Oferta do Bodo volta a ser recriada em Vila Pouca da Beira

 

Retomada há 10 anos por iniciativa da ainda presidente de Junta de Freguesia, a Festa do Bodo prepara-se para, este fim de semana, 18,19 e 20 de janeiro, voltar a ser o centro das atenções em Vila Pouca da Beira e no concelho de Oliveira do Hospital.

Tal facto tem vindo a ser uma realidade no início de cada ano, com a promoção do evento que junta a religião à componente histórica, etnográfica e cultural. Na Festa do Bodo, a população venera o padroeiro, S. Sebastião, e cumpre a tradição que lhe está associada desde a Idade Média de distribuir o “bodo pelos pobres”. Uma prática que tem registado o interesse de populares e visitantes que fazem da festa do Bodo um evento de referência no concelho de Oliveira do Hospital.

“Temos vindo a crescer de ano para ano”, adianta ao correiodabeiraserra.com a presidente da Junta de Freguesia de Vila Pouca da Beira, lembrando que a festa arrancou há 10 anos com cinco barraquinhas de artesanato tradicional, latoarias e enchidos, em 2008 apostou na recriação histórica e no momento presente já conta com mais de seis dezenas de expositores que exemplificam a grandiosidade da “Festa do Bodo” que, no fim de semana, tem encontro marcado no terreiro do Convento do Desagravo.

Em cada ano, a Festa do Bodo está associada a um tema, sendo que este ano em destaque vai estar a fundação do convento, que também está a motivar a edição de um livro que será lançado no próximo mês de março.

Na contagem decrescente para a Festa do Bodo, Maria Graciosa Fontinha regozija-se pelo sucesso que o certame tem vindo a registar, pelo que centra grandes expectativas na 10ª edição, apelando porém a S. Pedro para que ajude à festa com o tempo favorável.

Se por um lado se confessa satisfeita por dar cumprimento a mais uma edição da Festa do Bodo, a autarca não esconde o receio de o certame não ser retomado em próximos anos. Em concreto, Maria Graciosa Fontinha teme que pelo facto de a freguesia vir a ser extinta, o futuro presidente da “União das Freguesias de Santa Ovaia e Vila Pouca da Beira” deixe cair aquele importante cartaz religioso, histórico e cultural de Vila Pouca da Beira.

“Tudo vai depender de quem nos representar na União de Freguesias e do apoio da Câmara Municipal”, registou a autarca, que continua a não conseguir aceitar que a sua freguesia, que “já foi concelho”, venha a ser erradicada do mapa de freguesias do concelho de Oliveira do Hospital.

“Não é boa ideia”, entende a autarca que espera que o futuro autarca eleito se preocupe em manter a identidade de cada freguesia. Sem possibilidades de avançar com uma recandidatura – Graciosa Fontinha exerce o terceiro mandato na Junta de Freguesia de Vila Pouca da Beira – a ainda autarca espera que elementos da sua freguesia também encabecem listas candidatas à futura União de Freguesias. Porque, insiste, “o futuro de Vila Pouca da Beira dependerá de quem for eleito”.

LEIA TAMBÉM

Cemitério de Nogueira do Cravo vai ser ampliado

A Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital aprovou na sexta-feira o alargamento do cemitério de …

LMAN promove “peregrinação” ao Santuário de Nossa senhora das Preces em Vale de Maceira

A Liga de Melhoramentos Desporto e Cultura de Aldeia de Nogueira (LMAN) vai realizar no …