Parecer desfavorável a curso da ESTGOH “não é vinculativo”

… garante o presidente da ESTGOH, não é definitivo e não impede a aprovação do curso pela A3ES.

De importância reconhecida pelas mais valias que representa para a escola e para o desenvolvimento da região, o curso na área das energias renováveis –  “Energia e Sustentabilidade” –  que foi proposto a acreditação pela Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH), numa aposta conjunta com a BLC3, obteve um primeiro parecer desfavorável.

Tal consta de um primeiro relatório que a Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) dirigiu à escola afeta ao Instituto Politécnico de Coimbra, ao qual se segue um período de pronúncia da ESTGOH destinado à defesa daquela aposta formativa.

Um primeiro parecer que, no entanto, está longe de ser entendido como uma “derrota” por parte da presidência da Escola, pelo facto de se tratar de um parecer e não de uma decisão final. “Estes pareceres não são vinculativos e a decisão é tomada pelo conselho de administração da A3ES”, afirmou há instantes o presidente da ESTGOH ao correiodabeiraserra.com, apontando para junho a decisão final em torno da acreditação do curso de “Energia e sustentabilidade”.

Sem querer entrar em comentários sobre um processo que, insiste, não está encerrado, Carlos Veiga reage assim à notícia hoje vinculada por um jornal regional e que assume o “chumbo” daquele curso como um dado adquirido, ainda que passível de recurso. “É prematuro”, regista o arquiteto e presidente da ESTGOH, garantindo que a escola vai continuar a lutar pela aprovação daquele curso de reconhecida importância para a escola e para a região.

Confiante no bom resultado do processo em torno do curso de “Energia e Sustentabilidade”, Carlos Veiga sublinha a importância do parecer favorável, sem reservas, ao curso de Desenvolvimento Regional e Ordenamento do Território”. Licenciaturas que a ESTGOH apresentou no decorrer do 3º congresso da Beira Serra, realizado em Outubro em Arganil, e que a presidência da Escola conta abrir no arranque do próximo ano letivo, pese embora as limitações impostas ao ensino superior para abertura de novos cursos, mas que a ESTGOH conta poder contornar por via do reconhecimento de “interesse nacional” de ambos os cursos.

Em causa está uma oferta formativa que a ESTGOH conta enriquecer com a abertura de quatro cursos de especialização tecnológica e a pós graduação em – a fase de candidaturas decorre de 25 de fevereiro até 8 de março – Segurança no Trabalho.

Depois do encerramento do curso de Engenharia Civil e a atribuição de vagas zero ao curso de Gestão Integrada de Qualidade, Ambiente e Segurança (GIQAS), a ESTGOH é frequentada por cerca de três centenas de alunos nas licenciaturas de Engenharia Informática, Administração e Finanças e Administração e Marketing.

Em preparação está a dupla titulação aos alunos de Administração e Finanças e Administração e Marketing numa escola que mantém ativos três mestrados, dois dos quais em parceria com outras escolas do IPC e uma pós graduação.

LEIA TAMBÉM

Jovens cientistas da EPTOLIVA de Tábua desenvolvem Compósito Antisséptico e conquistam segundo lugar na XI Mostra Nacional de Ciência

Jovens estudantes da Eptoliva, na Tábua, no distrito de Coimbra, desenvolveram uma solução desinfectante a …

A escola ou a escolinha (?). Autor: António Ferro.

Durante várias décadas, fui assistindo às mudanças (algumas drásticas e escusadas) no sistema de ensino …