Oliveira do Hospital solidariza-se com drama que afeta Carlos Martins

 

A Fundação Aurélio Amaro Diniz (FAAD), a Arcial e a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital estão solidárias com o drama que afeta o jogador oliveirense ao serviço da seleção nacional, Carlos Martins.

O filho do atleta que, esta quinta-feira, completa três anos de idade atravessa um grave problema de saúde – uma aplasia da medula óssea – só superável com um transplante de medula óssea.

O problema do pequeno Gustavo Martins já diagnosticado numa altura em que o jogador se encontrava ao serviço da seleção das quinas foi tornado público na passada terça-feira, no final do vitória de 6-2 frente à Bósnia, pelo próprio colega Cristiano Ronaldo que, na ocasião, apelou à doação de medula óssea como forma de ultrapassar o drama que afeta Martins e toda a família.

“Estamos todos com ele. Espero que as pessoas sejam sensibilizadas para doar sangue e medula óssea, porque é uma situação que afeta muitas crianças”, disse então Cristiano Ronaldo.

Também o treinador da equipa, Paulo Bento dedicou a vitória que permitiu a presença da seleção no Europeu de 2012 ao atleta de Oliveira do Hospital que “passa por um momento difícil, um momento complicado da sua vida”.

O caso que, desde aquela data, tem vindo a ganhar uma dimensão maior – Carlos Martins e a esposa criaram espaço no facebook “Vamos ajudar o Gustavo” que já conta com 72 802 seguidores e efetuaram apelo no noticiário da SIC – não deixa também indiferente as gentes de Oliveira do Hospital.

 

No concelho de onde Carlos Martins é natural está-se a formar uma corrente de solidariedade e que, ontem ganhou expressão maior, com o presidente do Conselho de Administração da Fundação Aurélio Amaro Diniz a anunciar que, no dia 3 de dezembro, vai decorrer uma ação destinada à realização de testes para a necessária colheita de medula óssea no Hospital da FAAD entre as 07h30 e as 20h00, levada a cabo por técnicos do Centro de Histocompatibilidade de Lisboa.

 

“Vamos tentar mobilizar o maior número de pessoas em condições de serem dadores de medula óssea”, afirmou Álvaro Herdade que classifica o problema de saúde que afeta o filho de Mart ins como “muito grave”.

“É nossa obrigação sermos solidários com ele”, referiu comovido, explicando que esta ação conta com a colaboração da Arcial e Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que, desde a primeira hora se decidiram solidarizar com o drama que afeta a família do jogador.

Lançando um apelo à mobilização de o maior número de dadores, o clínico explicou que “ser dador não custa mais do que tirar sangue para umas análises”. “Basta um bocadinho de sangue que vai ser trabalhado e que vai integrar a lista mundial de potenciais dadores de medula óssea”, continuou, confiante de que surja “alguém compatível com o pequeno”. “Isso torna-nos mais solidários e todos nós ficamos mais felizes”, observou.


 

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …