Presidente da Câmara de Seia diz que sucesso da Feira do Queijo Serra da Estrela se mede pela satisfação dos visitantes e expositores e não por truques de propaganda

O presidente da Câmara Municipal de Seia acredita que está provado não ser necessária uma forte aposta em promoção para ter uma feira do queijo Serra da Estrela de sucesso e com capacidade para atrair várias dezenas de milhares de pessoas. Filipe Camelo, que fazia o balanço da Feira do Queijo de Seia, que decorreu entre os dias 25 e 28 de Fevereiro naquela cidade, afirmou ainda que o certame deste ano foi o melhor de sempre e considerou que o sucesso se mede pela satisfação dos visitantes e expositores e não pela publicidade.

“Está provado que não precisamos de recorrer a truques de propaganda para ter na Feira os melhores visitantes, os melhores expositores e o melhor público, mantendo na essência a tradição que sempre a caracterizou e esteve na sua génese”, referiu o autarca, atribuindo o êxito do evento aos expositores, aos diferentes parceiros e à excelente organização do município, que continuam a fazer com que a feira se afirme por si própria.

dsc_5452-small “Quem visita a Feira de Seia sabe ao que vem”, exclamou, deixando rasgados elogios ao movimento associativo concelhio, que permitiu desenhar um programa intenso de actividades que emergiram, naturalmente, do território único que é a Estrela bem como da genuinidade das suas gentes, beneficiando de oportunidades de provar e de adquirir produtos locais de excelência. O melhor indicador do sucesso desta edição da Feira do Queijo 2017, referiu o autarca, foi a satisfação manifestada por mais de centena e meia de expositores pelas vendas realizadas.

“Num primeiro balanço dos quatro dias de evento podemos desde já constatar que a Feira do Queijo de Seia se afirmou, por mais um ano consecutivo, como o evento de referência local, regional e nacional da divulgação e venda dos produtos de Seia, com especial destaque para o queijo de ovelha e cabra, o requeijão, o pão, o fumeiro, o vinho, o mel, a lã ou o artesanato”, destacou o autarca, segundo o qual nos quatro dias de evento, com 12 horas diárias de actividades, passaram pela Feira do Queijo, várias dezenas de milhares de visitantes que durante estes dias, além da Feira, puderam apreciar, sem sair do concelho de Seia, a beleza da Serra da Estrela e da Torre coberta de neve. Puderam visitar a nossa interessante rede de museus (CISE, Museu do Pão, do Brinquedo, da Electricidade), estiveram alojadas na numerosa rede de unidades de alojamento turístico que, na sua maioria, esgotaram a sua capacidade e provaram, na Feira e nos restaurantes, a gastronomia serrana.

dsc_5489-small“O Município e a Comunidade estão satisfeitos e reconhecem em todos, visitantes, expositores, associações, empresas, empresários e organizadores do município, a força deste grande evento, de elevado retorno para a economia local”, continuou ainda Filipe Camelo para quem “o sucesso da Feira do Queijo de Seia mede-se pelos resultados, não pela propaganda em torno de um produto e de um sector que alguns não têm mas vangloriam”. “Mas os dois indicadores fundamentais  [para medir o sucesso] são a satisfação dos visitantes e expositores e as vendas dos produtores”, sustentou.

“Assim, a Feira do Queijo de Seia, em plena Serra da Estrela, continuará para sempre, sem vaidades, sem truques de propaganda a ser a festa genuína do concelho de Seia, da cidade e dos seus habitantes, das suas empresas e empresários, dos seus artesãos e artistas, das suas associações, no presente mas, mais do que tudo, no futuro”, reiterou Filipe Camelo, assegurando que a Câmara Municipal continuará a fazer da Feira do Queijo um momento de grande afirmação da força e vitalidade do Concelho, nos planos económico, social e cultural. “Tratando-se de um evento que atrai milhares de pessoas à cidade, induzindo efeitos muito positivos na economia local, com particular destaque para os sectores do turismo, comércio, alojamento e restauração, continuamos apostados em tornar a feira ainda mais atractiva”, rematou.

LEIA TAMBÉM

António Costa deverá visitar Oliveira do Hospital depois do dia 13 de Maio para dar conforto à recandidatura de José Carlos Alexandrino

O primeiro-ministro António Costa deverá deslocar-se a Oliveira do Hospital, como havia referido o presidente …

PSD de Oliveira do Hospital quer aposta na formação profissional

O PSD de Oliveira do Hospital mostrou-se na última Assembleia Municipal preocupado com aquilo que …

  • António Lopes

    Será que estes “recados ” são para mim? SE fosse eu a dizer isto era ressabiamento e mal dizer..! Esta de ir com as ovelhas só para as televisões, claro tem um nome.O Senhor Prsiddente de Seia, que até é do PS,chama-lhe truque..! Ora, “quem não tem cão caça com um gato”..É a vida..!

  • Olho Vivo

    Grande coice que o Camelo deu ao Alex. Nem Marcelo, nem Costa lhe valem.
    Para parvos, é assim que se lhe responde.
    Aguenta Alex, embrulha.

  • Sérgio Correia

    Há quem chame a isto, dor de cotovelo ….. como não conheço o estado dos ossos do senhor, também aceito que possa ser azia …

    • Faz-te à vida

      Até pode ser o colesterol alto.
      Cada animal, como e erva que lhe dão.
      Para continuarem a comer erva, e manter o esqueleto a suportar a adquirida obesidade, têm que aguentar a azia.
      O de Seia não entrega trabalhos?

    • António Lopes

      Sérgio:O problema é que há duas queijarias de Oliveirenses registadas em Seia que vendem 400 toneladas ano.Porque será.. que registaram em Seia e põem no rótulo Seia..?

      • Sérgio Correia

        António Lopes, se estão registadas em Seia é normal que no rótulo apareça Seia, mas vendem 400 toneladas de quê?? Queijo Serra da Estrela não será …..esse sol de Cabo Verde deu-lhe forte… Para registo: não dialogo com cobardes anónimos.

        • Que sumidade

          O sua inteligência, o que vende é a palavra “SEIA” no rotulo.
          Queijo da serra fabricado em Oliveira do Hospital, mandam-to comprar a ti.

        • António Lopes

          Sérgio: A tipos do meu calibre nem o sol tropical pega…Sabes bem que não sou de dizer barbaridades.Uma dessas queijarias até faz uma grande propaganda, com algum sucesso, do queijo Serra da Estrela.Sendo ou não sendo, se fores ao Pingo Doce, Intermarché etc, não terás dificuldade em encontrar lá o queijo dessas queijarias, identificado como Serra da Estrela. Serra da Estrela, tal como o conheço, melhor, devia conhecer, segundo o Senhor Engenheiro Paulo Barracosa da Escola Superior Agrária de Viseu, temos muito pouco ou nenhum.”Tivemos que fechar os olhos para haver queijo certificado na feira do anos passado, em Oliveira do Hopital”..! Foi ele que disse, não fui eu. E não sou de falar de cor, nem de fazer fretes.Muito menos de contribuir para maltratarem um produto de referência da nossa região, que todos devemos defender. O Senhor Presidente da Câmara por maioria de razões.E já lhe ando a dizer isso desde 2011.Como vês, o sol não me afecta,não sou de andar descuidado e esforço-me por ser uma pessoa informada e imparcial.
          Um abraço.

  • Miguel Mike Santos Santos

    Essas das 400 toneladas de queijo vendidas por queijarias registadas em seia mas de oliveira…é digno de anedota do ano! Mas o curioso será o “registadas em seia”. Afinal como já li por aí…o “que vende é a marca SEIA”. Afinal chegamos a uma conclusão que incomoda: SEIA vende, e não vende pelo bonito nome. Vende porque é efetivamente reconhecida pelo seu queijo. Já Oliveira…ok…continuem a esbanjar os milhares de euros em TVI’s e afins, porque o resto do ano o queijo mais vendido e reconhecido continuará a ser o de SEIA…já que o retorno prático do investimento é quase nulo. Isso não é gerir…é lavar olhos a quem vota!!! Outra curiosidade é realmente a questão de virem registar as empresas em SEIA. O do “ah e tal vamos usar o nome SEIA” é uma justificação para os mais lerdos. Para os mais atentos é um claro falhanço das políticas de empreendedorismo e criação de emprego da autarquia de oliveira…mas não vamos levantar muitas ondas, estamos em ano eleitoral, e o Sr Presidente Alex preferirá apostar nas TVI’s e afins para justificar uns segundos no ar. Amanhã…reconheçamos…ninguem falará de oliveira do hospital quanto ao queijo…

    • Quijo é comigo

      Nos anos em que Alexandrino esteve à frente da autarquia, a região demarcada do queijo serra da estrela, 17 concelhos, só perdeu 40.000 bordaleiras.
      40 mil, que deem 1litro por dia por cabeça, são menos 8 toneladas de queijo por dia? Portanto, neste momento, não há ovelhas logo não há queijo da serra da estrela. As fábricas, se quiserem vender, têm que vender o nome há muito conquistado. Oliveira vende zero comparado com Seia, com Gouveia e com Celorico. A sua competição, no queijo da serra é a da 2ª divisão, i.e., disputa com Carregal, com Arganil, com Tábua. Nelas por exemplo, tem muito melhor queijo do que Oliveira do Hospital, e muito mais bordaleiras para o poder fazer.

    • António Lopes

      Tenha em conta que uma das queijarias trabalha no Concelho, com pessoal do Concelho.A outra deslocou-se para Seia, efectivamente.Os funcionários não sei se são todos de Seia ou de Oliveira ou se são mistos.Será o mais natural.
      Mas que a questão do rótulo dizer Seia determina, disso não tenha dúvidas.E não há foguetório nem propaganda que mude isso.Com trabalho sério, e com tempo,talvez…

  • Mancamulas

    ” JOÃO PAULO ALBUQUERQUE ” JÁ É CANDIDATO DESDE HOJE.