Oliveira do Hospital depara-se com dificuldades em atrair novos médicos

 

A deficiente distribuição dos profissionais de saúde e a dificuldade na atracção de novos médicos foram, ontem, apontados como os principais constrangimentos com que se deparam os oitos concelhos – Arganil, Góis, Lousã, Miranda do Corvo, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Tábua e Vila Nova de Poiares – que integram o Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Norte I, com sede no centro de saúde da Lousã.

A conclusão foi, ontem, avançada por Avelino Pedroso, vogal do Conselho Clínico daquela estrutura de saúde, por ocasião das comemorações do Dia Mundial da Saúde, realizadas na Casa da Cultura César Oliveira, em Oliveira do Hospital.

Responsável pela apresentação do diagnóstico do ACES do Pinhal Interior Norte 1, Pedroso expôs uma análise pormenorizada da situação actual de cada um dos oito concelhos e destacou a necessidade de requalificação dos cuidados de saúde primários, dando prioridade às Unidades de Saúde Familiares e Unidades de Saúde Públicas.

É que, de acordo com o estudo apresentado por Avelino Pedroso, o grupo de municípios que integra a estrutura depara-se com constrangimentos ao nível da distribuição dos recursos humanos, atracção de novos médicos e de consultas domiciliárias.

As deficientes acessibilidades que servem o concelho de Oliveira do Hospital foram, ainda, apontadas pela delegada de Saúde Pública do Centro de Saúde de Oliveira do Hospital como responsáveis pela actual situação. “Se tivéssemos boas acessibilidades, mais médicos poderiam vir trabalhar para aqui”, referiu a profissional de saúde.

Município quer aproximar cuidados de saúde primários

Presente na plateia, o vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital destacou a disponibilidade do município, enquanto parceiro do ACES, para “aproximar os cuidados de saúde primários das populações”.

“O município acredita que vai ter melhores acessibilidades”, frisou José Francisco Rolo, assegurando que a falta de acessibilidades “não inibe a existência de saúde próximo das pessoas”.

Destacando a preocupação do município para com a saúde dos oliveirenses, o vice-presidente elencou o conjunto de iniciativas que estão a ser preparadas com o objectivo de incutir hábitos de vida saudável entre a população.

Para além de recordar a adesão ao programa de fruta escolar e que beneficia os alunos do 1º Ciclo de Ensino Básico, Rolo disse estar em fase de preparação a iniciativa “manhãs no parque”, que visa desafiar a população a praticar exercício físico, aos sábados e domingos de manhã, no Parque do Mandanelho.

Ao nível das condições físicas existentes nos recintos escolares – o assunto foi analisado por Alexandra Vieira – o vereador também responsável pelo pelouro da Saúde assegurou que o município tem contribuído financeiramente, para que as escolas dotem os seus espaços com as necessárias rampas de acesso, destinadas a pessoas com mobilidade condicionada.

“Queremos contribuir para que a escola seja acessível a todos”, afirmou, lembrando também que está em curso uma reformulação da Carta Educativa com vista “à reprogramação de dois centros escolares no concelho”.

LEIA TAMBÉM

Cuidar dos pés das crianças é o mais importante. Autor: Francisco Oliveira Freitas

Os pés das crianças podem ser facilmente afetados devido à utilização de calçado mal ajustado, …

O verdadeiro papel do cuidador não é fácil. Autora: Ana Margarida Cavaleiro

A doença de Alzheimer é cada vez mais uma realidade na nossa sociedade. Esta condição, …