Dr. Carlos Morais

Porque bate o coração tão devagar? Autor: Dr. Carlos Morais

O coração é um músculo que se contrai mais de 100.000 vezes por dia, de modo a manter a circulação sanguínea. Para assegurar um funcionamento regular e sem problemas, o coração possui um centro de controlo conhecido como nódulo sinusal ou sinoauricular, que atua como um gerador de impulsos e está localizado na aurícula direita.

O ritmo normal do coração é influenciado pelo sistema nervoso, que o faz acelerar quando as necessidades aumentam e retardar quando elas diminuem. Em média, o número de batimentos por minuto (frequência cardíaca) é em repouso de 60 a 100 p/min, o que significa quase 100.000 batimentos por dia.

Quando o coração bate demasiado devagar, ou seja, abaixo dos 60 batimentos por minuto, podemos estar perante uma bradiarritmia que pode conduzir a desmaios (síncopes), tonturas, quedas de pressão e cansaço, por existir menos circulação sanguínea.

A bradiarritmia, a não ser em condições extremas, quando associada a outras doenças, não causa morte, uma vez que o nosso organismo acaba por se adaptar, mas requer acompanhamento médico.

O exame mais usual para diagnosticar a bradiarritmia é o eletrocardiograma, que deteta e regista a atividade elétrica do coração.

Apesar de não existir tratamento farmacológico para a bradiarritmia, se os sintomas forem muito intensos, o médico pode indicar a colocação de um pacemaker, para melhorar a qualidade de vida do doente.

*Artigo de Opinião Dr. Carlos Morais, Cardiologista e Presidente da Associação Bate Bate Coração

LEIA TAMBÉM

Da I República ao Estado Novo: um estudo de referência. Autor: Renato Nunes

Luís Bigotte Chorão deu à estampa, em 2009, A crise da República e a Ditadura …

Tarifa social para a prestação dos serviços de Águas. Autora: Tânia Santana

No passado dia 5 de Dezembro foi publicado o regime de atribuição de tarifa social …