Realizar projectos relacionados com as áreas profissionais futuras, aprender como planeá-los e chegar a vários objectivos delineados de início.

Projectar para evoluir

Este é o objectivo da disciplina de Área de Projecto, integrada no currículo do ensino regular do 12.º Ano.

Os alunos da Escola Secundária de Oliveira do Hospital estão envolvidos em vários projectos, que vão desde o ambiente e a sustentabilidade até aos distúrbios alimentares ou a solidariedade, turismo e discriminação social.

Mas os problemas locais também estão em foco, com a estagnação do concelho de Oliveira do Hospital e o nemátodo do pinheiro a serem abordados por alguns dos grupos. A inovação surge em projectos relacionados com a Física e a ciência forense.

As opiniões sobre a utilidade da disciplina e a forma como é abordada divergem: nós falámos com alunos de turmas diferentes sobre a forma como vêem Área de Projecto. André Duarte, do 12.º A, vê-a “como uma disciplina com uma enorme potencialidade, nomeadamente por conceder liberdade aos alunos para desenvolver projectos em prol da comunidade”, contudo, não vê a abordagem da disciplina da mesma forma, defendendo que “a prática nem sempre anda de mãos dadas com o que é idealizado” e criticando ainda a população escolar, “adormecida e desinteressada”, caracterizando os nossos jovens como uma “geração que nunca soube nada, o que destrói as expectativas sobre a disciplina de Área de Projecto”, argumentando que esta “poderia incentivar os jovens a ajudar a comunidade em que estão inseridos, se estes se importassem com ela da mesma forma que o fazem com os videojogos e o ‘santificado’ futebol”.

Por outro lado, Davide Abreu, do 12.º D, explica que “AP é uma boa disciplina para aliviar o stress, porque envolve mais actividade prática e raciocínio e não é tão teórica como as restantes”, é criticada a forma como os alunos trabalham em Área de Projecto, “aproveitando-a para fins de divertimento e irresponsabilidade”.

Deolinda Azevedo, a professora coordenadora da disciplina na ESOH, explica que esta disciplina “existe há 3 anos e terá continuidade nos próximos”, servindo para promover a “capacidade de trabalhar em grupo, a autonomia e o desenvolvimento de projectos a partir de problemas concretos, para além da criatividade dentro das suas respectivas áreas científicas”. Inicialmente, quando há três anos lectivos se iniciou a disciplina, houve algumas dificuldades, todavia esta situação “tem melhorado e há projectos mais interessantes e diversificados, com grande adesão dos alunos, cada vez mais participativos e interventivos, como a disciplina quer – fazer projectos desenvolvidos pelos alunos e que têm como objectivo o seu futuro”.

O trabalho na disciplina envolve a tríade “escola – faculdade – sociedade civil”, contudo tem havido algumas dificuldades no relacionamento com as empresas e instituições, sendo, normalmente, mais fácil o relacionamento com as faculdades, geralmente mais cooperantes e disponíveis para ajudar.

No fim do ano lectivo e com vários projectos a serem concretizados, fica para já o desejo, por parte de quem trabalha na disciplina, que os bons resultados deste ano se voltem a repetir.

Pedro Coelho, Tânia Almeida, Carla Gomes e Ricardo Matos 
Grupo de alunos do 12.º Ano – ‘Comunicação Social e a sociedade actual’.

LEIA TAMBÉM

A Conta Solidária de Apoio às Vítimas dos Incêndios Florestais. Autor João Dinis (Jano)

Conta Solidária de Apoio às Vítimas dos Incêndios Florestais (de 15 de Outubro de 2017) …

“Alucinações políticas” autárquicas …em Oliveira do Hospital.

Recentemente saltaram mais uns casos da gestão municipal prática que mais parecem frutos de “alucinações …