1. É um verdadeiro embuste aquilo que agora o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital já vem designar como futuro Centro Escolar e que, afinal de contas, não passa de uma ampliação da Escola do 1º Ciclo de Ensino Básico da cidade, num investimento de aproximadamente 540 mil euros. Os alunos do 1º CEB vão continuar dispersos por instalações que já não são consentâneas com os dias de hoje e, enquanto isso, quase todos os concelhos da região – aproveitando ...

Obviamente, demitia-o

… os dinheiros disponíveis no novo quadro comunitário de apoio, o QREN – anunciaram a construção de modernos centros escolares construídos de raiz. Ao desfolhar a imprensa da região, leio que só Vila Nova de Poiares conseguiu aprovar três centros educativos. São – diz Jaime Soares – “uma melhoria inequívoca não só das estruturas físicas, mas também da própria qualidade do serviço prestado, uma vez que estes projectos foram concebidos numa perspectiva de ensino integrado, onde as crianças terão à sua disposição, e sem saírem do mesmo espaço, todo um conjunto de condições e estruturas que não seria possível ter nas escolas disseminadas por todo o concelho”. Nos próximos anos e nesta matéria – o futuro o dirá –, Oliveira do Hospital, que sempre foi pioneira na área do ensino, vai ter um panorama muito inferior aos concelhos da região. Contudo, vamos, porventura, ter um dos melhores recintos de feiras tradicionais do país. São opções…

2. Mas deixemo-nos de lamúrias. Também há “boas” notícias: o PSD de Oliveira do Hospital assistiu nos últimos dois anos a uma impressionante escalada de militantes que catapultou o partido para o “top ten” nacional, ao nível da capacidade eleitoral entre secções. Aqui, neste cantinho do interior do país, já há mais eleitores inscritos no PSD do que no conjunto dos distritos de Castelo Branco, Évora ou Portalegre. Alberto João Jardim que se cuide, porque não há uma única secção da Madeira com tantos militantes.

3. É também no PSD que a procissão regressa ao adro e nem Nossa Senhora da Agonia lhes vale. Com a vitória de Manuela Ferreira Leite, o concelho vai ter que deixar passar o Verão quente que se adivinha para ver esclarecida a situação política local. Vamos ver quem vence o braço-de-ferro com a dama de ferro.

4. Não fica bem a um presidente de Câmara, que tantas vezes se escandaliza com os títulos dos jornais, ir para uma reunião pública do executivo camarário apelidar os setecentos e tal estudantes da ESTGOH de “estudantada”, no tom grosseiro em que o fez. Fez muito bem em condenar os desacatos da serenata, mas como diz o provérbio chinês não se pode confundir a árvore com a floresta. Já viu se os estudantes começarem também a apelidar os políticos de “ursos”, servindo-se, por exemplo, dos desacatos verbais em que o presidente da Câmara se envolveu, há dois anos, em frente à sede do PSD? Recordando Delgado, no lugar deles, obviamente demitia-o.

Henrique Barreto

LEIA TAMBÉM

Os jornais também se abatem

Os jornais também se abatem, e esta é a última edição impressa do CBS – um jornal com cerca de 20 anos de história que fundei na Primavera de 1988 e cuja publicação suspendi em 2002.

Correio da Beira Serra suspende publicação em Junho

Hoje, trago más notícias. O Correio da Beira Serra, em versão impressa, vai suspender a sua publicação.