Presidente da República faz hoje comunicação ao país após as 20h00

O Presidente da República faz hoje à noite, após as 20h00, uma comunicação ao país, depois de concluída a audição dos partidos sobre a formação do novo Governo, disse fonte oficial da Presidência da República.

LEIA TAMBÉM

Mortes em acidente em Tábua no acesso ao IC6

Dois homens morreram hoje na sequência de uma colisão frontal entre duas viaturas ligeiras numa …

Funcionário público detido na região de Viseu por apropriação de objectos apreendidos judicialmente

PJ deteve em Trancoso desempregado por alegada violação de criança

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um homem de 34 anos, em …

  • Escavacado

    Mais do que previsível.
    Cavaco, quer alguns aceitem, ou não, é uma invenção, que , nos momentos de agrura dum imbecil socretino, se guindou aos mais altos planos da nação portuguesa, por voto.
    Recordando, esse tal de socretino foi uma – péssima – invenção dum outro presidente , de seu nome Sampaio – sempre os golpes palacianos do PS – que, para além de apadrinhar todas as campanhas da “expansão portuguesa” – Expo 98…Europeu… – descobriu a Finlândia e andou a vender a democracia pelos países da América Latina… – Chile, incluído.
    Cavaco, nesta senda de “não-influência”, inventou os passortas.
    Durante o seu mudo – e cagarrês – reinado, deixou – tal como Sampaio – que o país fosse à falência e, durante o período do “irrevogável”, tempo teve para proteger mimar e acolitar o último desgoverno.
    Foi um dos principais fautores dos últimos resultados eleitorais para Assembleia da República – nada mudo, neste caso.
    Mais natural do que isto, seria ficar calado.
    Como sempre andou.

  • Guerra Junqueiro

    Acabou o sonho dos loucos, para não lhes chamar doidos ou dementes ou atrasados mentais ou ainda acéfalos
    O Presidente ao seu melhor nível.
    Fez o que devia e mostrou um verdadeiro sentido de Estado e de estado membro.
    Os deputados eleitos saberão cumprir o seu mandato e o seu lugar. Costa e os costistas acabaram agora.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    • Escavacado

      E o povo?
      O povo, saberá Cavaco, o que é que pensa sobre ele?
      Acaso já se deu ao cuidado de ouvir, lugar a lugar, o que é que o povo diz sobre Cavaco?
      Então Cavaco, o mudo, o calado, o cagarrês, ainda pensa que Portugal é o cavaquistão?
      Sentido de estado?
      Então foi ele que , de acordo com as suas responsabilidades, deixou o país resvalar para o abismo…e agora vem armar-se em descavacosalvador?
      A imbecilidade tomou, há muito, os destinos deste país.
      Todos os grandes amigos de escavadosilva, os da banca, e arredores, estão como estão.
      Descavadosilva diz o quê?
      Ele deveria saber era que , se homem sério fosse, o povo português o está mandando para as Selvagens.

      • Guerra Junqueiro

        Palavras leva-as o vento, acho que ganhou com maioria absolutíssima à primeira volta? Ou estarei eu enganado.

        Cumprimentos
        Guerra Junqueiro

        • Escavacado

          Graças, naquele tempo, ao socretino-mor – e Sampaio -e direcção xuxa – Manuel Alegre era mau para o PS, se bem me lembro.

  • KO técnico

    Vai prestar contas à Câmara Municipal de Lisboa.

  • Guerra Junqueiro

    PRÉ-DISSIDENTES COMUNISTAS DO TEMPO EM QUE ESSE ESTATUTO AINDA ERA INTERESSANTE

    Encontrei esta fotografia dos tempos de parlamentar comunista de Carlos Brito, discursando na Assembleia da República algures durante a década de 1980, mais de uma década antes de se tornar em mais um dissidente do PCP. Tão ou mais importante que o próprio quando discursa, na época como líder do grupo parlamentar dos comunistas (que o foi entre 1976-91) são os camaradas que o acompanham sentados. Da primeira fila para as seguintes e da direita para a esquerda identificam-se: Carlos Carvalhas, que veio a tornar-se no secretário-geral adjunto (1990-92, sob Cunhal) e depois secretário-geral do partido (1992-2004); Octávio Teixeira, que veio a suceder a Carlos Brito como líder parlamentar (1991-2001); atrás, José Magalhães que veio a dissidir do partido em 1991; Jorge Lemos que veio adoptou a mesma atitude nessa mesma altura; e finalmente, na terceira fila, Zita Seabra, que também abandonou o partido, ainda que mais cedo que os anteriores (1988). Uma fotografia destas, a mais de 25 anos de distância faz-nos compreender que discordar, criticar e abandonar o PCP tornou-se moeda tão corriqueira que nos últimos anos perdeu totalmente oglamour. Nos últimos anos, qualquer comunista de saída do partido tornou-se só mais uma curiosidade.

    • Escavacado

      Pois, Guerra:
      – Se boa memória, dessa deslizante gente, se consente, repare lá, atentamente, onde foram eles parar, alegremente.
      E, acredito, que nem saiba, “da missa, a milésima parte”.

      • Guerra Junqueiro

        Acredito que ainda vá somente nos “cânticos de entrada”.
        Mostre aqui um pouco dessa “eucaristia”.

        Cumprimentos
        Guerra Junqueiro

      • Escavacado

        Foram parar, alegremente, a quem mais dinheiro dava, certamente…
        Que não eram “cavalos” para aquela corrida…
        Deixaram-se montar pelos cânticos do dinheiro….e fortuna fizeram.

        • Guerra Junqueiro

          Mercenários políticos? Acredito.
          Um soldado trabalha por o soldo definido, o mercenário por aquele que aumenta o soldo, também costumam dividir os despojos.
          O grande problema é esse, temos uma politica de mercenários.

          Cumprimentos
          Guerra Junqueiro

          • Escavacado

            Nada disso:
            – Os mais badalados, se se recorda, até certa altura, pensaram que estavam no “cavalo” certo – não conhece, ninguém, com os mesmos “ADNs”?
            – Depois, quando começaram a levar com a “comunicação social” em cima, que os guindou a estrelas, – estes, e tantos outros – descobriram que tinham nascido para missões mais nobres, que o seu umbigo era mais valioso que o de todos os outros: poder e dinheiro – e que aquele “cavalo” não lho permitiria.
            E zangaram-se.
            E lá foram.
            E, nessa viagem, – que desconsolo! – lá foram aterrar onde promessas, antigas, de bom acolhimento, tinham tido.
            Recordo-lhe, com o humor que nos caracteriza, aos portugueses, a figura da cabrazita.
            Cumprimentos.

  • António Lopes

    GOVERNO DOS 10 DIAS:

    Entre o dia 7 e o dia 9 de Fevereiro de 1842, tivemos o “Governo do Entrudo”, Presidido pelo Sr. Duque de Palmela.

    No dia 15 de Janeiro de 1920, tivemos o Governo dos 5 minutos.O
    Dr.Francisco Fernandes da Costa,indigitado primeiro Ministro, foi
    agredido quando se preparava para tomar posse e já não tomou.

    Agora, vamos ter o Governo dos 10 dias,presidido pelo Dr.Passos
    Coelho…Do que “gostei” mesmo, foi do discurso do Sr.Presidente da
    Republica. E eu a pensar que era o presidente de todos os Portugueses..!

    • Tininho

      Depois dos jantares, dão nisto.
      Então o governo ainda cai antes do que o executivo?
      Valha-me São Carvalho. Ficam loucos.
      Não erram o chão ao cagar.

      • António Lopes

        Se o problema fosse de depois dos jantares, nem era grave.Isso passa.Grave é que governo e executivo, para quem não escreve depois do jantar, devia ser a mesma coisa.Dez dias é o prazo para apresentar o programa, e, se for como está previsto, e não houver “Golpe de Estado constitucional” é o tempo para cair.! Nada como jantar bem e escrever e pensar melhor..! Depois, já alguém disse que discutir com a ignorância, normalmente, a ignorância ganha.Sabe tudo..! Tininho sim…tininho…

        • Vermelhão

          Calma. A única moção de rejeição que interessa, a existir, é a do PS. Pode haver uma surpresa. Não se esqueçam que, a Coligação na segunda reunião com o PS, levou uma lista de vinte e tal medidas do programa do PS (consideradas muito importantes), e que estava disposta a ceder e a implantar as mesmas. Ora se o programa de Governo a apresentar as tiver lá todas, quero ver o PS a rejeitar o seu próprio programa. Aí é que era o fim do PS. É que, o PS diz que apresenta uma moção se, e só se, o programa a apresentar for um seguimento de políticas. E se não for? E pelas mesmas razões, não poderá aprovar as moções dos outros partidos. A procissão ainda vai no adro.

          • Fantoches

            Há muito , quem manda em Portugal, é uma coisa chamada Trilateral.
            PS; PSD E CDS – e outras televisivas produções – são as suas marionetas.

        • Saber esperar

          Cá estarei para ver quem é o ignorante? Ficava mal ao 1º eleito ser ele.

          • António Lopes

            O “1º eleito” limita-se a respeitar a lei.Sabendo de saber feito que, a lei, é a expressão da classe dominante…Logo , às vezes, a razão da força, sobrepõe-se à força da razão…

    • Basta

      Sr Lopes…
      Até já tivemos um papa…
      Portugal precisa é de um governo para o futuro.
      A escavacada democracia está cansada destas palhaçadas palacianas de Belém.
      Só desgraças.

      • António Lopes

        É Verdade.De seu Nome Pedro Julião Rebolo, vulgo Pedro Hispano, com o titulo de João XXI. E quase tivemos o cardeal de Alpedrinha D.José da Costa. Mas meteu-se numas cavalgadas contra D.João II quando quis destronar o p, D.Afonso V .Aí D.João II dificultou-lhe o acesso.

        • Basta

          E foi papa, apenas, durante oito meses.
          (Que sorte; mais recentemente, outro houve que apenas calçou as sandálias durante três meses…)

    • COELHO

      Sr. António Lopes, também todos conhecemos o ” Presidente dos Seis Meses”. Sim, aquele que tomou posse no dia 18 de outubro de 2013 e a 26 de abril de 2014, ” Foi Chutado ” pelos afilhados. Não compreendo estes seus relatos históricos. Se assim foi em Portugal, também em Oliveira do Hospital nunca houve um presidente da assembleia municipal dos seis meiroses! O Dr. Francisco Costa, foi agredido e o ” Senhor foi empurrado para a rua “, como vê pode analisar as atuais regras democráticas, daqueles que querem ir para o poder sem terem ganho as eleições, e o senhor foi ” Chutado ” tendo-as ganho! Enfim, é a democracia! E o ” António ” do Vimieiro é que era ditador. Valha-nos DEUS!

      • António Lopes

        Como terá dito D.João I a Mem Ramires, na altura da Batalha dos Atoleiros,quando se queixava: “Boa falta nos fizeram hoje aqui, os bons Cavaleiros da Távola Redonda.Se eles foram aqui, teríamos ganho este lugar…” Mem Ramires defendeu os cavaleiros dizendo que o que fizera falta fora o bom do Rei Artur, que para os seus fidalgos sempre tinha muitas mercês” D.João terá respondido: “Nem esse eu tirara afora”.Pois, eu, também não.Para o bem e para o mal sempre se dirá que o mais votado de sempre, como diz,foi “chutado”. Por acaso e em rigor histórico, desligou-se. Não ao fim de 6 meses mas ao fim de três.Mais rigorosamente, no dia 28 de Dezembro do citado ano da graça de 2013…

        • António Lopes

          E porque sou defensor do rigor histórico e porque, às vezes, a memória atraiçoa, e o “disco rigido” não ficou convencido e deu erro,há que corrigir. A conversa citada passou-se entre D.João I e Meem Rodriguez de Vasconcelos, que, no fim da conversa se reclamou valer tanto quanto D.Quea,dizendo ao Rei que o que lhes faltou foi quem bem os comandasse, o bom do Rei Artur,ao que D.João I fez mea culpa.O D.Mem Ramires, teve conversa semelhante mas foi com D.Afonso Henriques, devido à conquista de Santarém, em 1147,cerca de 250 anos antes…