Programa “Escola Feliz” preparou crianças para o regresso às aulas

Terminou com balanço positivo o programa “Escola Feliz”, desenvolvido nas duas semanas que antecederam o início do ano letivo e que preparou duas dezenas de crianças, referenciadas pelos professores como apresentando dificuldades de aprendizagem, para o regresso à escola.

programa “Escola Feliz” foi dinamizado pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) na sua modalidade alargada, em parceria com o município de Oliveira do Hospital/ PAASI (Plataforma de Atendimento e Acompanhamento Social Integrado do concelho) e o Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital (AEOH).

O grupo de crianças entre os 6 e os 11 anos foi acompanhado por uma equipa multidisciplinar de quatro monitores, que desenvolveram jogos lúdico-pedagógicos, assentes numa filosofia de “aprender brincando” que possibilitou a consolidação das aprendizagens do ano transato e a preparação para o novo ano escolar.

“No arranque do programa ocupacional foi realizada uma bateria de testes de avaliação de diversos parâmetros, desde a leitura/escrita até à constância da forma e orientação espacial, de forma a recolher informações que serviram de apoio para as atividades que os técnicos desenvolveram, sempre procurando adequar o conteúdo programático às necessidades e características dos participantes”, informa a autarquia em comunicado.

A leitura e escrita, o cálculo mental, o raciocínio, a linguagem, a cidadania, e as regras de conduta e higiene, foram algumas das temáticas trabalhadas ao longo da vigência do Escola Feliz, que incluiu ainda algumas visitas a espaços como a Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital, a Casa da Cultura e o Parque Biológico da Serra da Lousã para o desenvolvimento de atividades lúdico-pedagógicas,

O grupo de monitores que acompanharam as crianças fizeram um balanço positivo do programa, considerando-o “como uma mais valia e importante e sendo bem dinamizado, em ligação estreita com as escolas, trará muitos frutos”.“É importante dar continuidade ao programa que abrange mais do que o signo linguístico, trabalhando também com as crianças, aspetos como a socialização”, afirmam, acrescentando que “permite amenizar o regresso à escola”.
O presidente da CPCJ, José Francisco Rolo, também vereador do pelouro da Ação Social, frisou que “o Escola Feliz foi pensado e organizado como instrumento de apoio às famílias e aos nossos jovens alunos. É um programa que vai ganhando cada vez mais pertinência para reforçar a qualidade educativa e o processo de socialização e integração dos alunos nas respetivas escolas”.

“A sua continuidade é fundamental para apoiar os alunos e as famílias que cada vez precisam mais, até pelo facto da constituição do mega-agrupamento e do aumento do número de alunos por turma relevarem a necessidade de intervenção focalizada em meio escolar e que compense os riscos de perda de qualidade educativa”, sublinha o vice-presidente do município. “E neste caso, o programa Escola Feliz acrescenta qualidade à educação no concelho. O próximo passo é monitorizar e avaliar o desempenho dos alunos que frequentaram o programa”, concluiu José Francisco Rolo.

LEIA TAMBÉM

Mais de uma centena de famílias desalojadas em Oliveira do Hospital aponta o presidente da Câmara

Mais de uma centena de pessoas ficaram desalojadas no concelho de Oliveira do Hospital por …

Incêndio reacende-se na Serra da Malcata, zona do Lince Ibérico

Bebé desaparecido em Tábua foi encontrado morto

O bebé de um mês que estava desaparecido na Quinta da Barroca, concelho de Tábua …