Imagem vazia padrãoPersistem em Oliveira do Hospital os crimes ambientais. As imagens – enviadas ao CBS por um leitor – falam por si e ilustram o cenário de poluição que, por incúria, grassa no Ribeiro de Cavalos.

Poluição no ribeiro de Cavalos

O diário on-line do Correio da Beira Serra vai desafiar os cidadãos interessados pelo desenvolvimento da sua região a participarem na denúncia de situações que muitas vezes escapam aos olhares dos profissionais de comunicação social.

Imagem vazia padrãoO processo vai ser demasiado simplificado e – quando essa funcionalidade estiver operacional – os leitores do CBS on-line vão poder editar, directamente, as suas notícias e as suas imagens. Após terem dado esse passo, a redacção do CBS valida ou não rapidamente os conteúdos que julgar noticiáveis e coloca-os online. Este é um processo de convite à cidadania que já existe nas melhores edições on-line do mundo e até nalguns jornais de referência nacionais.

Avançamos hoje com uma denúncia que nos chegou por correio electrónico – bem documentada com imagens – e que nos parece demasiado importante para ficar silenciada. Trata-se de uma caso de poluição, directamente feita sobre o ribeiro de Cavalos.

Assim, tem a palavra o leitor.
Encontramo-nos neste momento em pleno século 21, e com todo o gosto fazemos questão de afirmar que, Portugal é um pais pertencente à União Europeia, onde o défice será revisto em baixa e que já não somos um país do terceiro mundo, mas sim um país em vias de desenvolvimento. Será que Oliveira do Hospital ainda pertence ao país atrás referido???

Em 11-11-2004, fotografei uma situação de poluição existente na Urbanização do Margarido (junto ao Intermarché), a uns escassos 10 m da traseira das habitações ai existentes, e a uns escassos 50 m de uma instituição que lida diariamente com dezenas de crianças de várias faixas etárias. Os dejectos libertados pela conduta estão em contacto com o pequeno ribeiro que atravessa grande parte da cidade, e que passa nas traseiras do Centro de Saúde. Essa situação é demonstrada pelas fotografias.

Por achar que se tratava de um problema de saúde pública, esta e outras fotos foram enviadas para a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e para o delegado de saúde em funções. Após várias desculpas da Câmara Municipal e de várias intervenções, passados precisamente 3 anos seguem fotografias da actual situação.

Imagem vazia padrãoJá que a autarquia não se demonstra muito interessada em ver resolvido o problema, isto talvez porque não reside neste espaço nenhum elemento da mesma, achei que estava na altura de dar a conhecer a todos os Oliveirenses, pela voz do vosso jornal, sendo este um bom meio de divulgação dos nossos problemas e virtudes, a actual situação que se vive no meio urbano desta cidade.

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …