Oliveira do Hospital cria plataforma de desenvolvimento e “vira-se” para a floresta

A criação de um pólo de desenvolvimento do “cluster” da floresta, recursos lenho-celulósicos e tecnologias avançadas, é o principal objectivo de um memorando de entendimento que a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, a Autoridade Florestal Nacional e a recém criada Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior Centro – a BLCCERES2G – acabam de assinar.

Em causa está um projecto pioneiro de investigação, desenvolvimento e inovação – o prazo da sua conclusão aponta para um período que varia entre 12 a 18 meses –, que se deverá consubstanciar na instalação de um centro de apoio tecnológico “com capacidade para apoiar, técnica e tecnologicamente, a futura instalação de empresas industriais que desenvolvam a sua actividade neste sector” no concelho de Oliveira do Hospital.

“Com esta plataforma Oliveira do Hospital descobriu o seu desenvolvimento futuro”, afirmou o presidente da Câmara durante a cerimónia de assinatura daquele memorando – o documento foi assinado no sábado, logo após a abertura oficial da EXPOH –, salientando que “este é o grande desafio” que se coloca ao concelho nos próximos anos.

José Carlos Alexandrino destacou ainda o empenhamento que o secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Rui Barreiros, tem vindo a dar ao projecto; manifestou confiança na equipa que está na comissão instaladora da BLCCERES2G, e deixou um agradecimento ao antigo eurodeputado do PS, António Campos. “Foi ele o homem da ideia inicial e o grande ideólogo de todo este projecto”, sublinhou Alexandrino.

Considerando que a floresta portuguesa tem “um enorme potencial de desenvolvimento”, o secretário de Estado do governo de José Sócrates afiançou que o Ministério da Agricultura “quer estar na linha da frente” no apoio ao desenvolvimento desta plataforma e frisou mesmo que em causa está um projecto que poderá ter “impacto no país inteiro”.

“Oliveira do Hospital vai estar presente no mundo da investigação, do desenvolvimento e da inovação (…). Quero-lhe dar os parabéns, senhor presidente da Câmara, por esta demonstração de vitalidade”, referiu Rui Barreiros.

Para Paulo Serra e Silva, o investigador da Universidade de Coimbra que, conjuntamente com o oliveirense João Nunes, está a desenvolver todo o trabalho ligado à investigação e ao desenvolvimento de estratégias, a BLCCERES2G tem em mãos “um projecto com futuro” para explorar alguns “sectores estratégicos e prioritários”, no âmbito das energias renováveis, como é, por exemplo, o caso do aproveitamento dos resíduos da exploração florestal para produção de bio-combustível.

“Vamos colocar de novo o concelho no mapa”, disse aquele investidor, explicando que, num futuro próximo, Oliveira do Hospital poderá vir a transformar-se “num concelho auto-sustentável” através das novas energias.

LEIA TAMBÉM

Primeiro-ministro vê nas biorefinarias uma “oportunidade” para aproveitar a floresta e elogia trabalho desenvolvido na BLC3

O primeiro-ministro destacou ontem na inauguração do Campus de Tecnologia e Inovação BLC3, em Oliveira do …

António Costa remete construção do IC6 para “quando haja condições financeiras”

O primeiro-ministro não se compromete com uma data para a construção do IC6 entre Tábua …