Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção em Adultos. Autor: CARLOS FILIPE[*]

A PHDA – Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção é uma perturbação que se manifesta cedo, tipicamente no início da idade escolar, mas com uma evolução que se prolonga, quase sempre, por toda a vida. Durante a idade escolar muitas crianças são referidas, por pais ou professores, como tendo comportamentos de hiperactividade e/ou de défice de atenção que prejudicam o rendimento escolar, a interacção social com colegas e professores e a qualidade da dinâmica familiar. Quando cumprem critérios de diagnóstico de PHDA, a utilização de terapêutica ajustada e de estratégias comportamentais específicas levam com frequência a melhorias importantes, tanto no rendimento académico como no ajustamento social. Seguidos durante alguns anos em consultas de Pediatria, de Pedopsiquiatria ou de Neuropediatria, deixam de ter esse acompanhamento no final da adolescência. Contudo, até 70% das crianças diagnosticadas continuarão a ter sintomas ao longo de toda a vida que justificam uma intervenção médica e/ou psicológica. Mais ainda, muitos são os adultos que tendo sido crianças com PHDA não foram, no seu tempo, devidamente diagnosticados. Apesar disso, o reconhecimento da PHDA nos adultos continua a ser reduzido, facto este justificável por, em geral, ser mal reconhecida por Psicólogos, Neurologistas e Psiquiatras de adultos, pouco familiarizados com as expressões sintomáticas das perturbações do desenvolvimento.

A forma como a PHDA se apresenta nos adultos é necessariamente diferente da forma como se manifesta nas crianças. O crescimento, a vivência e, consequentemente, o “amadurecimento” da personalidade, contribuem para que algumas das manifestações mais exuberantes, como a extrema irrequietude ou a agitação, sejam raras no adulto. A impulsividade e, sobretudo, a desatenção tendem porém a persistir e a causarem incapacidades importantes, particularmente evidentes nas relações interpessoais e no desempenho profissional. É a dificuldade em manter a atenção focada e em organizar as tarefas e actividades no dia-a-dia que estão na origem dos insucessos escolares, profissionais e mesmo sociais. Falar demasiado interrompendo ou antecipando os outros, tamborilar constantemente os dedos, ter a dificuldade em manter-se sossegado ou mexer-se constantemente na cadeira são, entre outros, sinais que alertam para a possibilidade de PHDA. Em todos os casos, há que ter a certeza que a hiperactividade, a impulsividade e/ou a desatenção, se manifestaram desde criança.

A PHDA pode ser tratada com grande sucesso, tanto nas crianças como nos adultos. É, por isso, importante que os médicos, em particular os Pediatras, os Neurologistas e os Psiquiatras, sejam encorajados a identificar, diagnosticar, encaminhar e tratar crianças, adolescentes e adultos com PHDA.

 

(Sugestão de leitura: “Hiperactividade e Défice de Atenção” Editora Verso da Kapa)

*Psiquiatra. Professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa onde é regente da Disciplina de Fundamentos de Neurociências; Director Científico do CADIn (Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil) em Cascais.

 

Edifício CADIn, Estrada da Malveira, 2750-782 Cascais.

www.cadin.net

LEIA TAMBÉM

Em Vila Franca da Beira houve manipulação pré-eleitoralista, por parte dos candidatos PS, de iniciativa da Câmara que até merecia ter sido mais “limpa”!… Autor: João Dinis, Jano

Em período de pré-campanha eleitoral – que as Eleições Autárquicas vão ser já a 1 …

Batalha de Aljubarrota – A Real Batalha – 14 de Agosto de 1385 – Faz 632 Anos. Autor: João Dinis, Jano

Viva Portugal !  Livre, Soberano e Independente !!!  Viva ! Sim, a 14 de Agosto …

  • Envergonhado

    envergonhado
    Gostei do seu artigo,Sr Dr.Carlos Filipe.Precisamos de quem nos vá ensinando alguma coisa.Muito obrigado,vou estar atento a outros artigos que vão surgindo.