Paulo Portas apresenta demissão por desacordo quanto à nova ministra

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, apresentou, esta terça-feira, o pedido de demissão ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. Em causa a nomeação de Maria Luís Albuquerque para a ministra das Finanças, que tomou posse à hora marcada, 17 horas, numa cerimónia sem ministros do CDS-PP.

A decisão “é irrevogável”, adianta o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros num comunicado enviado à Lusa, sobre o pedido de demissão, um dia depois de Vítor Gaspar ter sido exonerado do cargo de ministro das Finanças.

Paulo Portas contesta a escolha de Maria Luís Albuquerque para a pasta das Finanças, depois de a saída de Vitor Gaspar, com quem tinha “conhecidas diferenças políticas”, “permitir abrir um ciclo político e económico diferente”, sublinha o líder do CDS/PP.

“A escolha feita pelo primeiro-ministro teria, por isso, de ser especialmente cuidadosa e consensual.(…) Expressei, atempadamente, este ponto de vista ao Primeiro-Ministro que, ainda assim, confirmou a sua escolha [de Maria Luís Albuquerque]. Em consequência, e tendo em atenção a importância decisiva do Ministério das Finanças, ficar no Governo seria um ato de dissimulação. Não é politicamente sustentável, nem é pessoalmente exigível”.

A notícia do pedido de demissão de Paulo Portas chegou ao conhecimento público cerca de 30 minutos antes da tomada de posse de Maria Luís Albuquerque, como ministra das Finanças, e dos novos secretários de Estado, que se manteve, mas sem a presença de qualquer ministro do CDS.

jn.pt

LEIA TAMBÉM

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Dois detidos por crime de tráfico sexual em Seia

Um homem de 45 anos e uma mulher de 42 foram ontem detidos por suspeita …

Preços dos combustíveis sobem hoje pela oitava semana consecutiva

Os preços dos combustíveis aumentam hoje, sendo esta já a oitava semana de subidas consecutivas. …

  • Erasmo de Roterdão

    A “Katerine” rompeu com o actual casamento..!

  • Guerra Junqueiro

    Belarmino;

    Sabes qual foi a razão da demissão do Portas?
    Não foi por ter amor ao Gasparzinho ou ódio à Maria Luís.
    Foi que tinha que apresentar onde iam ser os cortes de 4.7MM€ da despreza pública e não tem nada para apresentar.
    Apesar de os direitistas defenderem o emagrecimento do Estado, quando chega a hora de cortar, não têm estaleca para cortar. Por a gordura do estado dar votos é que o peso do Estado foi crescendo até ter ultrapassado os 50% do PIB. é exactamente por isto que o Alberto João se mantém desde 1974 à frente da Madeira. E tu bem ganhaste com isso.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Erasmo de Roterdão

    “Guerra”: Já vi que, hoje, acordaste inspirado e mais clarividente.E não foi por causa de tentarem que ficasses mais magro, ou pelo menos de evitarem que engordasses mais, que andas zangado, agora com os dois lados..? O Belarmino, se não sabes, nunca trabalhou para o Alberto João.Foi um humilde sub-empreiteiro das grandes empresas nacionais.Aquele nunca se vergou e nunca teve benesses.Bem pelo contrário.Também não as quer.O que isso te incomoda..! Querias que fosse como tu? Não és o único…Abençoados votos.Por isso insisto que aprendas a votar. Pois, o Passos quis ser mais esperto que ele, pimba. Criticar é fácil.Difícil é fazer. Por isso é que estás sempre cheio de palpites a criticar quem governa , bem, o teu burgo. Não te sentes mal?

  • Guerra Junqueiro

    Belarmino;

    Sinto-me muito bem. Já há muito esperava a queda do governo.
    Gostaria agora que Rui Rio não se candidatasse para ver o Tózé e os socialistas no governo. Adorava.
    Sabes o socialismo acaba quando acaba o dinheiro dos outros, e o Sócrates já acabou com ele há uns anitos. O Sócrates acabou com o socialismo em Portugal, ainda há quem não se mentalize. Só com austeridade conseguimos sair da crise e pagar as dividas. A Constituição vai ser alterada, por mais que esperneiem. Os mercados ajustam-se esteja lá quem estiver. Podemos sofrer mais, ou sofrer menos, dependendo de quem temos à frente.
    Nada me admira que tal como em 1926, tenhamos que pedir por favor ao Gasparzinho para nos vir governar. Sim porque “governar” é poupar e não atirar com dinheiro para cima dos problemas como muito gostam os socialistas de fazer.
    Está mais do que demonstrado o erro do sistema Keynesiano, caso continuem a basear-se nesta falsa teoria para resolução dos problemas, mais nos desgovernam. Percebes? Infelizmente acho que não.
    Quanto à Madeira, vale mais estares mansinho. Não sabes o quanto sei.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro