João Paulo Albuquerque

Os ninhos, os cucos e a BLC3. Autor: João Paulo Albuquerque

O cuco é uma ave parasita que coloca os seus ovos nos ninhos de outras aves mais pequenas e mais fracas. Quando o cuco bebé nasce, atira os ovos ou filhotes do ninho para o chão, tornando-se filho único dos pequenos pais adoptivos. Como é perigoso pôr os seus ovos em ninho alheio, a fémea- cuco imitou o estilo de vôo e a fisionomia do gavião intimidando assim as pequenas aves que fogem, voltando somente para lhe criarem os seus filhos sem saberem.

Por que razão se inicia o artigo com uma breve descrição sobre a nidificação desta ave, o cuco, que muito se usa em relógios de parede para iniciar um tema sobre a BLC3 perguntará o leitor? Não, não é para marcar o tempo e muito menos para nos lembrar quando esta história começou, mas sim para nos questionarmos se a BLC3 não será num sentido figurado um “ninho de cucos”?

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital deu-nos como prenda de Natal o ponto 3.6.B da acta CM 10/12/2015, que publicou na sua página oficial, provando, mais uma vez, que tudo aquilo que tenho vindo a mostrar aos oliveirenses é uma realidade que dá razão a todos aqueles que pedem investigações urgentes e eficientes de modo a obterem as respostas que os vereadores não dão e, que, para além de uma conhecida excepção, os deputados não exigem, isto é, a BLC3 não só é participada pela CMOH como os seus resultados económicos podem alterar os rácios financeiros da autarquia.

Esta insensata e ilusória gestão camarária obriga os munícipes a entregarem-se à insanidade reinante que alimenta esta administração de ardilosas falácias que só a alguns interessa e que somente conduziu ao atraso em vários sectores da nossa sociedade, assim como ao empobrecimento em que nos encontramos relativamente aos vizinhos. Vizinhos esses que não tiveram a sorte de encontrar as suas autarquias em tão boas condições financeiras e sociais como as que esta gente encontrou, mas que sem dúvida vão deixar bem melhores do que a nossa, pelo que actualmente se pode constatar.
O Sr. Presidente da Câmara, cumprindo os estatutos, apontou-se para presidente da Assembleia Geral da BLC3 desde os primórdios da sua fundação, e agora agindo como quem desconhece o nº1 do artigo 12º desse regulamento, diz que por força das eleições deixou de ser o presidente da AG. Quais eleições? Pergunto eu. Só se forem as autárquicas, só elas mudam a vereação que indica o presidente. E essas ainda estão longe. Pelo menos no calendário normal. Enfim, mais uma mentira para tentar embarrilar alguns tolos.

É a CMOH que escolhe o presidente da AG da BLC3. O Sr. Presidente no meio daquela “retórica caseira”, porém, esqueceu-se de nos comunicar quem foi a pessoa, quem foi a entidade máxima da BLC3 que designou. Esqueceu-se também de nos informar quem é esta nova “figura de estilo” que denominou de “Directora Financeira” que até agora, para além de desconhecida, era inexistente. Quem a indigitou? Foi também por força dessas eleições enevoadas que apareceu para salvar a situação, como se de um “D. Sebastião contabilístico” se tratasse? O João Nunes já não tem o tempo que antes tinha para fazer as contas deste “negócio sem fins lucrativos”?

Vamos esperar que esta senhora nos elucide sobre a situação financeira do projecto “Trans-I-duca“, para sabermos se dos anunciados 1,72 milhões de euros chegou tudo, alguma coisa ou nada.

Vamos esperar que esta senhora nos elucide sobre o caminho que levaram os 522 mil euros relativos aos projectos “Valor Queijo e Value MicotecTruf”, pois qualquer um destes projectos foi aprovado antes dos sócios fundadores entrarem com o capital e constituírem efectiva e legalmente a BLC3.

Vamos esperar que esta senhora nos elucide sobre os 401 mil euros do FEDER relativos ao projecto “Fruit ECO-Drying Line”. Que nos diga onde está e como funciona a máquina automática de secar pêras e outras frutas, desenvolvida pela MIM. Que nos explique também se a candidatura PRODER dos dez jovens agricultores levada a cabo no valor de 1,6 milhões de euros está a funcionar afinadamente.

Vamos esperar que esta senhora consiga justificar que os 3,2 milhões de euros gastos no projecto-piloto “Centro-Bio”, com todas as aquisições feitas e obras realizadas, foram efectivamente o melhor negócio possível para a BLC3. Sabendo, no entanto, que a SEKAB fez uma unidade piloto semelhante, que apoia várias grandes unidades, estudou e estuda vários produtos e custou 210 mil euros. Conclusão aparente: fizeram tão bom ou melhor por quinze vezes menos.

Vamos deixar todos estes milhares e milhões para trás e vamo-nos preocupar com o que realmente foi a razão da criação e existência da BLC3, o “mega projecto” que não podia deixar de ser “o maior do país” pois o presidente não ficava contente, o “Biorefina-Ter”.

O projecto arrancou com um financiamento em 2010 pelo Estado Português, através do IFAP, no valor de 500 mil euros, também sem a BLC3 estar legalmente constituída, pois nem a CMOH, nem NDEIB nem tão pouco a ESTGOH tinham feito as suas entradas iniciais de capital em 2010, vindo a acontecer somente em 21/09/2012, sendo engraçado que o Sr. Presidente da Câmara era também fundador e membro dos órgãos sociais do “nado-morto” NDEIB como atesta o CV publicado.

Nessa altura corria tudo pelo melhor à autarquia e à BLC3, e foi com pompa e circunstância que o então secretário de Estado da Energia e da Inovação, Carlos Zorrinho, dizia na apresentação do projecto que a Biorefinaria-Ter tinha “um balneário cheio de craques”. Talvez por isso, a CMOH passasse a dar nove mil euros por mês “aos jogadores” da BLC3. Entretanto, o país começou a entrar em “bancarrota”, o governo mudou, a troika entrou e o projecto empastelou. Empastelou, mas não morreu. Aproveitaram para definir políticas, escolher parceiros e preparar o terreno e as pessoas, sendo a oposição a esta escolha da autarquia contestada por todo o expecto político da direita à esquerda. Razão pela qual o edil chamou a essa oposição de politiqueiros corriqueiros na “confissão de fé” que fez aquando da assinatura de protocolos entre a BLC3 e a ESTGOH onde informou que o governo de então sob pressão de António Campos e João Nunes assinou uma declaração que faltava e entregou um milhão de euros. O que o presidente pretendia informar, era que o Secretário de Estado da Energia, Artur Trindade, sem festas, sem IFAP’s, sem “pompa e circunstância” e sem “balneários recheados” conseguiu o dobro que o seu antecessor Carlos Zorrinho e informou a União Europeia que o projecto “Biorefina-Ter” era de interesse nacional (a tal declaração que faltava) para que tal fosse aprovado por Bruxelas.

O Sr. Presidente foi infeliz por não ter informado desta maneira e mais infeliz é a autarquia por o fazer com este registo, confirmando que esta vereação é a vereação das meias-verdades. Infelizmente a BLC3 afinou pelo mesmo diapasão político e informou assim.

Estávamos então em julho de 2012 e o navio (projecto Biorefina-Ter) com todas as velas içadas navegava em velocidade de cruzeiro, perspectivando-se que o maior projecto tecnológico Português (segundo os promotores Nunes e Campos) se iniciasse em 2014 e se concluísse em 2019. Estamos em 2016, o que se passa? Por que razão ainda nem uma parede foi edificada? O que se passa? Não se percebe. Se têm os melhores do ramo no país a apoiar o projecto. Se têm o investimento em publicidade feito. Se Carlos Zorrinho (o tal do balneário de craques) é no Parlamento Europeu, entre outras coisas, membro da Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia. Se Carlos Moedas é o Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação e tem 16 biliões de euros para fundos de investimento em projectos como o “Biorefina-Ter”. O que causou esta aparente paralisia? Será que o projecto falhou? Não pode ser, com tudo a favor como pode falhar?

Sim falhou, é verdade. Por isso, nada foi edificado, por isso o “Biorefina-Ter” não consta no sumário dos principais projectos em Biocombustíveis na Europa recentemente terminados, em curso e em planeamento, como se pode ver neste relatório que o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCT) preparou para o Governo Brasileiro. Para a sua execução, o MCT selecionou de entre uma bolsa de peritos externos indicados pela empresa CESO International, o perito externo Francisco Manuel Ferreira Gírio, doutorado em Bioquímica e Coordenador pela Unidade de Bioenergia do Laboratório Nacional de Energia e Geologia (parceiro da BLC3), que é um Laboratório do Estado de Portugal na área da Energia e Geologia.

É fácil detectarmos o que falhou quando lemos notícias sérias e não meias verdades, a notícia dada por Miguel Prado no Jornal de Negócios não deixa dúvidas sobre o que falhou quando informa que o projecto “espera vir a receber 50% de fundos comunitários para o investimento de 118 milhões de euros”, na melhor das hipóteses a BLC3 recebia 59 milhões se os apoiantes anunciados colocassem o resto.

O que falhou, meus senhores, foi o Presidente da Câmara, foi o Presidente da AG da BLC3, foi José Carlos Alexandrino. Todos os outros, melhor ou pior, mal ou bem, legal ou ilegal, ortodoxamente ou não, cumpriram com as suas incumbências menos o Edil. E não lhe valeu de nada andar a medalhar o Belmiro de Azevedo, a facilitar as descargas da unidade São Paio, a desembargar todos os problemas burocráticos para a vinda do “Continente” e quase a prometer-lhe o campo do Sampaense e a alteração das vias para facilitar o investimento na fábrica. O investidor não foi em conversas fiadas.
Pura e simplesmente este negócio não interessa aos empresários e investidores. É esta verdade que tem sido escondida. O projecto não se concretizou por falta de capital próprio e privado.
Quando sai do “Pão e Circo” Alexandrino é uma nulidade e tem que vir a terreiro dar razão a toda a oposição que desde início o avisou da inviabilidade do projecto. É obrigação informar quanto já se gastou neste “sonho” que se transformou num “pesadelo” e que já lhe custou a exclusão política por parte de quem puxa os cordelinhos do Partido Socialista.

Muita água ainda pode correr por baixo da ponte. Previsões são proibidas em política, mas neste momento Alexandrino recebeu “guia de marcha”, e de nada lhe vale gritar que o CDS já o convidou para candidato, pois os que mandam no PS, por bem menos do que ele fez, despacharam o César de Oliveira, mesmo sabendo que sem ele perderiam as eleições.

O que sei, é que o cuco já atirou com os passarinhos para chão e estará neste momento a preparar o ninho para lançar Paulo Campos como o próximo candidato Socialista à CMOH. Se vai haver ou não mudança de opinião só o tempo o dirá. Até lá, vamos observando este “ninho de cucos”.

João Paulo AlbuquerqueAutor: João Paulo Albuquerque

LEIA TAMBÉM

Luís Martins Almeida é o candidato da CDU à Câmara de Oliveira do Hospital

A CDU vai apresentar como candidato à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital Luís Martins …

Governo promete em Oliveira do Hospital que “vai mesmo avançar” com cadastro florestal e investir nos sapadores

O primeiro-ministro, António Costa, prometeu hoje em Oliveira do Hospital que o Governo “vai mesmo avançar” …

  • António Lopes

    João Paulo.Acabadinho de chegar de Cabo Verde, deparo-me com este teu artigo.E fico “confuso”… Podias esclarecer-me: Esta BLC3 é a mesma de um certo folclore que tenho andado a ver na “imprensa” local? Aquilo é só prémios e deslumbramento..! Esses 210 mil”quinze vezes menos” que os três milhões do projecto piloto, serão a explicação para os geradores de 65 mil e aquelas 10 empresas feitas de encomenda, que venderam o projecto à peça, por valores a justificarem as 15vezes mais? Será por isto que mesmo com o parecer da CADA a obrigar a entregar-me os documentos eles nunca chegam? Pois eles “falem” “falem”..! Ofendem quem lhes diz as verdades depois, é isto que se vê neste resumo histórico, que tão bem documentas..! Será por isto que são tão entusiastas das “maiores” feiras do queijo? Querem mesmo é ver se nos esquecemos…!!! E lembrar-me eu que lhes arranjei as cadeiras..! O que eu merecia mesmo, era um “chanfalho” no “lombo”, enquanto ele durasse..! Perdem-se tão boas oportunidades para estarem calados..! Por isso alguém disse que o tempo é grande mestre..!

    • João Paulo Albuquerque

      Sr Lopes;

      Bem vindo às nossa “Lusitanas terras”.
      Sabe que para mim o Senhor é o Presidente da Assembleia Municipal, o facto de não darem qualquer explicação ao munícipe em geral e a si em particular, não passa de ocultação de factos existentes que não serão bem aceites pela população pagadora e que devem resvalar as barreiras da legalidade.
      O que mostro são documentos que toda a gente pode consultar sem ter que pedir autorização a ninguém e que evidentemente nos levam a concluir que alguns tiram partido do que é de todos.
      Sei que partilha da filosofia “do que não é bom para todos, não é bom para ninguém”, neste momento pouco mais resta para além de observar “o ninho de cucos”, no entanto, conto consigo para ajudar a mostrar a verdade e as suas consequências. O meu muito obrigado.

      João Paulo Albuquerque

    • tempiada

      Ó Lopes, foste a Cabo Verde fazer umas lavagens ou perder por la dinheiro como no Brasil?

      • António Lopes

        Fui fazer um pouco de tudo…Como a vida está tão difícil tem que se “ir a todas”..!

        O que gostava mesmo que me explicasses, é como é que um “falido” “lava” e como é que um “falido” perde..? Como eu sou, assim, um “mentecapo”, não consigo dar estas respostas..! O gozo que os senhores me dão…!!!Os vossos rasgos de inteligência e coerência são uns espantos.Tudo por causa de um empreguito- de favor, à custa de nós todos,e para suprir as incapacidades próprias que não permitem ganhar a vida de espinha direita. E colocar o nome…não é capaz..?

  • Chamem-me António!

    Há uns anos conheci um senhor, na altura em pós-doutoramento na área.
    Como bom Oliveirense tive de dizer que tinha um projeto de bio-refinaria na terra!
    Ele riu-se. Muito. Já conhecia os meninos, pelos vistos.

    Quando me lembrar, mando-lhe um Queijo.

  • Marco Vasconcelos

    Antes de mais, parabéns pelo artigo senhor João Paulo Albuquerque. Além de tudo o que o seu artigo contém, confesso que me retive no penúltimo parágrafo onde aventa a possibilidade de Paulo Campos avançar para a liderança da autarquia. É, na realidade, um cenário que não me tinha colocado, mas que meditando um pouco bem pode estar a ser equacionado pelo que conheço da política concelhia. Será algo bonito de ver.

    • João Paulo Albuquerque

      Sr. Marco Vasconcelos;

      Neste momento a cúpula socialista (local e nacional) nada quer com Alexandrino pois não conseguiu levar a cabo a agenda pretendida. O Rolo não tem carisma nem coragem para assumir, ainda pensaram em Carvalheira mas não lhe encontraram capacidade. Tiveram que ir ao balneário buscar o filho de um dos “pais fundadores” deste pobre pedaço de terra em transformaram tão nobre Nação. No entanto, tem chovido muito, ainda vai chover mais e muita água vai correr debaixo da ponte.
      Como digo: “Vamos pairando e observando este ninho de cucos”.

      João Paulo Albuquerque

  • lol

    Tem piada que este João não sabe escrever sobre mais nada. E tem, ainda mais que tudo a audácia para falar de parasitas. Ele, que toda a vida so soube parasitar e teve ainda a pequena ideia de criar uma assiciação la na terriola, que claro… foi um fiasco.

    Relembro-te, caro retrogado, que quando insultas uma instituição, estas a insultar as pessoas que la trabalham (uma palavra que so conheces de dicionário, proque para ti não será certamente um verbo de ação). Essas pessoas que são da tua terra, terras à volta, Pessoas que lutaram para ter o lugar que tu querias por cunha, que tu tanto almejas-te e afinal nada…

    Coitado dele!

    • Rapaz lá da terriola

      Qual é a associação lá na terriola? Quero-me associar.
      Deves viver numa terriola bem melhor. Onde é que se insultou a instituição? Querer saber a verdade é insultar?
      Insultar, insultas-te tu grande animal, a terra, e essa tal associação que falas mas que não se sabe qual é.
      No Ervedal, para além de uma associação que a CMOH paga a electricidade há anos, todas têm grande sucesso. Tomaras tu.
      Gozo, foi o que o Simões Saraiva deu ao Alex, isso é que foi um grande insulto. Até mete mortos.

  • o invejoso

    Gostava que este João Albuquerque que tanto caga la do seu pedestal, desse provas do seu trabalho! ah ah ah !
    Já que a unica que tem é uma foto sentado ao PC a fazer pose como quem trabalha.

    Nimguém melhor que um parasita como tu para escrever sobre este tema.
    So tenho pena que tu e o Lopes (o Sr. Cucu) não estejam aí retratados.

    Depois de tanto chorarem e experniarem, deviam ter vergonha! Têm uma entidade na vossa terra que faz mais num dia do que vossas numa vida.

    Deixo-te o desafio, dá la provas do teu valor… consta que zero também é um nr.

    Boa vida, podridão de invejosos!

    • António Lopes

      Se fosses capaz de escrever o teu nome, ou se fores, eu faço-te um desafio e uma promessa. O desafio, apresentares 5% do meu curriculum.A promessa, apresentar-te o meu…Vais ver que é um pouco mais que “caga milhões”..mal dizente e frustrado. Aliás, para os arranjar, os milhões, mesmo que com “vigarice” e “ilegalidades”, é preciso algum engenho..!Se conseguires os 5% merecerás a minha admiração.

  • o veradeiro

    OS SENHORES DESTE JORNAL QUE TANTO SE BAJULAM COM A LIBERDADE DE EXPRESSÃO APAGARAM 3 COMENTÁRIOS NESTA ULTIMA HORA.
    ENTRE OS QUAIS CONSTAVAM ELOGIOS À BLC3, MAS COMO PODEMOS VER, NESTE ESPAÇO SO HÁ SE ACEITAM MENTIRAS
    ESTE BLOG É UM CIRCO MANIPULADO POR PALHAÇOS

    Apaguem la este também!

    OS CUCOS SÃO VOCÊS! A CÂMARA NÃO VOS ARRANJOU TACHOS NEM PANELAS E AGORA É QUE SÃO ELAS!!!

    • cbserra

      Meu caro, Abílio Guerra Junqueiro é um pseudónimo registado nos nossos dados. A pedido do detentor do pseudónimo, todos os comentários que vier a publicar com esse nome serão, obviamente, apagados.

      • Guerra Junqueiro

        Vieram comentar com o meu nick? Não dei conta.
        O nick não foi a leilão, e se fosse não era entregue a qualquer “eminência”, tinha que passar com distinção em testes bem mais difíceis do que a maioria das teses de doutoramento.

        Cumprimentos
        Guerra Junqueiro

      • António Lopes

        Como de costume e para variar.No CBS cultiva-se a liberdade e as regras deontológicas.Por maioria de razões, a educação.Quanto ao resto, os leitores sabem que assim é.Naturalmente percebemos e desejamos, certos incómodos.Aliás é para incomodar, melhor, escrutinar, que existem os jornais -dignos desse nome.

  • Mário

    Depois de se verificar que o protejo Biorefina-Ter borregou, para que vai servir o Centro-Bio? Vão prestar serviços aos estrangeiros? Pelo que li da documentação do biofuel, unidades piloto e centros de testes estão eles bem servidos.

    • Alveolos

      Não.Até lá têm muita engenharia e contabilidade para fazer para justificarem os gastos no “brinquedo”..!

      • Manuel Dias

        Pelo que entendi, o Centro-Bio serviu para satisfazer fornecedores. Mas parece que se não fornecerem nada, aquilo tem a mesma serventia.

  • Manuel Dias

    Em que ano é que foi esta desgraça? Não pode ter sido o ano passado.
    Não acredito que tenham galardoado o Alexandrino como profissional do ano e ele aceitar no ano em que deitou tudo por água abaixo.
    Eu enterrava e cobria com 10 metros de pedra o diploma recebido.
    Haja vergonha na cara.

  • Carlitos

    Então o Alex levou cartão vermelho do António?
    Enterrou o projecto todo, ainda lá foi falar de alto por causa das contas?
    Ele não sabe quem manda? Anda desmoralizado e para minimizar anda a dizer ás pessoas que não se volta a candidatar.
    Ainda vai é tudo preso.

    • Só em sonhos

      Estou mesmo a ver o Alex cagão a dizer aos dois da BLC: “Estejam descansados, digo duas ou três coisas ao Belmiro e ele vem logo a correr associar-se ao projeto.”
      Nem Galp, nem Sonae, nem o diabo a sete. Não passa de um “Triste Pavão”.
      Se ainda por lá andasse o Lopes a “cagar milhões” talvez tivesse deitado mão aquilo.
      Mas quem é que investe se não mandar? Era bonito, o Belmiro enfiar ali 60 milhões para o Campos e o Nunes brincarem. Só em sonhos.

    • Cabredo

      O Benfica é que perdeu, e o Alex é que levou cartão vermelho?
      Arranjem-lhe um rebanho de cabras, não passa de um cabreiro com pretensões a esperto.

  • António

    Parabéns João Paulo, mais um artigo de opinião fruto de uma investigação profunda na linha do que tens mostrado. Continua para podermos saber fundamentadamente o que se passa neste malfadado concelho.
    Essa do Paulo Campos já sabia há uns tempos, essa decisão foi tomada pelos que mandam no PS, embora tenha partido do papá.

  • cascavel

    O autor do texto e comentador residente com vários pseudónimos poderia também opinar sobre o “ninho de cobras” de que faz parte.
    Para parecer inteligente inventa histórias, inventa candidatos, inventa “guias de marcha”…
    Enfim… Apenas demosntra a verticalidade e a honestidade do seu discurso.
    Seja boa ou seja má, a BLC3 é reconhecida quer a nível nacional, quer a nível internacional. Por exemplo, a BLC3 consegui captar fundos comunitários, mesmo no Governo de Passos Coelho; a BLC3 consegui reabilitar parte de um património que estava devoluto há muitos anos, como por exemplo durante os Executivos do PSD que não conseguiram reverter o terreno para a Autarquia (quando o poderia ter feito a custo zero).
    Caro Guerra Junqueiro concerte-se no PSD Oliveirense, naquele “ninho de cobras” que não representa sequer uma freguesia, que nem candidato tem para a sua liderança,quanto mais para eventualmente assumir a autarquia!
    Caro João Paulo seja coerente consigo mesmo, reflicta sobre o que disse em relação a António Lopes e o comunismo no Concelho.
    Poder-me-ia dar ao trabalho de pesquisar comentários de 2013, mas V. Ex.ª não é digno de merecer tal dedicação.
    Afinal vende-se por uns almoços no Dinis, na companhia de quem tanto mal já disse e que apenas o atura pelo objectivo comum – tentar deitar abaixo o Presidente de Câmara mais popular, mais próximo das pessoas, mais generoso, mais respeitado de sempre e, que por sinal vos conhece de ginjeira!
    Já agora publique um artigo sobre o seu currículo, sobre o que já fez pelo Concelho e sobre o que faz actualmente.

    • João Paulo Albuquerque

      Caro Cascavel;

      Qual é o “ninho de cobras” que faço parte? Olho para todos os lados não vejo cobras, nem ninho, fundamente as suas sentenças.
      Quando se é inteligente, não é preciso parecer-se, isso são outros amigos seus. O que escrevi, fundamentei, com investigação demorada. Mas tenho mais, muito mais para aferir as verticalidades e as horizontalidades.
      A BLC3 até pode ser reconhecida na Lua ou em Marte, tem é que mostrar clara e inequivocamente o que anda a fazer cá na terra, especialmente a nível financeiro.
      O que é que eu tenho a ver com o “ninho de cobras” do PSD para me estar a preocupar. Eu preocupo-me é com o que andam a fazer ao concelho, que é a minha terra.
      Que mal é que António Lopes já fez ao Concelho? Só tenho visto fazer bem. Sabe o que lhe digo, se o concelho tivesse dez Antónios Lopes, estávamos no mapa mundo.
      Vendo-me então por uns almoços? Mas tem que ser no Dinis, se não for no Dinis, nada feito. Você não tem no concelho dinheiro para me comprar.
      Deitar abaixo o presidente? Ele já há muito que está num buraco, cair dali é difícil. Já só tenho dó. Agora vai pagar pelo que fez, isso é ponto de honra.
      Nem o CV mando para concursos, veja lá o que ele me preocupa. O que vou fazendo pelo concelho, tem sido mostrar verdades, e faço-o gratuitamente.

      João Paulo Albuquerque

    • Carlos Abreu Matias

      Senhor cascavel, de facto o dinheiro entra aos montes. Mas se não fosse incomodo poderia ter a gentiliza de enumerar os resultados .de tantos milhões que por lá foram colocados. Que o dinheiro entrou, nós já sabemos, os resultados é que não há forma de aparecerem. Se acha que é um grande feito recolher dinheiro sem que dele se retire qualquer proveito para a comunidade, diz muito a seu respeito. Essa de ser conhecida a nível internacional também tem muito que se lhe diga. Se o senhor João Paulo almoça, com quem almoça, pouco me interessa. Como pouco me interessa aquilo que o senhor fez ou deixou de fazer pelo concelho. Estou mais interessado naquilo que é feito do dinheiro que entrou na BLC3. Em resultados. Como gostaria que o senhor não se escondesse atrás desse nome, provavelmente apropriado à sua personagem, e desmentisse o que ele escreveu, mostrando documentos, como ele faz, deixando de lado essa retórica da voz do dono. Note, não sou um pseudónimo do João Paulo. A minha identificação real foi enviada para o jornal.

    • Eu dou-te o curriculum

      Ó seu palerma, só que ponha no curriculum que rebentou com o PS e com o Alex para mim chega e sobra.

  • António Martins

    Ó JPA tu tens tantas certezas!
    Tinhas a certeza que a Cristina Oliveira ia ser a Presidente de Câmara;
    Tinha a certeza que Rui Rio ia ser Primeiro Ministro;
    Tinhas tantas certezas quando te debatias com o Erasmo de Roterdão, com o Belarmino… Tu afinal de contas sabias quem eram, mudaste foi de opinião após a sova que levaste em 2013.
    Realmente ficas incomodado com o sucesso deste Executivo. Por mais que tentes não consegues mudar isso.
    Se há tantas falcatruas, desonestidades, desvios, por que razão não fazes queixa a quem de direito? Por que razão não vi ainda ninguém a ser condenado, ou sequer arguido por todas as mentiras que para aqui escreves.
    Deves pensar que a gestão de fundos comunitários de hoje em dia é como no tempo do Cavaco, em que os amiguinhos do PSD enriqueceram em vez de investirem o dinheiro nas empresas!
    Tenho pena, mas realmente muita pena de ti, por seres tão mesquinho, tão obsessivo que acabas por não ter vida própria.
    Dedica um pouco desse teu empenho em trabalho útil para o país.
    Começa por ser menos conflituoso para com os que te rodeiam e vais ver que consegues tomar café com mais do que duas pessoas.

    • Avisado

      Mas o JPA não ilustra o texto com documentos diversos? Essa do controle dos fundos é para o pessoal adormecer? Quanto às queixas no MP que se saiba existem algumas. O problema é que o Fetaper teve agora uma decisão judicial que lhe confere vinte milhões de processo com quase vinte anos. Ora daqui a vinte anos já ninguém se lembra de nada e o dinheiro já lá foi todo.Tao avisado que parece ser desconhece esta “conveniente” realidade? Para se saber do êxito deste executivo basta falar com os presidentes e políticos vizinhos. Sorriso amarelo e desculpam-se que são colegas.. e camaradas..! Basta ler a entrevista do Presidente de Seia e ler as entrelinhas…Mas, não é o único. Passou o tempo das “fogachadas” e veio o tempo do gozo…Sobra o politicamente correcto, como eles dizem.Ele eram cortes de estrada, guerrilhas ele era formar partidos e ser primeiro ministro..enfim o super sumo que fazia a diferença.Só que obra…vai vir.M´edicos nem projectos revolucionários…!Tirando umas festistas do pão e bolos sobra o quê? Fantochada e mediocridade..! Mas como gravita um grupinho para quem é o vale tudo, lá vão aparecendo uns “louva a Deus”. Pobre Concelho…Arreia neles JPA.Mesmo que não saibas porquê, eles sabem…

      • Manuel Inácio

        Avisado/JPA/Guerra Junqueiro/Carlos Abreu Matias, melhor que qualquer shampô do mercado – Tudo em um.
        Sai do Ervedal e vai a Seia perguntar se preferem o Camelo ou o Alexandrino. Vê lá tu que até para fazerem a feira do Queijo socorrem-se dos Oliveirenses (enchidos, sementes, bolos, vestuário e até mesmo o queijo).
        Quanto a obras muitas poderiam ser feitas, como em Tábua, mas aqui há responsabilidade, não se manda construir para os outros pagarem, tal como fez o teu PSD no passado.
        No caso das estradas as que estão feitas foram pelo PS. Até a N17 que era para arrancar em 2014, lá tem de ser o PS a mandar reparar!
        Em relação aos médicos, já há muito o SAP estaria fechado não fosse o trabalho e a persistência do Executivo. Em Oliveira do Hospital a Câmara tem assumido a responsabilidade que é do Estado.
        Quanto à justiça ela, é a que temos! Por exemplo temos o Valetim Loureiro, temos o Duarte Lima, Oliveira e Costa, Miguel Relvas, João Rendeiro, enfim a Nata do PSD.
        Já perguntaste quanto é que estes inocentes custaram ao país?

        Se Sá Carneiro fosse vivo tinha nojo da maioria dos dirigentes do PSD, tinha asco de militantes que não contribuem para a economia do país e que são como umas autênticas beatas à porta da igreja.

        Só para ti rires um bocadinho:
        http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/eleitores_do_cds_e_psd_sao_os_que_acham_que_ha_menos_corrupcao.html

        • António Lopes

          Argumentando não há problema que não se resolva.Efectivamente o queijo de Oliveira , ou feito em Oliveira, ou por promoção de Oliveirenses é vendido com a marca Seia.Porque será? Sabe porque é? Não fazer obra para não ter dívida, pode ser uma boa politica.Até porque a lei dos compromissos não deixa.E como as opções de gestão visam mais o populismo barato, que tanto ufana, as obras ficam para trás.Sabe quanto é a dívida empreiteiros em 31 de Janeiro? Zero euros!!! A fornecedores 2990.30 euros.Quer isto dizer que é uma Câmara parada. Ora mesmo pagando em dia(a quinze dias, já decidiram duas vezes…), mal vai quando uma autarquia que é a 123ª do Pais, em 308, não tem dívida de obras.Sequer um euro..! Tàbua em dois anos acabou com o desemprego..! Todas as Câmaras à volta baixaram o IMI e eliminaram a taxa de IRS.Nenhuma subiu a água 67%.Por lá sabem fazer as contas.Por aqui talvez até saibam mas dizem as que convém não as que os técnicos apresentam.Talvez por isso os técnicos capazes vão abandonando a autarquia como vai acontecer com o responsável pelos serviços da água e esgotos,o chefe da equipa multidisciplinar que muito e bom trabalho estava a fazer.Os médicos, participei num Businão e cortejo, em Oliveira do Hospital, em 2007 contra a política do PS de encerrar o SAP.Ao tempo houve uma vigilia bastante participada com o mesmo objectivo.Comprou-se uma ambulancia para apoio móvel que esteva na garagem até agora.As necessidades de afirmação do Senhor Presidente levaram-no a dizer o que não devia e , por isso,os médicos não vieram.Os que eram para vir, com a apresentação feita pelo Senhor Presidente(grávida e paraplégico) já nem vieram. E por aí adiante.SE gosta volte a votar se ele for candidato.Parece que anda a dizer que não.Parece que também há quem não queira e penso que haverá outras razões que, para já, ficam no ar..As estradas que foram feitas estavam aprovadas e com financianto aprovado desde a Assembleia Municipal de Setembro de 2007.Daí a célebre e manipulada dívida do anterior executivo.Mário Alves deixou uma parte feita.Aldeia das Dez e deixou as outras: Oliveira Nogueira e Ponte do Salto Seixo da Beira com o concurso feito e o dinheiro no banco.Dois milhões.Deixou de obra feita e paga mais 1 538 000 00 euros.Isto é deixou as obras e o dinheiro para as pagar, em excesso.A partir daqui como setem verificado, os números e as opiniões dão para tudo.O facto é que A Câmara fechou as contas de 2009 e apresentou-as à AM por mim presidida, em Abril de 2010, com o valor de cinco milhões e oitenta e quatro mil euros.Agora dizem que a dívida eram sete milhões e meio.E eu, provo que a dívida efectiva eram três milhões e novecentos. SE tiver coragem e números para me desmentir estou aqui para demonstrar a minha tese.Mesmo os compromissos assumidos, que não é divida, porque três milhões quinhentos e trinta e oito mil euros estava em banco ou cofre, a dívida de facto, com os compromissos assumidos(estrada de Nogueira e Seixo da Beira), era inferior a 6 milhões.Na água dizem que dá um prejuízo de um milhão e quatrocentos,, que nunca deu mais de oitocentos mil, porque não contam as receitas da recolha do lixo.A Câmara diz os números que lhe convém não os reais e os que a contabilidade apresentam.Vivemos de falácia e demagogia.Estou farto de publicar os números, tudo com documentos da Câmara.Se são falsos, é muito preocupante.Defenda lá o seu emprego e os seus interesses mas não nos conte histórias.Volto a repetir.Se tem provas para me desmentir e documentos de suporte, diga onde os quer discutir publicamente. Deixem é de enganar as pessoas.Concursos são feitos ao arrepio de todas as regras recomendadas. Escolhem-se empresas sem qualquer curriculum com convite único.Como e porquê? A abrigo de que lei? Como as conhecem, porque as escolhem se não tem curriculum,porque adjudicam por preços superiores ao mercado.Afirmo, provo e assino.Peço esclarecimentos na qualidade de eleito, com a função de o fazer.Não me respondem porquê? Compraram lonas por mais do dobro do preço, com indicação expressa de convidar aquela empresa porquê? Compram geradores por aqueles preços não explicam porquê? Ao menos para defesa do bom nome..! É isto que chama boa gestão? É mesmo isto que quer para o Concelho?

        • João Paulo Albuquerque

          Caro Manuel Inácio;

          Podias embrulhar a resposta no mesmo papel de embrulho que usou o António Martins, saía mais barato e à medida do Costa. Mais uma vez estás engano, são três comentadores distintos.
          Ir a Seia saber se preferem o Alexandrino? Eles têm um Camelo, deixam os “burros” para os outros.
          Socorrem-se dos Oliveirenses para fazerem a Feira? Disseste bem, a Feira, festas é deste lado. Então, onde é que tu querias que os nossos produtores fossem propagandear os seus produtos? Aqui, em Oliveira do Hospital? Rapazinho, queijo é em Seia, em Gouveia e em Celorico, se querem ser levados a sério têm que ir a essas localidades. Cá o queijo serve para propagandear o teu líder.
          Não é só Tábua, que nos vai resolvendo o problema do desemprego, é também Nelas, Seia, Carregal e Arganil.
          O PS fez muitas estradas, ainda vamos paga-las durante mais 50 anos, mas não foram só estradas. Foram aeroportos, eólicas, electricidade, escolas, enfim, estávamos aqui o dia todo.
          Estou a ver a foto, apontam com um dedo, o que aponta com dois, está a mamar à conta do estado nos EUA.

          João Paulo Albuquerque

    • António Lopes

      Isto por aqui,anda tudo sem norte…E, eu começo a estar baralhado, também.Um dia dizem que estou falido.No mesmo dia ou no seguinte, estou em Cabo Verde a lavar e a perder dinheiro.No dia seguinte ando em Oliveira a comprar pessoas com almoços.Assim como é que posso traçar o meu azimute? Politicamente falando, almoços paguei muitos.Dizia o Senhor presidente e muita gente o ouviu dizer “que era preciso era empobrecer os ricos”.E a acreditar no que diz, conseguiu.Aliás só nunca disse é quem é que me anda a ajudar,como afirmou a um jornal.Tinha o hábito de convidar toda a gente e mandar o Lopes pagar.Também comi um jantar, no Vale dos Amores, quando me convidaram para presidente.De resto, com o João Paulo tem pago mais vezes ele que eu mas, nem faço contas dessas.Ultimamente evito almoçar com as pessoas pois são censuradas e “sugestionadas” de que não sou boa companhia.Basta um simples café para serem questionados..! Nunca Mário Alves foi tão longe..! E como já o disse na AM na frente do Senhor presidente, não tenho qualquer reserva em o escrever aqui.Ao que esta gente chega..

      Há dias, também na AM, quando o líder do Partido Socialista questionou o meu amor e interesse pelo Concelho,quando dizia, e digo, para esperar sentado pelos ICs, perguntei-lhe o que já fizeram por ele, do bolso deles.Não me respondeu.E digo clara e abertamente.Fiz mais eu sozinho que todos os que exercem cargos politicos, do PS, neste momento no Concelho.Se assim não é que o demonstrem e provem.Eu vejo é colocarem-se nos empregos públicos “sem saber ler nem escrever” Vejo é fazer aquisições a preços impensáveis com concursos dúbios, como já denunciei e provei, como vem sinalizado na auditoria da IGF, e provo e denunciei ao MP e à Judiciária.Se não estão condenados nem julgados não é por culpa minha e , a meu ver, nem por falta de motivos. Há mais tempo pedi eu a anulação da minha demissão e nem sinais de nada..! Sendo que, mesmo falido-e não penso ser muito mais tempo, ainda não fiz tudo o que pretendo.Mas acabarei por fazer.Nem as ofensas e ingratidões de alguns me desviam desse caminho.O que lamento é que quando se tinha tudo para se fazer algo por este Concelho, e quando pretendi implementar uma verdadeira democracia e acabar com os medos,acabei por fomentar uma solução pior que a que existia.Caia lá nas más graças do Senhor Presidente e já vê para onde vão os sorrisinhos e esses adjectivos todos que usou..Não estranho porque também caí nessa.Os dois que o atacam são dos que mais conviveram e melhor o conhecem…Acabe ele com as “avenças dos 300 euros aos megafones”, acabe ele com o pão e bolos e já vê a popularidade.O drama é que o Concelho precisa de algo mais que demagogia e pão e bolos.Precisa de emprego e desenvolvimento.O que se anda a fazer na BLC, em termos de futuro e desenvolvimento, é muito menos que as minhas expectativas e muito mais do que eu esperava, em termos de gestão e transparência.Digo, assumo, e provo.Por alma de quem, com que objectivo se vendem 49% a um privado, numa empresa sem fins lucrativos? Para que quer um privado uma tal empresa?Assume o privado o proporcional de investimento dos subsídios públicos?Isto é.A Câmara mete nove mil mês.E o privado mete quanto..? Se não mete que raio de sociedade é essa? Quem autorizou a venda se, obrigatoriamente, tem que ser decisão da Assembleia Municipal? Disto já nem nas republicas das bananas.Porque me escondem e negam os documentos? Já agora os senhores “comentadeiros” se estão tão certos do que afirmam não assumem o nome porquê?Esse pequeno grande pormenor diz tudo do que são o AL e o JPA e o que são os que os atacam.Nós assumimos o que dizemos.Têm medo de assumir o que dizem? Será por ser mentira..?

  • A. Silva

    Engº João Albuquerque, tenho seguido esta sua série de artigos dos quais lhe dou desde já os para bens pela informação e pela investigação conseguida. De facto se não for o CBS a mostrar-nos as realidades, andávamos por aqui como autênticos “zombies”, do qual aproveito desde já para agradecer.
    Num dos seus artigos mostrou a entrevista que João Nunes deu à Rádio Boa Nova, onde afirmava que a BLC3 já tinha conseguido de Bruxelas 8,9 Milhões de euros. Volto a repetir, 8,9 Milhões de euros. é dinheiro que dá para muitos melões, e do qual não sabemos onde pára um cêntimo sequer.
    Somando todos estes valores que enunciou, chego a 7.443 Milhões de euros, bastante longe dos anunciados 8,9. Onde está o restante? Será que contabilizaram o milhão e meio que o Estado Português deu para o projecto que abortou? Se assim for chegamos aos 8.943 Milhões de euros, pode-nos informar se foi assim que o Dr. Nunes fez as contas, ou há por aí outros métodos?

    Obrigado
    A. Silva

  • Afonsino

    Prezado Paulo Pombo
    Aqui deixamos todas as interrogações que tal título, de sua autoria, felizmente, nos recorda, e que, ao que parece, já em 1976, muitos “óscares” ganhou…
    Perdoe-me a “hollywoodesca” referência…mas, para começar, nada mau e, para recordar, sempre a revisitar – o filme, mesmo.
    https://pt.wikipedia.org/wiki/One_Flew_Over_the_Cuckoo%27s_Nest
    Confesso que , depois de iniciar a leitura deste seu escrito, meu recordou, também, num outro domínio das artes, o da literatura, o mestre Aquilino Ribeiro, em “A Casa Grande de Romarigães”:
    – “O vento, que é um pincha-no-crivo devasso e curioso, penetrou na camarata, bufou, deu um abanão. O estarim parecia deserto. Não senhor, alguem dormia meio encurvado, cabeça para fora no seu decúbito, que se agitou molemente. Volveu a soprar. Buliu-lhe a veste, deu mesmo um estalido em sua tela semi-rígida e imobilizou-se. Outro sopro. Desta vez, o pinhão, como um pretinho da Guiné de tanga a esvoaçar, liberou-se da cela e pulou no espaço. Que pára-quedista!”
    A ler, reler, ou treler..
    Descendo ao concelho, a este natural território, avancemos.
    De acordo com a situação, “quanto mais cretino, melhor!”
    Esta cultura (agora) predominante – que quer o filme, quer a obra literária referidos retrataram, há tantos anos- é uma “máscara” com que os agora ditos democratas – coisa que nunca, antes, os preocupou – se disfarçam.
    Mas atenção: não é da proximidade do último Carnaval, ainda, que nos sugere a máscara…a diletância…a imbecilidade…o oportunismo…a negociata…a falta de carácter…e de vergonha.
    É congénito. É do verdadeiro ADN das personagens que, infelizmente, hoje “comandam” os destinos do concelho.
    Mas, se melhor ajuizarmos, também é verdade que os “vizinhos” deste concelho assim o permitem.
    E os vizinhos dos outros concelhos, limítrofes, também não são diferentes:
    -Eventualmente, neste país de “carnavais permanentes”, apenas divergem na máscara. Autárquica,
    Se, eventualmente, como alvitra, Campos & CIA se candidatam a qualquer coisa, por aqui, é porque, decrepitamente, “andam à babugem”!
    Tais “aves”, depois de tanto voo, mesmo para sossego – ou lavagem! – nunca se remeterão a tão pequeno “bocado”.
    É conveniente recordar-lhe, por isso, que, nas últimas eleições, o “professor Martelo” deu uma “banhada” a toda esta gente…
    Jamais nos esqueceremos a quem Alexandrino deve a sua presidência, neste concelho.
    Cumprimentos.

    • João Paulo Albuquerque

      Caro Afonsino;

      Muito obrigado por evocar ‘Ken Kesey’ e também o nosso querido ‘Aquilino Gomes Ribeiro’.
      Realmente estamos nas “Terras do Demo” em todos os sentidos.
      Infelizmente, o mundo tem sido uma farsa. Oliveira não foge a essa praga, no entanto acho que devemos começar a acordar e a lutar pela verdade. Todo o resto vem por simpatia.
      Caso queira rever “One Flew Over the Cuckoo’s Nest”, pode fazê-lo aqui:

      http://moviesfire.net/one-flew-over-the-cuckoos-nest-1975/

      João Paulo Albuquerque

      • Afonsino

        Prezado:
        – Obras de arte, são para estudar.
        A recente praga do “copy and past” criou verdadeiros génios…e, o voto , verdadeiros demos – crates …cratas…cratos…
        (Razão tinha o outro, acredite, que disse, com muita coragem, e dignidade, em directo, que antes de ter acesso a computadores, e depois, sempre ” esgalhou as suas obras à mão”!
        E, se me permite, foram grandes…que as conheço….como tantos outros fizeram…em todas as artes…no seu tempo.)
        E assim se fazem obras, verdadeiras, quando a preocupação é estar , na sua base, a preocupação dum melhor devir para os outros…de facto.
        A representação teatral, hoje, no concelho, está à frente de todas artes…
        Tudo segue um guião, à boa maneira socratina, de científica fundamentação.
        E, se as (di)Universidades lhes dão balanço, com cursos, recursos, discursos e excursos, tanto melhor: “É fartar , vilanagem!”
        Tenho, há muito , o DVD . E computador.
        Cumprimentos

        • João Paulo Albuquerque

          Caro Afonsino;

          Por aqui impera o “provir”. O “devir” que se assiste só é bom para alguns. Como deve saber, “o que não é bom para todos, não é bom para ninguém”.

          João Paulo Albuquerque

  • Atento

    Agora é que eu quero ver como é que os partidos se portam, ou se realmente não merecem a nossa mais pequena credibilidade.
    Andam num forrobodó desgraçado por causa do problema amiental, quero dizer não há dinheiro para trocar umas placas que não fazem mal a ninguém, nem nunca fizeram aos que por lá passaram, não se esqueçam das empresas que estão na mesma situação e nos bairros sociais que foram feitos para receber os “retornados”, e esses já lá vivem há mais de 40 anos sem terem problemas.
    Quero ver que partidos se vão preocupar com o que é mostrado neste artigo, que desde já parabenizo. É que estes milhões todos, para além de darem para trocar todas essas placas de fibrocimento, davam para construir escolas e hospitais.
    Vamos ver também os ninhos dos cucos partidários.

  • Que rico milho

    Relativamente ao Trans-I-Duca, este acabava em 2014, como continua deve haver dinheiro para além nacional pago pela Ciência Viva.

    http://lab-i-duca.blogs.sapo.pt/2013/10/

    http://www.cienciaviva.pt/EscolherCiencia/projectos.asp?accao=showprojecto&id_projecto=35

  • Ahalex
  • Ponham lá um rebanho

    Sr. Presidente, vou-lhe dar uma ideia. Como a plataforma já estoirou, aproveite o que lá enterraram para transformar aquilo num “Centro de interpretação das ruínas da BLC3 e da ACIBEIRA”. É dois em um.

  • Amigo

    Em Outubro de 2011, Manuela Ventura no Diário de Coimbra finalizava assim o artigo “Projecto de biocombustíveis com boa cotação em Bruxelas”:

    “E se o olhar dos promotores do projecto BioREFINA-Ter está, para já, centrado nas estradas, a verdade é que “o céu é o limite”. Isto porque, faz notar João Nunes, os aviões também precisam de combustível e, «até 2020, vão ser obrigados a incorporar uma parte de biocombustível».
    Em Dezembro a Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior Centro deverá conhecer o resultado desta pré-candidatura. E se tudo correr “sobre rodas”, como os dados disponíveis indicam, para o ano a equipa responsável pelo BioRefina-Ter apresenta a candidatura. As expectativas estão, inegavelmente, em “maré alta”.”

    Estamos em Fevereiro de 2016 e ainda não sabemos o resultado, mas participação da câmara não faltou.

  • António Lopes

    O que mais me intriga nesta entrevista é a posição, também se poderá chamar “coerência” do Senhor Presidente da Câmara quanto ao Discurso politico.Há quatro anos, na entrevista reproduzida, já cantava hossanas com os êxitos e já criticava os adversários da BLC.Ao tempo como agora, eu era e sou, um fervoroso adepto da BLC e do seu contributo para o desenvolvimento do Concelho.Mas, naquele tempo, definitivamente, a critica não era para mim.Esses adversários acho que já não o são.Contudo o Senhor Presidente continua com o mesmo discurso.Os adversários, creio eu, são porventura os que mais se preocupam com o êxito da BLC.Não tenho grandes dúvidas, pelos obstáculos que me têm criado no acesso à informação, que sou um dos adversários. O facto é que o projecto anunciado, nesta entrevista, era para logo..! Já lá vão quatro anos e muitas “nebulosas”..! Os adversários mudaram.O discurso não.O grave é o projecto não andar e as palavras virarem vento.Como diz o Povo : “Falar barato”. Diz-se de quando se fala muito e não se diz nada como, comprovadamente, é o caso…

    • Reunião CM-04/10/2012

      B-1) ASSOCIAÇÃO BLC3 – PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO INTERIOR NORTE ——————– D.A.G.F./Proc.53/4 ——–
      Foi presente pelo Presidente da Câmara uma carta, remetida pela entidade acima identificada, a solicitar a atribuição de um apoio financeiro no montante de 15.000,00 € (quinze mil euros) como apoio ao desenvolvimento dos projetos abaixo descritos, na área agroalimentar, por considerar que estes projetos são, atualmente, base de suporte ao desenvolvimento de novas atividades da ESTGOH, resultado de uma parceria desenvolvida entre as duas entidades e que se afigura como decisiva para a continuidade do ensino superior em Oliveira do Hospital:
      1 – F-ECO-DL (linha de desidratação e embalamento de fruta desidratada) – investimento total: 603.632,10 € (3 anos);
      2 – ValorQueijo (conservação do queijo, máquina de unidoses e Kit de identificação genética do leite da raça bordaleira) – investimento total: 533.524,98 € (2 anos);
      3 – ValueMicotecTruf (desenvolvimento biotecnológico para cogumelos silvestres nativos da região e truficultura) – investimento total: 465.554,18 € (2 anos).
      Sobre o assunto, o vereador Mário Alves teceu breves considerações relativamente aos projetos em causa, questionando o Presidente da Câmara sobre se é a autarquia que vai assumir na íntegra o capital próprio para o desenvolvimento destes projetos a que corresponde a 352.000,00 €.
      O Presidente da Câmara referiu que a Câmara Municipal ao criar este tipo de associação teria que à partida garantir nas GOP’s os recursos mínimos para que possa desenvolver um bom trabalho. Verificou ainda que, até à data, o que a Câmara Municipal investiu na BLC3 não tem sido relevante em termos orçamentais para o município, defendendo que a Câmara Municipal mantenha, anualmente, a verba consignada no seu plano e orçamento para ajudar a alavancar a BLC3, frisando que “trata-se de uma questão de “acreditar” e acredito que o futuro de Oliveira do Hospital passa pela BLC3”.
      Interveio o vereador José Carlos Mendes manifestando-se preocupado pelo facto de desconhecer quem são os parceiros de cada um destes projetos pois considera que a BLC3 necessita de ter parceiros para os poder alavancar. Realçou assim a necessidade de se saber quem são esses parceiros face ao capital que está envolvido em cada um dos projetos em causa. Verificou que, no que se refere à investigação essa questão já nem seria colocada pois cabe á Câmara Municipal dotar a BLC3 de condições para o efeito.
      O Presidente da Câmara manifestou-se disponível para convidar o Sr. Presidente do Conselho de Administração da BLC3 a estar presente numa reunião pública da Câmara Municipal a fim de prestar os necessários esclarecimentos sobre o assunto, ao que o vereador Mário Alves disse dispensar a sua presença.
      O vereador José Francisco Rolo tomando uso da palavra referiu que é necessário que todos estejam conscientes de que a BLC3 é uma instituição que em termos de inovação foi criada em Oliveira do Hospital e isso, na sua opinião, suscita muitas leituras e diversos comportamentos, nem todas construtivas, infelizmente. Disse considerar normal que haja dúvidas, sublinhando que “ser cético em relação às instituições e àquilo que elas fazem também é normal, agora, o que não é normal é, sistematicamente, pôr em causa o trabalho que a instituição está a fazer e os projetos que foram apresentados”. Lembrou no entanto que estão em causa três projetos que foram objeto de apresentação de candidatura por parte do corpo técnico da BLC3, em parceria com três entidades, a saber, a Universidade de Aveiro, a Universidade do Minho e a Universidade de Coimbra, salientando que todos estes projetos foram validados cientificamente por essas universidades. Mais referiu que cada um destes projetos foi aprovado pelos conselhos diretivos do QREN Nacional, do MAIS Centro, do PRODER Nacional e do SI Inovação, compostos por um conjunto de especialistas para os avaliar e aprovar em termos da sua viabilidade empresarial, técnica e financeira. Lembrou igualmente que “estamos a falar de uma instituição que é reconhecida como entidade integrante do sistema científico-tecnológico nacional pela Fundação para a Ciência e Tecnologia que possui um projeto declarado de interesse nacional pelo Governo, que consegue realizar parcerias com as Universidades já referidas para sustentar cientificamente os seus projetos, acrescido, agora, da capacidade e competência para avaliar de cada um dos políticos com assento neste órgão”.Entende assim que deve ser dado o benefício da dúvida ao trabalho que está a ser desenvolvido pela BLC3, que tem sido manifestamente positivo.
      O vereador Mário Alves lembrou que o projeto enunciado no primeiro ponto já estava a ser desenvolvido acerca de 4/5 anos na Universidade de Aveiro, o que, na sua opinião, significa que há seguramente seis anos que se está a investir naquele projeto. Esclareceu que não se trata de ser cético mas sim de querer obter resultados, frisando que “com o país de “tanga” não se pode andar a gastar dinheiro em projetos que na prática não têm qualquer consequência, ou seja, não tem empregabilidade, e não geram riqueza”. Salientou que “aquilo que aqui está em discussão, sob a perspetiva política, é a geração de riqueza, e tal como referiu o vereador José Carlos Mendes, não é a BLC3 que vai gerar essa riqueza. São os parceiros se eles forem bons, porque está mais do que provado que, infelizmente, as nossas Universidades, em muitos projetos ainda são maus parceiros. As Universidades servem muitas vezes para “alimentar” a defesa de teses de doutoramento mas, na prática, e no domínio daquilo que deve ser a consequência lógica de qualquer projeto desta natureza, que é a geração de emprego e a criação de riqueza, não existe”. Disse entender que o nosso país tem esbanjado milhões em projetos desta natureza que depois não tem a geração prática de riqueza e de empregabilidade que deveriam ter. Considera que os projetos em causa são bemvindos se eles tiverem, a montante, a geração de riqueza e de empregabilidade.
      O vereador José Carlos Mendes esclareceu que com a sua intervenção não quis pôr em causa a valia técnica dos projetos em apreço, declarando no entanto que no que se refere à atribuição de apoio se abstém na sua aprovação uma vez que não tem informação da instituição que lhe permita averiguar se ela vai ou não precisar dos 352.000,00 € para financiar estes projetos, sublinhando que “para votar conscientemente necessito de ter informação concreta daquilo que está a ser feito na BLC3 e bem assim sobre quais os parceiros e investimentos que lá se pretendem fazer e ainda sobre quem é que os vai financiar”. Salientou que “a minha questão está centralizada aí e não no tipo de projetos que estão a ser desenvolvidos”.
      O Presidente da Câmara esclareceu que os apoios à BLC3 serão aprovados pontualmente e não na sua totalidade, esclarecendo que, neste momento, o que está em causa é uma proposta de atribuição de um subsídio à BLC3 no montante de 15.000,00 € (quinze mil euros) com vista ao desenvolvimento dos projetos acima descritos, colocando-a à votação dos membros presentes.
      Nos termos do disposto na alínea b) do nº 4 do artº 64º da Lei nº 169/99, de 18 de setembro, na atual redação, a Câmara Municipal sob proposta do Presidente da Câmara, deliberou, por maioria, com os votos favoráveis dos vereadores José Francisco Rolo, Graça Silva e Paulo Rocha e do Presidente da Câmara e a abstenção dos vereadores Mário Alves, José Carlos Mendes e Telma Martinho, justificada nas suas intervenções acima aduzidas, aprovar a presente proposta.
      O vereador Mário Alves declarou ainda que a sua abstenção se deve igualmente ao facto de continuar a não acreditar, salientando que “espero que o tempo mais uma vez não me dê razão, ou seja, de que, não seja mais um meio de dar sumiço a uns milhares de euros para no final resultar em “zero” de riqueza, de empregabilidade e de melhoria de condições para os agricultores do concelho de Oliveira do Hospital”.
      O vereador José Carlos Mendes declarou igualmente abster-se na aprovação da presente proposta, não pelo facto de não acreditar, mas sim porque não tem informação suficiente relativamente ao que se está a fazer na BLC3 que lhe permita votar conscientemente a atribuição do subsídio ora proposto.

      • Cético

        O Mário Alves se nesse dia tem jogado no euromilhões, estava riquíssimo e podia ajudar o forrobodó que lá anda em Lagares.
        A conversa para encher pneus do Rolo é que é sempre a mesma, e sempre errada.
        O presidente da câmara lá enviava o dinheiro que o Campos queria.

  • Oliveirense

    Depois de assistir à passada assembleia municipal, confirma-se tudo o que aqui foi mostrado.
    Parabéns ao António Lopes pela actuação na Assembleia, não teve resposta, nem teve oposição. Foi a primeira vez, que Rodrigues Gonçalves se portou à altura do cargo que ocupa, mas que não devia ocupar. Provando-se assim o azedume que reina contra José Carlos Alexandrino. O Lopes derrotou-os a todos.

    • António Lopes

      Portou-se bem? Então o presidente da Câmara que, legalmente ali está para apresentar a actividade do Município, normalmente ponto I e para responder aos membros da Assembleia, ao que lhe perguntarem, está sempre a dizer ao presidente da mesa o que deve fazer..! E ele obedece..? Não viu a argolada quando eu disse que ia abandonar a Assembleia.Veio logo dizer aquilo que eu até tinha votado favoravelmente… Tal é a vontade..! Porque é que não me queria lá? Comigo quando ofendia algum deputado chamava-o logo à atenção.Agora até inscrevem à pressa para me responderem ou o presidente a seguir a mim para ver se me desarma…Pau mandado é ofender o pau..! A CADA está sempre a malhar mas, eles, é que têm razão..!

      • O PS só trás miséria

        Sr Lopes, o homem passou toda a sessão envergonhado com o que ouvia, pela primeira vez teve vergonha na cara. Não viu que ele estava mais calado do que um seixo, então quando o Alex disse que enquanto ele mandasse não iam fazer nada na fundação Cabral Metello, o homem até ia chorando de vergonha.
        Foi mau de mais para ser verdade.
        Depois não aparece ninguém, nem o Ramalhete para explicar as cartas e o resto das vergonhas porque passam com a fundação, nem o João Nunes para explicar como é que comprou a BLC3 toda por 490€ sem passar cartão a ninguém e ainda reclama quando a câmara se atrasa a mandar a mesada mensal e as ajudas extra.

      • O PS só traz miséria

        Sr Lopes, o homem passou toda a sessão envergonhado com o que ouvia, pela primeira vez teve vergonha na cara. Não viu que ele estava mais calado do que um seixo, então quando o Alex disse que enquanto ele mandasse não iam fazer nada na fundação Cabral Metello, o homem até ia chorando de vergonha.
        Foi mau de mais para ser verdade.
        Depois não aparece ninguém, nem o Ramalhete para explicar as cartas e o resto das vergonhas porque passam com a fundação, nem o João Nunes para explicar como é que comprou a BLC3 toda por 490€ sem passar cartão a ninguém e ainda reclama quando a câmara se atrasa a mandar a mesada mensal e as ajudas extra.

  • Lop(bo) Mau

    Oliveirense, o que diz é mentira, o homem cada vez está pior, ninguém lhe liga a não ser uma certa ave rara de capoeira, agora até abandona as assembleias antes do fim, não aguenta ser completamente ignorado.

    • Oliveirense

      Mas está a brincar comigo ou quê? O Sr. Lopes saiu, e disse que ia sair, pois abstinha-se em todos os pontos que faltavam votar, e nem sequer ouviu o Rodrigues Gonçalves a pedir-lhe desculpas.
      Pode ser ignorado por ti e por todos os chupistas, mas os Oliveirenses estão com ele.

      • Só Rir

        Essa é de rebentar a rir, “os Oliveirenses estão com ele…”, só se for o Trambolho Peniqueiro !!!

        • Até choras

          Ri-te, ri-te. Parece-me que está mais é para chorares.
          Não estiveste ontem na assembleia? Foi de rir, não foi? Até o Rodrigues Gonçalves já se entregou. Acho que vai tudo fazer companhia ao 33.
          Até choras.

          • Só Rir

            Tu e mais quantos Trambolho Peniqueiro ???

          • Oliveirense

            Diz tu. Quantos é que estão com o Alex? Ontem até o Rolo estava envergonhado, mesmo com o Alex a anunciá-lo candidato. Ele tem lá coragem. Deixa-o andar a levantar-se todos os dias depois do meio dia que é o que ele gosta.

          • Só Rir

            Faz lá uma listinha, se conseguires e depois vais à frente, das a cara e depois o Povo decide. Queres tentar ?

          • António Lopes

            Não ele não tenta.Já estão feitas…E quem andou mais o “velho” Francisco Garcia a fazer parte das listas actuais, também faz outras…Antes disso é preciso saber se estes chegam a essa altura em condições de concorrer..! Ela tarda mas chega..!

          • Isso é “Impulse”

            Não é uma lista. São muitas.
            E bilhetes para Évora também já se estão a comprar. Eu levo-te umas mortalhas.

    • António Lopes

      Com um bocadinho de honestidade dizia porque é que o Lopes saiu. O Lopes veio de Cabo Verde, especialmente para ir à Assembleia.Não pediu que lhe pagassem por isso, como alguns fazem que, andando por Oliveira facturam residência em Lisboa.
      O Lopes saiu e disse porque saía.Porque foram aumentados 4 pontos à ordem de trabalhos e alterado mais um ali ,na hora.
      O Lopes é responsável e não decide nem opina em cima do joelho.
      O Lopes perguntou porque fizeram a Assembleia ontem se ainda tinham mais uma semana para o fazer.
      O Lopes disse que esta prática, juntar pontos na hora, tornou-se regra não excepção.
      O Lopes pergunta porque fazem as Assembleias a estas datas e horas se ontem, não esteve o presidente da junta de Oliveira, que representa 20% da população nem os dois líderes dos partidos da oposição, que o Senhor presidente da mesa já sabe que pelo menos dois deles nunca estarão presentes em reuniões, à tarde,por motivos profissionais .Cinco PSs eleitos não estiveram presentes.Um presidente de junta chegou tarde e foi para o lugar do público.É esta a democracia que estão a implementar.
      Acresce que o Lopes, foi a pessoa que os Oliveirenses elegeram para presidente o que lhe traz responsabilidades acrescidas e faz tudo para que não transformem a Assembleia num “café das cinco”, como está a acontecer.
      Do que se viu ontem em que não ter dívidas porque não fazem obras e 43 dormidas por noite, na hotelaria do Concelho é um sucesso, é natural que não queiram lá gente nem discussão…
      Se o Lopes anda tão isolado como é que consegue estar sempre actualizado com o que se passa..? E se anda tão isolado o que é que vos preocupa..?

  • Mário Alves em 02/03/2010

    Prosseguiu Mário Alves referindo que “fiquei ainda a saber que o Senhor Presidente da Câmara tinha um sonho. Em 1990, César de Oliveira tinha um sonho, era o Empreendimento Turístico do Vale dos Sonhos. Hoje, o Senhor Presidente tem um sonho relativamente à nova associação constituída, pô-la a funcionar naquela que já foi a sede da ACIBEIRA. Em que é que estes sonhos se tocam? Primeiro as duas personalidades são naturais da mesma freguesia, Ervedal da Beira, segundo o Vale dos Sonhos foi visitado pelo Dr. Mário Soares em 1990, e a ACIBEIRA foi também inaugurada pelo Dr. Mário Soares, portanto, segundo ponto comum. Terceiro, e espero que este não corresponda à realidade, é que espero que deixe de ser sonho para ser uma realidade. E portanto, o outro não passou de ser efectivamente um sonho, e espero que este venha a ter alguma realidade. Da parte do PPD/PSD, tentamos num passado muito próximo, dar uma utilização à ACIBEIRA, e essa possibilidade foi negligenciada por quem tinha poderes para o fazer e não o fez em devida altura.
    Portanto, ficam aqui estes meus registos, uma vez que não tenho e não posso usar da palavra, naturalmente na Assembleia Municipal, porque gostaria de na altura devida poder responder a este tipo de intervenções. Aqui fica o meu registo para que os oliveirenses também saibam aquilo que eu penso sobre estas coisas”.

    • Ai Bizú, Bizzú

      Aquilo já não é um “SONHO” é um “PESADELO”.
      E o homem é que era um céptico como dizia o BIZZÚ.

  • João Albuquerque

    “João Nunes criou a sua empresa em 2010, a BLC3, direcionada para a inovação, que inclui uma incubadora de empresas com 28 investigadores, e está agora a criar em Lagares, perto da cidade, um campus de tecnologia e inovação na antiga Acibeira, que devia ter albergado um parque empresarial, mas ficou mais de 20 anos ao abandono.”

    http://www.dn.pt/sociedade/interior/a-geracao-que-comecou-a-fazer-ciencia-viva-ainda-na-escola-5040989.html

    Afinal andamos a dar dinheiro para a empresa do Sr João Nunes, espero que a CMOH dê o mesmo ás restantes empresas e comércios do concelho, como aliás referiu o 1º Eleito na última Assembleia Municipal.

    João Albuquerque

    • Grande CEO

      Tivemos muita sorte, imaginem que tinham levado o rapaz em criança ao aquário Vasco da Gama. Se com os aquários pequeninos saiu-lhe na rifa um doutoramento e o parque industrial da ACIBEIRA, com o Vasco da Gama já era dono da EXPO e reitor à laia do Nóvoa de alguma universidade lisboeta.

      • CEO !!!

        Grande CEO !!! Quem é esse Guru da vida empresarial ???
        O Penudo Peniqueiro ou o Lopetegui ???

        • Bemtaviso

          É o Alex. Viste que nem o Maia abriu o pio quanto ao próximo candidato socialista, o Alex lá foi dizendo que já morreu e que podem contar com o desencartado Bizu, que ele vai começar a levantar-se cedo.
          Querem um conselho, deixem-se desta vida e gozem o que vos resta até tudo se resolver relativamente na BLC3, que depois já sabem! Sr doutor, diga trinta e três.

  • António Lopes

    Pronto..! Está tudo explicado.Ainda bem que não foi o Beira Serra a dizer que a empresa é dele..! Será que também sou eu que pago este jornal..? O portal da justiça já tinha dito que tem 49% mas há quem diga que não.Em que ficamos? Quem fala verdade..? Os documentos oficiais e certos jornais ou o nosso presidente da Câmara..?

  • Capitão Ortega

    Oh Pombo mas tu não te enxergas?
    Ainda não reparaste que ninguém te liga? Nem o PSD te quis.
    Lembras-te do que disse o juíz quando o teu novo “patrão” te arrolou como testemunha?
    Um dia destes publico por aqui…

    • João Albuquerque

      Outra vez? Anda muito desactualizado, publiquei “ipsis litteris” o que o juiz escreveu e expliquei tudo, tim-tim por tim-tim.
      Mas fique descansado, pois soube agora que tenho que ir explicar outras coisas, relativas a processos que envolvem esses “ninguéns” que não me ligam, e que eu agradeço.

      João Albuquerque

      • Afonsino

        Não divulgue..se assim vai ser:
        -Siga o douto prognóstico: “Só no fim do jogo!”
        Cumprimentos.

  • Afonsino

    Como é?
    Começou a Primavera e não “há cucos para os ninhos”?
    Acaso a migração dos ditos lhe atrapalhou a escrita?
    Já não migram?
    Já não há motivo?
    Ou alteraram-se as condições climatéricas?
    Já percebi…
    Mudaram de ninho…de condição…e localização geográfica…
    Pois é.
    Esperamos mais – segundo o prometido – notícias sobre as aventuras destas “migratórias aves”…
    É que estamos mesmo…apesar dos segredos…
    Não dê descanso ao dedo…e estudo.