Oliveira do Hospital tem mais 518 eleitores

A freguesia sede de concelho e as congéneres de Nogueira do Cravo e Seixo da Beira são as que registam um maior aumento nos seus cadernos eleitorais.

Ofenómeno ocorre a nível nacional e resulta da aplicação da Lei de Modernização do Recenseamento Eleitoral, em vigor desde Outubro de 2008, altura em que os cidadãos deixaram de ter que se dirigir aos serviços para se registarem como eleitores, deixando também de existir os cartões de eleitor.

Desde a entrada em vigor da nova legislação, que os cidadãos portadores de Cartão de Cidadão ficam, automaticamente, inscritos na freguesia correspondente à morada que tenham indicado no pedido do referido cartão. Da mesma forma, também os cidadãos detentores de Bilhete de Identidade válido e, que nunca se tinham inscrito no recenseamento eleitoral foram, automaticamente, inscritos na freguesia de residência indicada no documento. Também os jovens de 17 anos ficam inscritos, podendo votar se, por ocasião do acto eleitoral, já tenham atingido a maioridade. As alterações têm vindo a ser comunicadas aos cidadãos através de carta emitida pela Direcção Geral da Administração Interna.

O registo automático obriga, assim a que os habitantes de uma determinada freguesia exerçam aí o seu direito de voto e não, por exemplo, na freguesia de onde são originários. A aplicação da nova legislação levou ao aumento, mas também à perda de eleitores em muitas freguesias.

Perda verifica-se em cinco freguesias

Em face de um aumento nacional na ordem dos 650 mil eleitores, a tendência local e regional segue, necessariamente, a mesma orientação.

Oliveira do Hospital, à data de 31 de Dezembro de 2008, contabilizava um total de eleitores de 19. 951, o que representa um acréscimo de 518, comparativamente, com os eleitores inscritos por ocasião das últimas eleições autárquicas, realizadas em 2005. Foi sobretudo nas freguesias de Oliveira do Hospital, Nogueira do Cravo e Seixo da Beira que se assistiu a um aumento expressivo, com mais 325, 94 e 99 eleitores, respectivamente.

Verifica-se um ligeiro aumento nos cadernos eleitorais das freguesias de Bobadela (9), Ervedal da Beira (3), Lagares da Beira (43), Lagos da Beira (15), Lajeosa (3), Penalva de Alva (25), Santa Ovaia (11), S. Paio de Gramaços (51), Travanca de Lagos (31), Vila Franca da Beira (9) e Vila Pouca da Beira (1). A excepção recai sobre as restantes freguesias onde se assiste à perda de eleitores: Aldeia das Dez (- 5), Alvôco de Várzeas (-34), Avô (-34), Lourosa (-73) e Meruge (-24).

Num olhar pela região, verifica-se que os concelhos de Seia e Gouveia foram os mais beneficiados nesta matéria. Com um acréscimo de 1244 eleitores, os cadernos eleitorais de Seia passam a contar com um total de 26 977 cidadãos recenseados. Também em Gouveia se verifica um amento de 929, perfazendo agora um total de 16 326 eleitores. Em Arganil, o aumento ficou-se pelas seis dezenas e em Tábua verificou-se um acréscimo de 400 cidadãos recenseados, perfazendo um total de eleitores de 11.949 e 10 918, respectivamente.

De entre os concelhos sede de distrito, é em Viseu que o número de eleitores sofreu um maior disparo, passando de 81 985 em 2005, para 93 289 em Dezembro de 2008. Coimbra registou um aumento de 4439 e o concelho da Guarda ficou-se por um acréscimo de 3 360.

Os novos números dos cadernos eleitorais deverão ser geradores de algumas alterações ao nível dos resultados eleitorais em cada um dos municípios, já que até aqui se assistia à passividade de muitos cidadãos que, apesar de críticos relativamente à política local, continuavam a exercer o seu direito de voto numa freguesia, que não é aquela onde residem.

 

LEIA TAMBÉM

O ódio à escola. Autor: Renato Nunes

7h00. O despertador toca e Mauro enrola-se nos cobertores, assim que consegue silenciar o maldito …

Quem compra pássaros? Autor: Renato Nunes.

Todos os sábados, quando ainda mal amanhece, saio de casa em direcção ao mercado semanal. …