Paulo Portas apresenta demissão por desacordo quanto à nova ministra

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, apresentou, esta terça-feira, o pedido de demissão ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. Em causa a nomeação de Maria Luís Albuquerque para a ministra das Finanças, que tomou posse à hora marcada, 17 horas, numa cerimónia sem ministros do CDS-PP.

A decisão “é irrevogável”, adianta o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros num comunicado enviado à Lusa, sobre o pedido de demissão, um dia depois de Vítor Gaspar ter sido exonerado do cargo de ministro das Finanças.

Paulo Portas contesta a escolha de Maria Luís Albuquerque para a pasta das Finanças, depois de a saída de Vitor Gaspar, com quem tinha “conhecidas diferenças políticas”, “permitir abrir um ciclo político e económico diferente”, sublinha o líder do CDS/PP.

“A escolha feita pelo primeiro-ministro teria, por isso, de ser especialmente cuidadosa e consensual.(…) Expressei, atempadamente, este ponto de vista ao Primeiro-Ministro que, ainda assim, confirmou a sua escolha [de Maria Luís Albuquerque]. Em consequência, e tendo em atenção a importância decisiva do Ministério das Finanças, ficar no Governo seria um ato de dissimulação. Não é politicamente sustentável, nem é pessoalmente exigível”.

A notícia do pedido de demissão de Paulo Portas chegou ao conhecimento público cerca de 30 minutos antes da tomada de posse de Maria Luís Albuquerque, como ministra das Finanças, e dos novos secretários de Estado, que se manteve, mas sem a presença de qualquer ministro do CDS.

jn.pt

LEIA TAMBÉM

idosos

Idoso desaparecido em Trancoso

Os Bombeiros e a GNR estão a procurar um homem de 90 anos que foi …

frio

Frio vai acentuar-se amanhã, mas sem previsão de chuva para os próximos dias

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para amanhã uma descida das …

  • Erasmo de Roterdão

    A “Katerine” rompeu com o actual casamento..!

  • Guerra Junqueiro

    Belarmino;

    Sabes qual foi a razão da demissão do Portas?
    Não foi por ter amor ao Gasparzinho ou ódio à Maria Luís.
    Foi que tinha que apresentar onde iam ser os cortes de 4.7MM€ da despreza pública e não tem nada para apresentar.
    Apesar de os direitistas defenderem o emagrecimento do Estado, quando chega a hora de cortar, não têm estaleca para cortar. Por a gordura do estado dar votos é que o peso do Estado foi crescendo até ter ultrapassado os 50% do PIB. é exactamente por isto que o Alberto João se mantém desde 1974 à frente da Madeira. E tu bem ganhaste com isso.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Erasmo de Roterdão

    “Guerra”: Já vi que, hoje, acordaste inspirado e mais clarividente.E não foi por causa de tentarem que ficasses mais magro, ou pelo menos de evitarem que engordasses mais, que andas zangado, agora com os dois lados..? O Belarmino, se não sabes, nunca trabalhou para o Alberto João.Foi um humilde sub-empreiteiro das grandes empresas nacionais.Aquele nunca se vergou e nunca teve benesses.Bem pelo contrário.Também não as quer.O que isso te incomoda..! Querias que fosse como tu? Não és o único…Abençoados votos.Por isso insisto que aprendas a votar. Pois, o Passos quis ser mais esperto que ele, pimba. Criticar é fácil.Difícil é fazer. Por isso é que estás sempre cheio de palpites a criticar quem governa , bem, o teu burgo. Não te sentes mal?

  • Guerra Junqueiro

    Belarmino;

    Sinto-me muito bem. Já há muito esperava a queda do governo.
    Gostaria agora que Rui Rio não se candidatasse para ver o Tózé e os socialistas no governo. Adorava.
    Sabes o socialismo acaba quando acaba o dinheiro dos outros, e o Sócrates já acabou com ele há uns anitos. O Sócrates acabou com o socialismo em Portugal, ainda há quem não se mentalize. Só com austeridade conseguimos sair da crise e pagar as dividas. A Constituição vai ser alterada, por mais que esperneiem. Os mercados ajustam-se esteja lá quem estiver. Podemos sofrer mais, ou sofrer menos, dependendo de quem temos à frente.
    Nada me admira que tal como em 1926, tenhamos que pedir por favor ao Gasparzinho para nos vir governar. Sim porque “governar” é poupar e não atirar com dinheiro para cima dos problemas como muito gostam os socialistas de fazer.
    Está mais do que demonstrado o erro do sistema Keynesiano, caso continuem a basear-se nesta falsa teoria para resolução dos problemas, mais nos desgovernam. Percebes? Infelizmente acho que não.
    Quanto à Madeira, vale mais estares mansinho. Não sabes o quanto sei.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro