ESTGOH é prioridade em Oliveira do Hospital
Merece ser aqui revisitado o assunto da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital, ESTGOH…

Pontos nos ii’s…

Em primeiro lugar, a ESTGOH é património da Cidade, do Município e da Região, ainda que a “fórmula” deste tipo de ensino “politécnico” seja sempre discutível.

A ESTGOH nasceu dentro da freguesia de Oliveira do Hospital. Hoje, é pólo importante, porventura já insubstituível, da vida da Cidade. Que o digam nomeadamente os comerciantes e muitos proprietários de imóveis…

Entretanto, tem Alunos, Professores e Funcionários actualmente “enlatados” em instalações precárias e a serem sujeitas a adaptações constantes mas sempre insatisfatórias.

Defender e consolidar a instituição ESTGOH passa muito pela construção de novas e mais condignas instalações
Esta é uma prioridade, aliás assinalada por muita gente. Sendo assim, a construção das novas instalações para a ESTGOH deve ser uma das grandes prioridades das entidades que têm especiais responsabilidades públicas nestas matérias. Desde logo, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e o Governo. Mas também a Câmara e a própria Assembleia Municipal.

Governo já respondeu à Câmara afirmando que ESTGOH “não é prioridade”…
Porém, o Governo já enviou um ofício à Câmara Municipal em que, preto no branco, escreveu que as novas instalações para a ESTGOH “não são prioridade”. Ora aqui temos nós o principal problema:- a falta de vontade política deste (des)governo em mandar construir a nova ESTGOH. E de tal forma assim é, que também a maioria PS na Assembleia da República tem votado sempre contra as propostas do PCP que procuraram fazer incluir verbas para as novas instalações da Escola Superior nos Orçamentos de Estado para 2006, 2007 e 2008. Aliás, na Assembleia da República, o PSD também se tem associado ao PS nessas votações as quais, ao fim e ao cabo, são votações contra a ESTGOH. É o “bloco central” bem unido nas políticas de direita…

E se o nosso maior problema é a falta de vontade política do (des)governo PS em construir a nova ESTGOH, também é na luta contra essa má vontade governamental que nos devemos concentrar. Sim, porque “eles” não desfazem tudo o que querem; “eles” não destroem tudo o que querem destruir ! Assim, da nossa parte, queiramos/consigamos nós unir-nos quanto ao essencial.

Não é nada indiferente a localização da nova ESTGOH
Acontece que não é de forma alguma indiferente a localização da nova ESTGOH. Vir com a conversa de que o importante é construir-se a nova ESTGOH “seja lá onde for” é praticamente admitir também – pelo menos perante o (des)governo – que até poderá ser…em nenhum local. Pelo contrário, o Município tem que afirmar, sem equívocos, onde pretende que se construa a nova ESTGOH.

Ultimamente, a Câmara Municipal e o seu Presidente estão a fraquejar. quanto à manifestação dessa inequívoca vontade do Município
E isso sem qualquer motivo mais plausível ou visível tanto mais que a Câmara adquiriu terrenos dentro da freguesia de Oliveira do Hospital para as novas instalações da ESTGOH, terrenos esses que custaram mais de 400 mil Euros do “nosso” dinheiro municipal ! Pois então que se passa ?…

Mas afinal é o quê a hipótese da “adaptação” das instalações semi-arruinadas da falida ACIBEIRA para lá acolher a nova ESTGOH ? Sim, que é isso ?
De repente, “alguém” se lembra de dar a boca:- a semi-arruinada ACIBEIRA (situada em Lagares da Beira) pode ser adaptada para acolher a nova ESTGOH. Aliás, para elevar o baixo nível da ideia peregrina, alguns até falam em “campus” universitário da dita… E procuram arrastar os voluntaristas – e nós conhecemos quem seja genuinamente voluntarista – e os mais incautos para um disparate tão grande que até dói. Aliás, só não será disparate dos maiores para quem tiver algum interesse pessoal ou de “grupo” a partir da falida e semi-arruinada ACIBEIRA…

E sem ser exaustivo, bastará acentuar que se mantém intrincado e previsivelmente muito arrastado no tempo o processo judicial de falência da ACIBEIRA e que, ir por esta opção, também significa preterir a construção, de raiz, da futura Escola Superior nos terrenos expressamente comprados pela Câmara para esse efeito dentro da freguesia e da Cidade de Oliveira do Hospital onde a ESTGOH nasceu, vive e faz viver.

Objectivamente, esta conversa ( nada inocente…) da falida e semi-arruinada ACIBEIRA vir a acolher a futura ESTGOH só vem introduzir “ruído” no debate e tentar enfraquecer a nossa unidade na luta em defesa e pela dignificação urgente da ESTGOH. Em última análise, tal conversa serve ao (des)governo a quem muito agradará ver-nos para aqui entretidos a misturar alhos com bugalhos, a discutir a árvore esquecendo a floresta…

Saliente-se que a Assembleia Municipal e a Assembleia de Freguesia de Oliveira do Hospital já se pronunciaram maioritariamente, e por mais que uma vez, – a partir de iniciativas da CDU — quanto à localização da nova ESTGOH nos terrenos que a Câmara comprou dentro da freguesia de Oliveira do Hospital. Aliás, a Assembleia Municipal até aprovou por unanimidade essa compra, em 2004.

Porém, e repete-se, a Câmara Municipal e em especial o seu Presidente hesitam agora, o que é preocupante para além de desrespeitarem compromissos anteriores claramente assumidos. E uma posição vacilante ou “ausente” da Câmara quanto à melhor localização da ESTGOH enfraquece bastante a posição geral do Município. Aí está uma situação que não se pode permitir !

Cidadãos também devem dar a sua opinião
É pois necessário que as forças político-partidárias se definam claramente quanto à matéria. Neste aspecto, a CDU é a única força política que o está a assumir em todo o lado e sem hesitações. E é sobretudo necessário que os Cidadãos mais empenhados também manifestem a sua opinião. Para já, corre um abaixo-assinado com esse objectivo. Há que o subscrever. Depois, a cada um – Governo – Câmara – Partidos Políticos – “a cada um segundo as suas responsabilidades”…

Por último, e desnecessário seria até dizê-lo, isto não é uma espécie de desafio de futebol “Oliveira versus Lagares”. Lagares da Beira é uma grande, bonita e progressiva vila que tem equipamentos sociais que outras não têm. E que os tem porque também soube lutar por eles. Mas Oliveira do Hospital- Cidade também, entendamo-nos.

A ACIBEIRA ainda poderá vir a servir (mas quando ?) para outras finalidades, por exemplo para um Entreposto Comercial ou para um Centro Empresarial.

João Dinis

LEIA TAMBÉM

Perguntar não ofende… Autor: João Dinis

Afinal como consegue a SONAE – ARAUCO fazer o que faz dentro de S. Paio …

Cartões e telemóveis podem andar juntos na carteira? Autora: Isa Tudela

Pense neste cenário: vai às compras, carrinho cheio e na hora de pagar o cartão …