10:12:13

No ano passado a exibição de filmes na Casa da Cultura César Oliveira traduziu-se num prejuízo de cerca de 21.412, 72€ para a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, a entidade promotora do cinema na cidade.

Prejuízo com cinema ultrapassou os 21 mil euros

Imagem vazia padrão

 

Os números foram revelados anteontem pelo presidente da autarquia, que adiantou também que em 2007 a taxa de ocupação da sala de cinema da cidade se centrou nos 21,6 por cento, com 4765 bilhetes vendidos num total de 122 sessões. Mário Alves lamentou a fraca adesão do público às sessões de cinema, revelando que houve dias em que estiveram apenas 26, 17, oito, sete pessoas e “houve até um dia em que não houve exibição por não aparecer uma única pessoa”.

“Normalmente em Oliveira do Hospital fala-se muito de cultura, mas as coisas são proporcionadas, mas as pessoas esquecem-se de que elas existem”, referiu o presidente da Câmara Municipal, sublinhando também que “se não houvesse projecção de filmes, toda a gente andava a escrever que não havia cinema em Oliveira do Hospital”. “Tivemos aqui um custo social com cinema de quase quatro mil e trezentos contos”, referiu Mário Alves, para de seguida ser contraposto pelo vereador José Francisco Rolo segundo o qual está em causa “uma política cultural do município”.

O autarca revelou-se também insatisfeito com a taxa de ocupação – 29,67 por cento – da sala de cinema por ocasião do segundo Ciclo de Cinema Português promovido pela Câmara Municipal. “Mesmo gratuito, a taxa de ocupação não aumentou muito”, considerou.

LEIA TAMBÉM

Festival “Origens” de Travanca de Lagos agendado para o próximo fim-de-semana

Os Jovens da Liga de Travanca de Lagos apresentam, de sexta-feira a domingo, mais uma …

Seia aposta na cultura com a realização da 15ª edição do Festival de Artes de Seia – ARTIS

O município de Seia, em parceria com a Associação de Arte e Imagem de Seia, …