Oliveira do Hospital quer ser município de “excelência” (Com vídeo)

Depois de já ter assistido ao reconhecimento pelas boas práticas de sustentabilidade, Oliveira do Hospital propõe-se atingir o patamar da “excelência”. Com esse propósito, o município aderiu à rede de Cidades e Vilas de Excelência.

A bandeira Verde ECO XXI e a bandeira de adesão à Rede de Cidades e Vilas de Excelência foram, ao final da manhã de ontem, hasteadas em frente aos Paços do Município de Oliveira do Hospital. Tal decorre do reconhecimento por parte da Associação Bandeira Azul da Europa que não hesitou em brindar o município com o galardão ECO XXI pelas boas práticas de sustentabilidade, bem como da adesão do município a uma rede da qual fazem parte as vilas e as cidades consideradas de “excelência”.

Um patamar que Oliveira do Hospital se propõe atingir, atendendo aquilo que são os bons exemplos de outros municípios e primando pela diferença. “Queremos fazer fazer a diferença pela qualidade, inovação e por um conjunto bem definido de orientações políticas, porque sabemos bem o que queremos”, afirmou o presidente da câmara Municipal que apesar de certo das “boas práticas” existentes no concelho, está em crer que as mesmas podem ser “aperfeiçoadas”.

Razões para José Carlos Alexandrino olhar para a adesão à Rede de Cidades e Vilas de Excelência como sendo “um ponto de partida” para a desejada requalificação da zona histórica que carece de “dignidade”. Conhecer de perto “projetos muito bem conseguidos” é o o objetivo do presidente que sem querer decalcar exemplos como os das zonas históricas de Guimarães ou de Elvas, espera ver o que se fez de bom, para que em Oliveira se avance com um projeto fundamentado em boas ideias, mas que “tenha uma originalidade própria”. “Vou desafiar uma equipa de jovens para fazer um projeto”, contou o presidente que, de um modo geral, pretende qualificar o território concelhio “com vista à qualidade de vida dos munícipes”.

Um trabalho que o presidente pretende realizar com base num planeamento, porque “é tempo de não continuar com obras avulsas”. “Precisamos de projetar o futuro e ter ideia concreta do que queremos”, defendeu Alexandrino que, com exceção do emprego que continua a faltar aos jovens oliveirenses, o concelho “tem tudo em termos de qualidade de vida”. “Acho que hoje a qualidade de vida está nas cidades do interior e não nos grandes centros urbano”, chegou a considerar.

Também o vice-presidente da Câmara teve oportunidade de destacar a importância da adesão à Rede de Cidades e Vilas de Excelência”, por daí decorrer o acesso a fundos comunitários destinado à regeneração urbana. “Estamos a trabalhar para maximizar o acesso aos fundos até 2020”, informou José Francisco Rolo, contando que depois da adesão à rede, o passo seguinte é de definição do plano de ação que é norteado pelo lema “Pensar Global, Agir local” com o propósito de fazer de Oliveira do Hospital uma “cidade de excelência”, galardão que significa ser reconhecido pelo mérito, pelo trabalho e pelo estímulo a nela habitar, trabalhar ou visitar.

À frente do Instituto de cidades e vilas com Mobilidade, entidade gestora da Rede de Vilas e Cidades de Excelências, Pedro Silva apreciou a “coragem” do poder político local que “se submete a uma apreciação destas”. Para o responsável que só encontra vantagens na adesão das autarquias à rede, Oliveira do Hospital está “a preparar uma visão de futuro”. “Isto faz a diferença”, entende Pedro Silva contrapondo com a prática de gestão diária.

LEIA TAMBÉM

Mais de uma centena de famílias desalojadas em Oliveira do Hospital aponta o presidente da Câmara

Mais de uma centena de pessoas ficaram desalojadas no concelho de Oliveira do Hospital por …

Incêndio reacende-se na Serra da Malcata, zona do Lince Ibérico

Bebé desaparecido em Tábua foi encontrado morto

O bebé de um mês que estava desaparecido na Quinta da Barroca, concelho de Tábua …