Poliempreende atraiu poucos alunos da ESTGOH

…auditório da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Oliveira do Hospital, no âmbito da sexta edição do Poliempreende.

Presente na abertura da palestra “Fundamentos para um processo empreendedor bem sucedido”, que ficou a cargo de Rui Ferreira da empresa Audax, o director da ESTGOH, confessou-se desolado com a falta de público na iniciativa que contou ainda com a participação da vice-presidente do Instituto Politécnico de Coimbra, Fátima Armas. Nuno Fortes deu conta da aposta da ESTGOH na área do empreendedorismo, sublinhando que se trata de “um dos vectores estratégicos da escola”. Em face da plateia desta tarde, Fortes constatou que em anos anteriores o Poliempreende registou uma melhor adesão, pelo que desafiou os presentes a passarem a palavra junto dos colegas como forma de motivação.

No decorrer da sexta edição, o Poliempreende está orientado para a comunidade académica dos Institutos Politécnicos e consiste num modelo que contempla, previamente, formação de formadores, centrando-se em dois ciclos formativos, denominados Oficina E e Oficina E2, que se desenrolam ao longo do ano lectivo e encerram, respectivamente, com o concurso de Ideias de Negócios e com o concurso de Planos de Negócios. A avaliação dos planos de negócio, cuja parte financeira segue o modelo do IAPMEI, é realizada em duas fases: regional e nacional.

O Poliempreende prevê um impacto significativo na economia local com a criação de empresas inovadoras, dinamizadoras das regiões, geradoras de mudança tecnológica, do aumento da produtividade e da competitividade e da criação de novos postos de trabalho.

LEIA TAMBÉM

EPTOLIVA distinguida nos prémios Ciência na Escola

A EPTOLIVA (Escola Profissional de Oliveira do Hospital, Tábua e Arganil) foi a escola da …

Os pais da exclusão… Autor: Renato Nunes

Biblioteca Nacional de Lisboa, 29 de Setembro de 2017. Depois de mais um dia de …