Oliveira do Hospital fechou o último ano com 1113 desempregados

Afeta quase de igual modo homens (566) e mulheres (547) e tem maior incidência nas pessoas com mais de 35 anos e com formação ao nível do ensino básico . É o retrato do desemprego no concelho de Oliveira do Hospital no final do mês de dezembro.

O concelho de Oliveira do Hospital terminou o ano de 2013 com 1113 desempregados. Um número que aponta para a uma ligeira redução do desemprego quando comparado com os meses de novembro (1146) e outubro (1167) e que se revela ainda mais positivo, se se tiver em conta que em janeiro de 2013, o número de oliveirenses afetados por aquele flagelo social era de 1261. Feitas as contas, de janeiro a dezembro assistimos a uma redução no desemprego na ordem dos 12 por cento.

Num olhar pelos dados estatísticos que o Instituto de Emprego e Formação Profissional disponibiliza no seu site de internet, a 31 de dezembro de 2013 o desemprego afetava quase de igual modo homens e e mulheres, com os primeiros a serem os mais penalizados ( 566). Do conjunto dos 1113 desempregados, 56 por cento estão naquela condição há menos de um ano, encontrando-se os restantes 44 por cento à procura de emprego há mais de um ano. A saltar à vista encontra-se também o facto de 13 por cento procurar pela 1ª oportunidade de trabalho, enquanto que 87 por cento luta por um novo emprego.

Do mesmo modo que afeta ambos os sexos, o desemprego é igualmente transversal no que às idades diz respeito. À data de 31 de dezembro, 18 por cento dos oliveirenses desempregados tinham menos de 25 anos e 21 por cento tinham idade entre os 25 e os 34 anos. A faixa etária mais afetada por aquele flagelo social acaba por ser a dos 35 aos 54 anos, onde se inserem 43 por cento dos desempregados. Os restantes 18 por cento têm 55 e mais anos.

A afetar maioritariamente ( 62 por cento)os oliveirenses com escolaridade ao nível do ensino básico – 248 do 1º CEB, 197 do 2º CEB e 242 do 3º CEB – o desemprego também afeta oliveirenses com formação ao nível do secundário ( 21 por cento) e de do ensino superior ( 12 por cento).

“Enquanto houver este desemprego sobre os jovens, este é o compromisso que levarei por diante, prescindido de obras físicas, dando oportunidade a estes jovens”

Ainda que preocupantes, os números do desemprego no concelho têm vindo a ser atenuados pelo programa de AtivoSociais promovido pela Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, IEFP e várias entidades e pela política de admissão de estagiários no seio da autarquia nas mais diferentes áreas.

“Enquanto houver este desemprego sobre os jovens, este é o compromisso que levarei por diante, prescindido de obras físicas, dando oportunidade a estes jovens”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que, a esta altura, lamenta a falta de capacidade da autarquia para admitir mais jovens. “Não é por dinheiro, é por não termos estrutura onde eles se sintam valorizados e úteis”, explicou José Carlos Alexandrino, informando da existência de “uma lista de espera” para a contratação de novos jovens, com a particularidade de a nenhum ser perguntado “a que partido político pertence”.

“Há 82 mil desempregados com licenciatura em Portugal, mais de metade são de longa duração. Isto é preocupante”, alerta o vice-presidente da Câmara Municipal. José Francisco Rolo entende, por isso, que “é obrigação do governo e das autarquias combater o desemprego de jovens qualificados e evitar a sangria para o estrangeiro, dando oportunidade de acesso ao mercado de trabalho”.

LEIA TAMBÉM

Polícia Judiciária deteve mulher que tentava introduzir haxixe na prisão de Coimbra

PJ deteve em Coimbra autor de crimes de homicídio, na forma tentada e de roubo

A Polícia Judiciária deteve um homem pela presumível prática de um crime de homicídio, na …

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Filho preso por suspeitas de ter matado mãe com martelo em Viseu

O homem de 37 anos suspeito de ter matado a mãe em Santarinho, no concelho …