O PSD de Oliveira do Hospital está a morrer de overdose. De overdose porque um partido que tem mil e tal militantes num concelho de vinte e duas mil pessoas e corre o risco de não vencer as próximas eleições só pode estar a morrer por excessos ou por loucura colectiva. Como sou simpático, digo que é por excessos.

 

Os excessos do PSD

Os excessos neste PSD têm sido muitos e pouco espaçados. São excessos de linguagem, de atitudes, de prepotência, de comportamento e, sobretudo, de falta de ideias. São tantos excessos que até já cheira mal. Mas o maior excesso é mesmo a filiação empurrada de pessoas de outras cores partidárias. A filiação de pessoas de outros partidos só para serem mais um voto na guerra interna. Chegaram a isto, os homens do partido laranja!!! Este tipo de excesso não fica bem ao partido que os promove, porque a dupla filiação é uma ilegalidade, nem a quem vira a casaca, por razões que nem me dou ao trabalho de referir. De duplas filiações no PSD e no CDS conheço pelo menos três casos. Dizem-me que também existem idênticos casos com outros partidos. Uma vergonha!!!

O PSD está a suicidar-se e merece morrer!!! Resta saber se a oposição aprende a enterrá-lo. Com a facção vencedora a passar a perdedora e esta a vencedora em curto espaço de tempo, já ninguém se consegue entender ou entendê-los. A bem da serenidade e sanidade politica do concelho era importante um esclarecimento rápido do PSD nacional para percebermos se, num partido que se diz descentralizador, as comissões políticas concelhias no partido laranja contam ou não para alguma coisa, nomeadamente, para escolher o candidato à Câmara Municipal. Temo que não contem para nada.

O último excesso que gostava de abordar diz respeito ao tratamento que há algum tempo tem sido dispensado ao candidato derrotado nas eleições do PSD, o Paulo Rocha. Como não sou amigo do Paulo Rocha, não falámos sequer meia dúzia de vezes ao longo das nossas vidas e como não sou, não quero ser, nem mesmo coligar-me ao seu partido sinto-me à vontade para afirmar o que vou escrever.

Várias afirmações públicas que têm sido feitas por elementos da actual direcção do PSD, nomeadamente, um artigo escrito no Jornal Folha do Centro, são de uma verdadeira canalhice com pouca ou nenhuma qualificação. Sinto-me obrigado a escrever isto por duas razões: primeiro podia não o fazer por não pertencer ao PSD e, nesse sentido, inibir-me de opinar nas suas contendas, mas acontece que o insulto ao Paulo Rocha tem sido público; segundo, sinto mesmo obrigação de dizer alguma coisa sobre o assunto porque os ataques que foram feitos vão no sentido de atacar o que nele mais se devia prezar, a sua juventude. Como também sou jovem e gosto de política, sinto-me obrigado a defender o Paulo Rocha contra a total falta de respeito que lhe tem sido dedicada.

Todos podemos discordar do Paulo Rocha vereador na Câmara Municipal e atacá-lo nas suas opções políticas para o concelho. Acharmos que não tem qualidade ou capacidade para liderar o PSD local. Isso é legítimo e desejável. É política! O que não é legítimo é atacar uma pessoa, pai de família, com base numa lógica argumentativa sedeada na juventude do Paulo Rocha. É canalha e infame!!!

Que fique claro que não devo nada ao Paulo Rocha, nem ele me fica a dever nada por aqui o defender. A minha defesa só é motivada na minha convicção de que, antes de tudo o resto, deve existir respeito no confronto político. Isso também é democracia.

Luís Lagos
Jurista

LEIA TAMBÉM

Incêndio

Anda tudo a gozar connosco!!! Autor: Luís Lagos

Anda tudo a gozar connosco!!! Eu estou absolutamente farto!!! Fartinho!!! Haverá quem leia este post …

E porque digo eu que o Futebol Clube do Porto é a equipa de futebol mais próxima de jogar como faz o Real Madrid? Autor: João Dinis

Tipo “declaração de interesses”, digo que sou Benfiquista desde que me conheço (tenho 64 anos) …