Obra sobre linguagem dos pedreiros lançado em Oliveira do Hospital

Obra sobre linguagem dos pedreiros lançado em Oliveira do Hospital

O livro “A Nossa História, os pedreiros e o seu verbo de segredos”, de Jorge Mendes, será lançado na próxima sexta-feira na Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital, às 18H00. A obra aborda a temática do “latim dos arguinas”, onde o autor faz um levantamento deste património imaterial centrado numa área territorial do país – do Mondego até ao extremo norte do país, fronteira com a Galiza. O objectivo, explica o advogado Jorge Mendes, é ir ao “encontro de todas as gírias” existentes nesta dispersão territorial e “encontrar temas comuns” nas cerca de doze linguagens que o autor identifica e que estão na base do glossário que apresenta.
O autor, natural de Oliveira do Hospital, não esqueceu o seu concelho natal e procedeu a uma recolha de termos locais e muito próprios, que possibilita “criar identidades nas freguesias que tiveram esta profissão” na sua base e que “era quase a única profissão” a que se dedicaram incontáveis gerações. São cinco, as identificadas pelo autor – Santa Ovaia, Nogueira do Cravo, Avô, Aldeia das Dez e Santo António do Alva. “A Nossa História, os pedreiros e o seu verbo de segredos” percorre a história desde o tempo dos romanos até ao presente para dar conta da importância que a profissão de pedreiro sempre assumiu e avança com uma tese para o surgimento deste “conjunto de palavras”, uma linguagem muito própria e que apenas eles dominavam. Estaria, avança o investigador, relacionada com a necessidade de “proteger os segredos da profissão” e os ensinamentos que passavam de pais para filhos, fazendo dos pedreiros, pessoas com reconhecimento social. Um cenário que acabaria por mudar, com a criação do ensino desta arte nas escolas industriais, e portanto acessível a qualquer um, o que conduziu a que “os mestres pedreiros” perdessem este “capital de importância”. Não obstante, ainda há quem saiba falar este latim dos arguinas.
Jorge Mendes tem as suas raízes no concelho de Oliveira do Hospital, nas freguesias de Santa Ovaia e Nogueira do Cravo, e ascendentes familiares que se dedicaram à profissão de pedreiro. É licenciado em Direito, pela Faculdade de Direito na Universidade de Lisboa, exerceu advocacia na capital e é consultor jurídico em vários serviços do Estado. É também autor da “Monografia Histórica de Santa Ovaia” que lançou no ano passado. A Obra será depois apresentada em várias freguesias: Santa Ovaia, Sociedade Recreativa, 1 de Novembro, 18H00; Nogueira do Cravo, Casa do Povo, 2 de Novembro, 17H00; Santo António do Alva, Sociedade Progressiva, 7 de Novembro, 21H00; Avô, Salão Nobre da Junta de Freguesia, 8 de Novembro, 16H00 e Aldeia das Dez, Ass. Melhoramentos Aldeense, 8 novembro, 21H00.

LEIA TAMBÉM

Atropelamento mortal em Candosa, concelho de Tábua

Mulher morreu hoje em Oliveira do Hospital vítima de atropelamento na EN17 junto ao Lidl

Uma mulher, com 60 anos, morreu ao final da manhã de hoje na sequência de …

João Paulo Albuquerque acusa PS por não concluir IC6, pelo menos, até 2030

João Paulo Albuquerque considera que o IC6 não é uma prioridade, mas sim uma necessidade …

  • Guest

    Zé do rio
    Não se esqueçam Nogueirenses,que um grande defensor dos verbos dos arguinas,e também já falava bastante,é o Sr. Dr. Borges de Carvalho,que foi vosso pároco durante vários anos.Que Deus lhe dê a saúde que ele tanto merece,e obrigado a ele por esses verbos do segredo.