Praticar demasiada corrida pode diminuir esperança de vida

Praticar demasiada corrida pode diminuir esperança de vida

Um estudo sugere que aqueles que exageram nas horas gastas a correr de vivem menos do que as pessoas que fazem exercícios mais moderados. O estudo, realizado pelo Instituto de Pesquisa Cardiovascular da rede norte-americana Lehigh Valley Health, revelou que aqueles que fazem exercício moderado — de duas a três horas por semana — vivem mais tempo que aquelas que correm muito (em um tempo maior de actividade do que o citado). Quem não pratica exercício também tem uma expectativa de vida mais curta.

Para chegar a este resultado, a equipa de pesquisa estudou mais de 3,8 mil corredores masculinos e femininos, com uma média de idade de 46 anos. Quase 70 por cento dos participantes disseram que corriam mais de 32 quilómetros por semana. A causa permanece um mistério. Os cientistas não conseguiram chegar a uma conclusão sobre a razão destes resultados. Mas acreditam que o facto pode estar ligado à forma como correr afecta a saúde do coração.

Os cientistas também levaram em conta se os participantes usavam alguma medicação, se tinham pressão arterial alta, colesterol elevado e se fumavam. Mesmo com esses dados, a equipa chegou à conclusão que nenhum desses factores poderia explicar a redução da expectativa para aqueles que praticam demasiadas horas de corrida. Dr. Martin Matsumura, que liderou o estudo, disse que não diz às pessoas para pararem de correr, tendo como base este estudo. “O que nós ainda não entendemos é como definir a dose ideal de exercícios para a saúde e a longevidade”, disse à revista Health Day. Já o Dr. James O’Keefe, director de cardiologia preventiva do Instituto do Coração de Kansas City, que analisou a pesquisa, disse que o “desgaste” causado nos corpos das pessoas quando elas correm muito poderá explicar os resultados.

Ele aconselhou que os corredores realizem seus exercícios por cerca de duas horas e meia por semana, em um ritmo de lento a moderado de corrida. E deixa um conselho: “Se você quiser correr uma maratona, faça-a, mas depois de cumpri-la, risque essa prova da sua lista”.

Os cientistas consideram que a caminhada é mais eficaz do que a corrida no sentido de reduzir o risco de doenças cardíacas, diabetes ou colesterol alto. Já para quem quer mesmo é emagrecer, a corrida é a melhor opção, pois, além do gasto calórico, correr também pode ter um efeito na diminuição da fome. Mas de forma moderada.

Fontes: The Independent;Health Day;Daily Mail e Mirror UK

 

LEIA TAMBÉM

Universidade de Coimbra aposta na folha de mirtilo para tratamento da Esclerosa Múltipla

Um projecto de investigação da Universidade de Coimbra aposta no potencial terapêutico da folha de …

Deixar de fumar é possível com ajuda médica. Autora: Sandra Saleiro

Atualmente, quase dois milhões de portugueses continuam a fumar. Segundo dados da Organização Mundial de …