Pequenas lembranças substituem boas prendas de Natal

“As pessoas não deixam de fazer compras de Natal, mas substituem as boas prendas de natal, por simples lembranças”, comentou ao correiodabeiraserra.com a funcionária da loja Enrico Silvanni localizada em pleno centro da cidade.

Engana-se quem pensa que a crise impede as pessoas de comprarem presentes na quadra natalícia. Numa auscultação por algumas lojas da cidade, o correiodabeiraserra.com constatou que a corrida aos espaços comerciais continua a ser uma realidade, notando-se contudo a procura de artigos alternativos e em que a diferença assenta sobretudo no preço a pagar.

“Não há poder de compra”, desabafou a este diário digital o proprietário de um pronto-a-vestir, frisando que “nem se nota que é Natal”, e que até parece um “mês normal”. Na memória permanecem os natais em que se registava uma corrida desenfreada às lojas e onde se chegavam a fazer longas filas para embrulhar os presentes. Vão valendo aos lojistas disporem de produtos dos mais variados preços, sendo que os mais apetecíveis são os de preço mais reduzido.

“Há dificuldades, mas vai-se vendendo”, referiu a este diário digital Ana Paula Soares. Na opinião da proprietária da loja Belldecor é importante fidelizar os clientes ao longo do ano, para que nesta altura tenha as vendas garantidas. Por esta razão, Ana Paula Soares optou por não aderir ao Sorteio de Natal promovido pela Agência de Desenvolvimento Integrado (ADI) de Tábua e Oliveira do Hospital, já que – como explicou – acabava por não dar atenção aos seus clientes habituais.

Com vendas de Natal ainda pouco significativas, no pronto-a-vestir para homem Enrico Silvanni a expectativa é de que a última semana possa ser mais favorável à loja. “O bom português deixa tudo para a última hora”, referiu a funcionária da loja, recordando que no ano passado a “véspera de Natal foi um óptimo dia para a loja”. O que também já é ponto assente é que quem procura uma prenda de Natal, procura sempre olhar primeiro para o preço. Na opinião da funcionária, as boas prendas de Natal, começam a ser substituídas por “lembranças”, embora ainda subsista um grupo de pessoas que não olhe aos custos de uma boa peça de vestuário. A loja aderiu ao Sorteio de Natal da ADI, mas segundo a funcionária não é por esse motivo que a clientela aumenta. “As pessoas nem perguntam se a loja aderiu ao sorteio”.

Prendas alternativas

Numa época que se diz de crise e em que as famílias tendem a fazer um maior esforço financeiro, as prendas alternativas começam a ser cada vez mais uma opção.

As lojas de bijuteria têm registado uma grande afluência, com a particularidade de as pessoas também aí comprarem presentes que não ascendam os 10 Euros. “Este ano optam muito por bijuteria e cachecóis em detrimento das malas, por exemplo”, referiu Natacha Varela da loja Bismad.

Também nas ourivesarias se assiste à procura de artigos de valor mais confortável. De acordo com o proprietário da ourivesaria Ferjóia, as peças de ouro tendem a ser substituídas pelas pratas, dado o valor que cada um dos metais representa. Por outro lado, também por este tipo de lojas passam clientes que procuram peças valiosas sem que o preço seja a principal preocupação.

LEIA TAMBÉM

EM OLIVEIRA DO HOSPITAL APROVEITAMENTOS ELEITORALISTAS DO PS E SEUS PRINCIPAIS AUTARCAS-CANDIDATOS MANCHAM JÁ A DEMOCRATICIDADE DO PRÓXIMO ACTO ELEITORAL A 1 DE OUTUBRO ! Autor: João Dinis, Jano

Estamos a assistir a um frenesim eleitoralista por parte de “facção” do PS local envolvida …

CDU apresenta queixa na CNE contra executivo e autarcas do PS oliveirenses por aproveitamento “eleitoralista, ilegítimos e antidemocráticos”

Depois do PSD, a CDU de Oliveira do Hospital enviou também uma queixa à Comissão …