que investiu, tudo fizeram para o deitar abaixo e agora que se viu obrigado em ultima estância a recorrer ao tribunal, à Lei, já viram o bico ao prego.
        O Sr. Francisco tem sofrido ataques de todos os lados, particularmente da família, todos lhe querem arruinar a vida e agora como vai custar muitos euros, mudam de filosofia. Cobardes, é o que são e mentirosos asquerosos, deviam pedir desculpas publicas pelo roubo que tentam perpetuar.
        São mesmo fracas amostras de gente.
        Sr. Francisco, vá até às ultimas consequências, faça pagar a despesa e a vergonha porque o têm feito passar.

      • Habitante de Sº Anto Alva

        Gentalha da terra….

        Tu és demais, só faltava a cereja no topo do bolo, agora já nem se pode fazer uso do bem privado ao seu belo gosto…ai estragou o estacionamento para ir a taberna, lindo nunca pensei ouvir esta, quando tipo 10 metros depois da taberna para quem entra nas Caldas existe estacionamento, só visto. A gentalha da terra agora diz que coitados não têm dinheiro para indemnizações, quando lhes foram agora a pedir dinheiro para pagar ao advogado da causa perdida, coitados vivem da terra.. Gente que vive da terra e que foi mal conduzida por orquestra mal montada, que se veêm agora num problema, tenho é pena deles.

        Tu és essa dessa terra mas não mereces ser….és cão sem dono….

        Ana posso dizer que esta gente sempre se tem pautado por esta postura, o gentalha maria e afins, aqui dizem nada têm contra projecto desde que seja como eles querem e como podes ver o proprietário é que é o mau por ter usado do seu bem privado como bem quis, isto é surreal.. Ana e caso queiras ser mais bem esclarecida, o dono da obra e do projecto sempre disse que quem quiser ser esclarecido que o contacte que ele tem todo o prazer de o fazer, e podes colocar todas as questões que bem entenderes, tal como eu o fiz, e ele prontificou-se a prestar todos os esclarecimentos.

        Para esses mentes captas não sou da familia nem de perto do Prof. Francisco Cruz, mas sou defensor do seu projecto pelo que de bom trás as nossas aldeias.

        • Gente desta Terra

          Tenho pena que está gente cada vez mais mostre aqui a educação que tem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

          • Habitante de Sº Anto Alva

            Reduz-te á tua ignorância….não andes a brincar com a gente humilde das Caldas não faças deles tuas marionetes…eleva-te e faz-te homem se conseguires.

          • Gente desta Terra

            Porque achas tu que sou um Homem!!!!!!!!! Digo-te já que estas de verás enganado. 🙂 LOL

          • Habitante de Sº Anto Alva

            Jumento, uma aulinha…homem com H grande…entendes agora ou nem por isso…

          • Gente desta Terra

            Vai estudar…. o novo acordo ortográfico!

          • Gente desta Terra

            Antes de te armares em esperto vai estudar o novo acordo ortográfico!

        • Muito Atento

          Os comentários sucedem-se, a linguagem mantém-se.

          Os nomes mudam, mas o escritor nem por isso – escorrega na esparrela de manter o mesmo tipo de texto bem como a linguagem brejeira.

          É paradigmático que a defesa dos interesses do sr. promotor do projeto seja feita desde o início (da entrevista aos comentários) com base na calúnia, na arruaça, na maldicência, na falta de educação.

          É o primeiro comentário que publico e será o último, porque para este tipo de comportamentos, a melhor resposta é o desprezo.

          Qualquer pessoa minimamente lúcida que leia os comentários aqui vertidos poderá tirar as suas conclusões sobre o tipo de pessoa que lidera este projeto, bem como sobre de quem de forma cega, odiosa e desesperada tenta defender o indefensável.

          Compreendo a frustração de quem vê ir por água abaixo um projeto desta dimensão.

          Por outro lado, entendo que alguém que tem tanta confiança na propriedade do caminho não necessita de vir a terreiro com esta linguagem inflamada, numa tentativa clara de contaminação da opinião pública acerca deste tema.

          Parabéns às diversas pessoas que têm ao longo destes comentários defendido a sua opinião de forma séria e educada, contribuindo com algumas achegas para o desmontar do discurso desta entrevista.

  • Nuno

    Ana,

    O que entende por relevância económica?
    Milhões do dinheiro Público, investido num projecto de sustentabilidade muito duvidosa?

    Se é isso, estamos de acordo.

    Devia – mos era chamar a Comunicação Social, e denunciar esta situação….
    Estou certo que o Sr. Francisco iria mudar radicalmente a sua postura perante o Povo.

    Vamos ver qual a decisão dos tribunais… Estaremos aqui para comentar…

    Cumprimentos

    • Moita

      Nuno, chama estás á espera de quê ? Já ontem era tarde. Milhões de dinheiro público ? quantos milhões são esses já agora ? Mais um zé balelas. Não me digas que também és subscritor da carta do teu padrinho ao sr. director do jornal. vocês são um pagode.

      • Nuno

        Moitas,

        Parece que está esquecido / ou não sabe….

        Fica aqui para recordar 🙂

        http://correiodabeiraserra.com/empresario-oliveirense-quer-transformar-caldas-de-s-paulo-numa-estancia-termal/

        Em 2009 eram 2 milhões…

        Cumprimentos

        • Moita

          Só isso…pensei que eram 10 ou 20 milhões….

          Toma lá então para não te esqueceres vindo directamente da Taberna das Caldas..

          http://www.aguas.ics.ul.pt/coimbra_spaulo.html

          • Nuno

            O Povo sabe… E é por isso que quer continuar a ter acesso…
            As pessoas que vê nas imagens, certamente usaram o “falado” caminho…

            Agora fiquei confuso, de que lado está afinal?

            Cumprimentos

          • Gente desta Terra

            Caro Nuno

            Não podia estar mais de acordo contigo… realmente desconhecia esta noticia!

            Aqui está uma prova que avia acesso aos banhos como o povo diz!!!!!

  • Panoramix

    http://correiodabeiraserra.com/carta-ao-diretor-2/

    Para que não se perca o “fio à meada”.

  • carlos pinto

    A linguagem utilizada por alguns que têm tentado defender ou estado contra o prof. Francisco não tem sido a mais correta, mas também não se pode estar a associar esse tipo de discurso a ele ou a qualquer pessoa a ele ligado.
    Mas, este é só mais um comentário de alguém que está mais preocupado com o desenvolvimento da região do que com esta guerra de palavras que a lado nenhum leva. Se já está em tribunal, deixem o tribunal pronunciar-se.

    • Moita

      Carlos Pinto ou será Rui basófias ?? acho que o último te assenta melhor lolollo..

  • Maria, das Caldas de São Paulo

    Este poema é para os meus familiares, amigos e vizinhos, ou seja, toda a população das Caldas de S.Paulo e amigos.
    Faço minhas as palavras do poeta Fernando Pessoa

    Porque a nossa maior riqueza é poder VER.:)

    DA MINHA ALDEIA vejo quando da terra se pode ver no Universo….
    Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
    Porque eu sou do tamanho do que vejo
    E não do tamanho da minha altura…

    Nas cidades a vida é mais pequena
    Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
    Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
    Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
    Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
    E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver.

    Alberto Caeiro

    Um abraço do tamanho do Mundo, da vossa Maria.

    • abc

      Esta senhora está psquiatricamente doente, preciso de internamento!

      • Maria, das Caldas de São Paulo

        Junior,

        Voçê deve ser a pessoa com mais desdobramento de personagens que conheço!, Muda o nome mantêm-se latente essa “raiva”,e a linguagem que lhe é caraterística.

        O seu quadro clinico é atroz…sono alterado, falta de apetite, suores frios nocturnos, comportamento obsessivo, e acessos descontrolados de fúria sempre que ouve ou lê o nome MARIA!:)
        Já lhe disse qual era o seu problema, TRANSTORNO EXPLOSIVO INTERMITENTE!
        Se não acredita, segue em anexo uma breve explicação e um teste de dignóstico!

        http://www.minhavida.com.br/bem-estar/testes/11212-teste-voce-e-uma-pessoa-paciente.

        Muito obrigado pela educação, tratando-me por senhora.:)
        Sinto que o senhor poderá ainda não ser um caso totalmente perdido…

        Os meus melhores cumprimentos