Problemas nos pés podem aumentar durante a gravidez. Autor: Francisco Oliveira Freitas

Durante o período de gestação, o aumento do peso corporal pode alterar a forma como as mulheres caminham, e desta forma causar determinados problemas nos pés. Apesar de ser normal que, por volta dos 6 meses de gestação, os pés e os tornozelos fiquem inchados, aumentando cerca de 1 a 2 tamanhos, esta situação tem tendência a agravar no final da gravidez, e até poderá levar ao aparecimento de dores e desconforto no momento de realizar determinadas tarefas do dia-a-dia.

Grande parte das mulheres grávidas apresentam sintomas de cãibras e aparecimento de varizes, bem como a alteração da sua postura, o aumento de pressão sobre os joelhos e pés, e a ocorrência de retenção de líquidos. Dois dos problemas mais comuns nos pés durante a gravidez são a pronação excessiva (abatimento do arco) e o edema, os quais podem conduzir a uma dor na planta dos pés e do calcanhar.

Existem, no entanto, medidas que podem ser tomadas para evitar ou minimizar estes problemas, de maneira a que o período de gestação seja o mais confortável e indolor possível. Assim, poderá adotar pequenos hábitos que farão a diferença ao final do dia, tais como:

  • Caminhar com calçado que envolva toda a planta do pé, para melhorar o apoio e, se possível, para evitar entorses;
  • Cortar as unhas de forma reta e evitar retirar as cutículas, uma vez que estas podem impedir o aparecimento de fungos ou outras infeções;
  • Fazer massagens circulares nos pés e pernas e aplicar cremes específicos para diminuir o inchaço e o desconforto;
  • Elevar as pernas durante o dia para aliviá-las do cansaço e inchaço;
  • Utilizar meias de descanso, para facilitar a circulação sanguínea;
  • Apoiar os pés num banquinho, enquanto estiver sentada;
  • Aplicar diariamente um creme hidratante que melhore a elasticidade da pele e previna a secura e endurecimento, que podem levar ao desenvolvimento de calos e calosidades;
  • Praticar desporto de forma moderada, como natação ou caminhadas, de maneira a melhorar a circulação e o fortalecimento muscular.

Autor: Francisco Oliveira Freitas, Podologista

LEIA TAMBÉM

Universidade de Coimbra aposta na folha de mirtilo para tratamento da Esclerosa Múltipla

Um projecto de investigação da Universidade de Coimbra aposta no potencial terapêutico da folha de …

Deixar de fumar é possível com ajuda médica. Autora: Sandra Saleiro

Atualmente, quase dois milhões de portugueses continuam a fumar. Segundo dados da Organização Mundial de …