Oliveira do Hospital acolhe mais uma “Festa na Zona Histórica”

É já a partir desta quinta-feira que “Há Festa na Zona Histórica” de Oliveira do Hospital. A iniciativa que decorre até domingo envolvendo as comemorações dos 500 anos de atribuição do foral manuelino, acontece pelo 5º ano consecutivo firmando-se no calendário de eventos concelhio.

Em mês de santos populares, a União de Freguesias de Oliveira do Hospital e S. Paio de Gramaços marca calendário e cumpre a 5ª edição do “Há Festa na Zona Histórica”. A iniciativa arranca esta quinta feira, 26 de junho, envolvendo a participação de mais de 48 expositores ao nível de artesanato, gastronomia, tasquinhas e animação (fados, marchas populares e grupos musicais) bem como a realização de outras iniciativas paralelas como sendo a 3ª gala de ginástica acrobática, encontro de bicicletas antigas, uma caminhada e uma mega aula de Zumba solidária com a Escolinha de Bombeiros de Oliveira do Hospital.

Novidade no evento é a comemoração dos 500 anos de atribuição do foral manuelino, com lugar a descerramento de placa evocativa (hoje, pelas 21h25) e a recriação teatral da entrega da carta foral (dia 28, pelas 19h00, em frente aos Paços do Município). Tal como no ano passado, o grupo Delta volta a associar-se à iniciativa com um espaço próprio, cujas verbas angariadas revertem a favor da Escolinha de Bombeiros de Oliveira do Hospital.

A poucas horas do arranque do evento, tudo está preparado para que o “Há Festa na Zona Histórica” cumpra aquele que é o seu propósito maior de promoção e dinamização daquele espaço da cidade e que se vem repetindo ano após ano, desde 2010. Em causa está “um evento que nasceu de uma forma natural e que conseguiu a sua sustentabilidade”, razão pela qual Nuno Oliveira, presidente da União de Freguesias, não vê dificuldade em dar continuidade ao “Há Festa na Zona Histórica”, cujo modelo se tem vindo a manter com a correção de alguns pormenores.

“Tem vindo a resultar”, refere o autarca que por esta altura se revela satisfeito, por conseguir dar um novo ânimo à zona histórica, moradores e seus comerciantes. Essencialmente, Nuno Oliveira pretende continuar a alertar para a necessidade de recuperação daquela zona da cidade que se vê a braços com problemas de saneamento, encontrando-se várias habitações em avançado estado de degradação. Este é um problema que associado à perda de habitantes naquela zona da cidade, preocupa Nuno Oliveira. O autarca centra porém expectativas no projeto de requalificação que está a ser preparado pela Câmara e que contempla um maior aproveitamento do potencial turístico que está subjacente ao espaço. Porém, o autarca sabe que ‘nem tudo são rosas’ e a execução daquele projeto dependerá sempre da aprovação de uma candidatura ao Quadro Comunitário.

LEIA TAMBÉM

Universidade de Coimbra aposta na folha de mirtilo para tratamento da Esclerosa Múltipla

Um projecto de investigação da Universidade de Coimbra aposta no potencial terapêutico da folha de …

Polícia Judiciária deteve mulher que tentava introduzir haxixe na prisão de Coimbra

PJ deteve 12 pessoas em Coimbra por suspeita de tráfico de droga

A Directoria do Centro da Polícia Judiciária anunciou hoje ter detido, na terça-feira, doze pessoas …