Dr. Carlos Morais

Porque bate o coração tão devagar? Autor: Dr. Carlos Morais

O coração é um músculo que se contrai mais de 100.000 vezes por dia, de modo a manter a circulação sanguínea. Para assegurar um funcionamento regular e sem problemas, o coração possui um centro de controlo conhecido como nódulo sinusal ou sinoauricular, que atua como um gerador de impulsos e está localizado na aurícula direita.

O ritmo normal do coração é influenciado pelo sistema nervoso, que o faz acelerar quando as necessidades aumentam e retardar quando elas diminuem. Em média, o número de batimentos por minuto (frequência cardíaca) é em repouso de 60 a 100 p/min, o que significa quase 100.000 batimentos por dia.

Quando o coração bate demasiado devagar, ou seja, abaixo dos 60 batimentos por minuto, podemos estar perante uma bradiarritmia que pode conduzir a desmaios (síncopes), tonturas, quedas de pressão e cansaço, por existir menos circulação sanguínea.

A bradiarritmia, a não ser em condições extremas, quando associada a outras doenças, não causa morte, uma vez que o nosso organismo acaba por se adaptar, mas requer acompanhamento médico.

O exame mais usual para diagnosticar a bradiarritmia é o eletrocardiograma, que deteta e regista a atividade elétrica do coração.

Apesar de não existir tratamento farmacológico para a bradiarritmia, se os sintomas forem muito intensos, o médico pode indicar a colocação de um pacemaker, para melhorar a qualidade de vida do doente.

*Artigo de Opinião Dr. Carlos Morais, Cardiologista e Presidente da Associação Bate Bate Coração

LEIA TAMBÉM

Universidade de Coimbra aposta na folha de mirtilo para tratamento da Esclerosa Múltipla

Um projecto de investigação da Universidade de Coimbra aposta no potencial terapêutico da folha de …

Deixar de fumar é possível com ajuda médica. Autora: Sandra Saleiro

Atualmente, quase dois milhões de portugueses continuam a fumar. Segundo dados da Organização Mundial de …